Images

I Samuel 27: 5-12 - Davi, vira um bandido perigoso - parte 2


Davi, vira um bandido perigoso - parte 2

I Samuel 27: 5-12 

Davi contava com sua fama de persona non grata em Israel para impressionar Aquis, rei de Gate.

Foi até Gate, portanto, e apresentou-se ao rei. 

Aquis ainda se lembrava de Davi na última ocasião, babando e riscando as portas, expulso da cidade pelos guardas, então ficou impressionado com a altivez do israelita em sua presença.

_ Ei. Você não era doido?

_ Eu percebi que o senhor desconfiava de mim, então me fiz de maluco para escapar.

_Muito inteligente, muito inteligente… Entenda minha posição, Davi. Eu não podia confiar num homem tão popular em Israel, o homem que havia matado Golias, nosso maior guerreiro.

_Eu entendo, majestade.

_Mas hoje eu sei da sua situação, de como Saul o persegue e de como você e seus homens se esgueiram por todo o território de Israel. Seja bem vindo, portanto.

_Obrigado. Muito obrigado.

A verdade é que Aquis sabia que Davi era grande conhecedor do território israelita, depois de tanto tempo vagando pela terra. 

Como não era benquisto em Israel, o rei de Gate contava com sua lealdade, o que seria importantíssimo em caso de guerra. 

Sendo assim, Davi, suas duas esposas e seus soldados foram muito bem recebidos e ficaram morando em Gate. 

Mas não se sentiam à vontade na cidade, então Davi foi falar com Aquis:

_ Majestade, se o senhor vai mesmo com a minha cara, queria lhe fazer um pedido.

_ Pode dizer, Davi.

_Queria saber se o senhor poderia me dar uma cidade para morar. Não vejo necessidade em ficar morando aqui na capital com meus soldados, atrapalhando a vida das pessoas e coisa e tal.

_ Ué, vocês não estão atrapalhando em nada. Mas se você faz mesmo questão, pode ir morar em Ziclague.

Esta cidade é de 25 milhas ou mais para o sul e leste de Gate. 

É um pouco fora do caminho, a partir de uma perspectiva do filisteu, e não muito distante das cidades israelitas. 

Davi e seus seguidores tem agora um "lugar próprio", em uma área onde as atividades de Davi não serão monitoradas por Aquis. 

É algo como viver longe o suficiente da sogra para ter uma vida própria. 

Davi habitou na terra dos filisteus um ano e quatro meses, mas a cidade de Ziclague se tornará futuramente uma posse permanente dos reis israelitas.

Davi e seus homens recebem um lugar para se viver. 

Eles também precisam de um meio de subsistência. 

A solução de Davi para este problema é realmente engenhosa. 

Davi usa Ziclague como seu quartel general, sua base de operações. 

Durante todo esse tempo, dedicou-se a atacar os povos que viviam naquela região (gesuritas, girzitas e amalequitas), todos inimigos de Israel.  

Davi mata todas as pessoas cujas aldeias ele invade, incluindo crianças, mas não mata todo o gado. 

Tomava as ovelhas, o gado, os jumentos, os camelos, e as roupas, como o fornecimento de alimentos para as suas famílias. 

Ele mata todas as pessoas, sem deixar sobreviventes, não porque este era um mandamento de Deus, mas porque era a única maneira que ele poderia fazer para continuar sua decepcionante missão.

Davi poderia não ter sido sábio em fugir para refugiar-se com os filisteus na busca de segurança, mas ele certamente era astuto e inteligente. 

A presença de Davi entre os filisteus parecia um verdadeiro trunfo para o rei Aquis. 
Afinal de contas, pelo menos pelas aparências Davi estava lutando pelos filisteus contra os israelitas. 

Depois de cada ataque, Davi voltava a Gate para levar parte do espólio a Aquis, e o rei perguntava quem ele tinha atacado. 

Ele mentia, dizendo que tinha saqueado o sul de Judá, ou Jerameel, ou a terra dos queneus. 

Aquis nem imaginava que eram os espólios de seus amigos e parentes de seu povo.

Por isso precisava matar todo mundo em todo lugar que atacasse: se alguém escapasse, poderia correr até Gate e contar ao rei o que de fato acontecera. 

Sem testemunhas de seus crimes, agradava a Aquis ao dizer que atacava Israel dia após dia, e enriquecia. 

Depois de tanto tempo vivendo como malfeitor, Davi finalmente tornara-se um verdadeiro bandido. 

Aquis, imaginando o quanto seu hóspede era odiado em todo o Israel, pensava que ele lhe seria leal por toda a vida, fosse por gratidão ou por ser a única opção.

Isto deve significar que os israelitas nunca teriam Davi de volta, e certamente não como seu rei.

1 Samuel 30: 26-31 nos revela ainda que Davi está matava os inimigos dos israelitas, e depois compartilhava alguns dos despojos com eles, fazendo visitas frequentes às suas cidades, buscando amizade com os israelitas, enquanto vivia sob a proteção dos filisteus. 

Sinceramente, não entendo como Davi pode chegar a esse nível mental e espiritual tão sujo.

Continua...

Leia Mais ►
Images

Não seja morno, ou será vomitado!


Leia Mais ►
Images

I Samuel 27: 1-4 Davi, vira um bandido perigoso - parte 1


Davi, vira um bandido perigoso - parte 1

I Samuel 27: 1-4

Olá amigo leitor. Gostaria, antes de dar continuidade a história de Davi, fazer um breve resumo de tudo o que aconteceu até agora na vida desse homem de Deus.

Davi tinha sido ungido por Samuel como o próximo rei de Israel no capítulo 16. 

No capítulo 17, ele se levanta contra Golias, o campeão filisteu de Gate, e o mata. 

No capítulo 18, Saul começa a ficar nervoso com a popularidade de Davi com o povo e se prepara para trazer a morte sobre Davi. 

Na primeira, ele quer fazer com que pareça um acidente, mas, eventualmente, ele dá ordens para Davi para ser condenado à morte. 

Eventualmente Davi é forçado a fugir para salvar sua vida, vivendo como um fugitivo da justiça.

Fuga de Davi de Saul começa com sua inesperada aparição em Nobe, onde ele conta a Aimeleque, o sacerdote uma história falsa para explicar que ele veio sem seus homens. 

A pedido de Davi, o sumo sacerdote a ele um pouco do pão sagrado e a espada de Golias. 
De Nobe, Davi foge para rei Aquis em Gate. 

O rei está disposta a fornecer refúgio para David, até que alguns de seus servos o lembram que a reputação de Davi é um perigo. 

Sabendo que ele está em perigo, Davi finge ser louco e se livra da morte nesse território.

Deste ponto em diante, Davi começa a reunir uma sequência de fugas e é forçado a se esconder em regiões remotas de Judá, especialmente depois do vexame em Gade.

No capítulo 24, Saul e Davi por coincidência procuram acabam usando a mesma caverna. 

Os homens de Davi interpretam este "encontro divino" como um sinal de que Deus quer que eles matem Saul e termine seus problemas. 

Davi não. Mesmo cortando apenas um pedaço manto do rei faz com que Davi fique com peso na consciência. 

Davi deixa Saul sair da caverna e então revela sua presença, repreendendo gentilmente o rei sobre seu desejo de matá-lo sem causa. 

Davi assegura a Saul que não tem intenção de fazer-lhe mal, e que ele deixou Deus lidar com Saul. Saul parece ceder, e os dois homens despedem-se pacificamente.

No capítulo 25, Davi é insultado por Nabal, um tolo descendente de Calebe, que, não vive de acordo com sua herança. 

Davi fica revoltado e deseja matar todos na casa de Nabal.

Só por causa da sábios intervenção de Abigail, esposa de Nabal, Davi muda de ideia.

Neste encontro, Abigail assegura a Davi que ele vai se tornar o próximo rei, e que deixar a vingança para Deus é o melhor curso de ação. 

Capítulo 26 parece ser um ponto espiritual alto para David. 

Mais uma vez, Saul está em busca de Davi. 

Davi fica sabendo da presença de Saul e envia espiões, que identificam o local exato do seu acampamento. 

Davi e Abisai, em seguida, entram no acampamento, enquanto os soldados de Saul dormem um sono profundo ocasionado por um sedativo divino. 

Davi não permitir Abisai mate Saul, em vez disso, apenas a lança de Saul e seu  recipiente de água são tomados, como prova de quão perto eles estavam com o rei, ainda sem impedimentos por qualquer um dos homens de Saul.

Neste confronto, Davi começa por repreender Abner, e depois o resto dos soldados com Saul por permitir que um assassino se aproximasse de seu rei. 

Esta seria uma falha digna de morte, e Davi lembra a todos, em seguida, que foi ele quem salvou a vida do rei, não qualquer um deles. 

Como pode ser, Davi se pergunta, que aquele que salva o rei seja caçado como se fosse um assassino, enquanto aqueles dignos de morte são os que buscam a sua vida?

Davi também tem uma palavra para seu rei, Saul. Ele mais uma vez afirma sua lealdade a Saul e pede outra vez porque Saul pare de desejar sua morte. 

Mas aos olhos de Davi, o rei está conduzindo-o para fora da terra, e, portanto, fora do local de adoração e bênção dos deuses. 

Davi suplica a Saul para não forçá-lo a deixar esta terra, para que seu sangue não fosse derramado em solo estrangeiro.

Saul confessa sua culpa e reconhece que David vai certamente prevalecerá.

Ele indiretamente promete Davi, que irá parar de persegui-lo e, assim, ele convida-o para voltar a adorar, sem temer por sua vida.

No entanto, apesar de todas as confirmações de que David deve ser o próximo rei de Israel, apesar de todas as próprias afirmações da fé de Davi nessa promessa, encontramos Davi deixando a terra e voltando para Gate. 

E isso é de fato muito surpreendente.

Depois de poupar a vida de Saul, pela primeira vez, Davi até chegou a acreditar que eram verdadeiras as boas intenções do rei. 

Quando da segunda, porém, ele achou que Sua Majestade era mesmo um maluco, e que não desistiria de persegui-lo, e que seu fim era mera questão de tempo. 

Pensando nisso, Davi concluiu que sua única alternativa seria sair de Israel. 

Não para qualquer lugar, porém: Saul não hesitaria em declarar guerra a algum dos vizinhos mais fracos, se isso pudesse ajudá-lo a botar as mãos no filho de Jessé. 

Restava, portanto, a Filistia. A experiência de Davi por lá não fora das mais animadoras. 
Porém, era sua única opção, e ele resolveu arriscar. 

Davi, que estava tão confiante de que Deus iria proteger sua vida, agora fala de sua morte como uma certeza, se ele não fugir para a terra de os filisteus.

Davi, que no capítulo anterior disse que era Saul quem pereceria , agora diz que é ele quem vai perecer. 

E Davi, que pedia a Saul para que ele não fosse forçado a deixar a terra, agora se sente compelido a deixar apesar de Saul ter lhe dado uma garantia de segurança. 

Essa mudança é mais surpreendente.

David tem realmente perdeu um pouco de sua fé aqui. 

Então David disse ao seu coração:"

_  Algum dia Saul vai me matar. A melhor coisa que posso fazer é fugir para a terra dos filisteus. Aí Saul deixará de me procurar em toda a terra de Israel, e assim eu ficarei livre de perigo.

Não fazia muito tempo que Davi procurou refúgio em Gate pela primeira vez. 

E isso foi um desastre miserável para Davi. Ele sobreviveu, mas ele foi expulso como um lunático. 

Alguém poderia pensar que, do jeito que Davi deixou as portas de Gate, ele teria dito a si mesmo: "Eu nunca vou fazer isso de novo!" 

E, no entanto, aqui está ele, mais uma vez e não está sozinho. 

Desta vez, David tem seus 600 seguidores, além de todas as suas esposas e famílias.

Davi estava certo sobre uma coisa, quando Saul ficasse sabendo que ele fugira para Gate, ele não continuaria procurando por ele. 

Será que isso significa que Saul teria continuado a caçar Davi se tivesse permanecido em território israelita? 

Continua na próxima postagem!
Leia Mais ►
Images

O poder da visão de futuro para mudar sua vida!

O poder da visão de futuro para mudar sua vida!


CLAILTON LUIZ

Não sei porque, mas essa é uma das histórias que meu filho quando ainda criança mais gostava que eu repetisse. Certo fazendeiro, numa de suas caçadas, encontrou um ninho de águias. Dentro dele havia um filhote. Ele o pegou e o levou para casa e passou a criá-lo no galinheiro. A ave cresceu no meio das galinhas, acreditando ser uma delas. Já grande, ciscava no terreiro e dormia empoleirada como todas as outras.

Ela possuía asas fortes que poderiam transportá-la para bem longe dali, para as alturas e para a liberdade, na hora em que ela quisesse. Mas aquele homem nem precisaria prendê-la para que permanecesse no quintal, comendo da ração e caçando minhocas. A ave não sabia do que era capaz. Desconhecia o fato de que era águia. Julgava-se tão galinha quanto as companheiras de poleiro. E, por isso, só conseguia ter uma vida de frango.

Apesar das gargalhadas deliciosas de meu filho, a lição por trás dessa história é que a ideia que cada um de nós tem de si mesmo pode ser real ou fantasiosa, mas a verdade é que ela acaba por nos convencer e acontecer. Como diz provérbios 23:7, “O que acontece com o homem é que como imagina em sua alma, assim ele é".

Alguém já disse que precisamos prestar atenção no futuro, porque é nele que iremos passar o resto das nossas vidas. Porém, às vezes, isso não passa de palavras para muitas pessoas que acabam ficando quase que totalmente amarradas ao presente, ou então sonham sobre o futuro, mas não fazem nada a respeito. E assim, os sonhos parecem no melhor dos casos uma ilusão e no pior, impossíveis. Mas pensar dessa forma no futuro é um engano.

Aprendemos na Bíblia que visões positivas do futuro são tão importantes, mesmo essenciais, para nações e organizações, corporações e comunidades, indivíduos jovens e velhos, sem deixar de fora qualquer um de nós que queira fazer uma diferença no mundo.

Vemos personagens importantes como Abraão que saiu da terra de Ur em direção a uma poderosa visão de futuro de uma terra que manaria leite e mel. Mais tarde, Deus levou ele a um monte e numa bela visão, mostrou toda essa terra a ele. E não pararam por aí, vieram depois as visões de futuro de uma descendência tão incontável quanto as areias do mar?

E a visão maravilhosa que Deus nos dá, de viver uma eternidade com Ele? Quem já não sonhou com isso? Viver eternamente num lugar sem dor, sem sofrimento, sem injustiça? Muitas vezes não é isso que nos consola?
A visão de futuro é o combustível do ser humano. É por isso que Deus sempre usou a visão para motivar aqueles a quem ele dirige.

Em 2003 ouvi a história real de Victor Frankel que aconteceu durante a segunda guerra mundial que mostra a importância da visão de futuro nas piores condições possíveis. Durante essa guerra milhões de pessoas, a maioria judeus mais poloneses, russos e ciganos foram levados à morte em campos como Aushwitz.

Victor Frankel e era psiquiatra em Viena. Ele tinha muitos pacientes, levava uma vida boa e era judeu.

Quando irrompeu a segunda guerra mundial foi cercado pelos nazistas junto com milhares de outros e trazido num trem de carga para este inferno na terra. Quando chegou aqui, Frankel traçou três metas para si: 1, sobreviver; 2, usar suas habilidades médicas para ajudar e; 3, tentar aprender alguma coisa. Imagine isso, tentar aprender alguma coisa em meio ao holocausto. Mas Frankel conseguiu atingir suas três metas. E depois da guerra retornou à Viena e escreveu o seu tão consagrado livro “A Busca do Significado pelo Homem” no qual explicou o que havia aprendido.

No seu livro, Frankel reconheceu que a maioria dos prisioneiros era executada pouco tempo depois de chegar. Mas Frankel concentrou seus estudos naqueles que, como ele mesmo, em vez disso, foram postos a trabalhar sob as piores condições imagináveis. Milhões morreram. Mas entre aqueles que sobreviveram Victor Frankel encontrou uma linha comum, um traço essencial à sobrevivência. Todos aqueles que tinham conseguido sobreviver ainda tinham algo importante para fazer em seus futuros. Deixe-me repetir isso: todos aqueles que tinham conseguido sobreviver ainda tinham algo importante para fazer em seus futuros. E aqui vemos o padrão novamente, o poder de uma visão do futuro para ajudar a vencer uma chance incrivelmente pequena. Deixe-me exemplificar com uma das histórias de Frankel. “Dois homens pretendiam se suicidar; era um acontecimento comum aqui no campo. Seus amigos, literalmente, salvaram suas vidas lembrando-lhes de seus futuros. Para um, o seu filho que o adorava e que o esperava num país seguro. Para o outro era uma coisa, não uma pessoa. Esse homem era um cientista que havia escrito uma série de livros que ainda precisava ser terminada. Seu trabalho não poderia ser feito por ninguém mais. E quando foram lembrados de suas responsabilidades para com o futuro eles aceitaram e tiveram forças para aguentar e sobreviver”. Funcionou para Frankel também. Ele escreveu: “Quase em pranto pela dor eu continuava pensando nos inúmeros pequenos problemas de nossa vida miserável, o que havia para comer à noite? Se vier um pedaço de salsicha como ração extra devo trocá-la por um pedaço de pão? Devo trocar meu último cigarro – que foi o resto de um presente que eu recebi há duas semanas – por um prato de sopa? Como posso arrumar um pedaço de arame para substituir o outro que amarrava um dos meus sapatos? Quem poderia me arranjar trabalho no campo em lugar de ter de aguentar essa marcha diária terrivelmente longa? Fiquei aborrecido com a situação das coisas que me obrigava a pensar todo dia e toda hora somente nessas coisas banais. Eu forcei a minha mente para mudar para outro assunto. De repente, eu me vi no palco de um auditório bem iluminado, quente e muito agradável. Diante de mim havia uma plateia atenta em cadeiras estofadas confortáveis. Eu estava dando uma palestra sobre a psicologia no campo de concentração. Com este método eu consegui, de certo modo, passar por cima da situação, por cima do sofrimento daqueles dias”. E ele os observava como se agora já tivesse passado.

A mensagem de Frankel é clara. É essencial, para você, para mim, ter alguma coisa ainda importante ainda por fazer, ter uma visão positiva do nosso futuro. Porque é isso que dá significado à vida.

Frankel escreveu: “É uma peculiaridade humana só ser capaz de poder viver olhando para o futuro”. E esta é a sua salvação, até mesmo nos momentos mais difíceis de sua existência.

Qual sua visão de futuro para 2016?

Lembre-se:

Uma visão sem ação não passa de um sonho.
Ação sem visão é só um passatempo.

Esse conteúdo faz parte do treinamento de Coaching Cristão “Conquiste.org”

Conheça AQUI.
Leia Mais ►
Images

I Samuel 26: 12-25 - Davi invade o acampamento de Saul e prega uma peça!


Davi invade o acampamento de Saul e prega uma peça!

I Samuel 26: 12-25

Então Davi pegou a lança e o jarro de água que estavam ao lado da cabeça de Saul e foi embora com Abisai. 

Ninguém os viu, nem soube o que havia acontecido. 

E ninguém acordou. Todos estavam dormindo profundamente porque o Senhor tinha feito com que todos eles caíssem num sono profundo.

Aí Davi passou para o outro lado do vale, foi até o alto do monte, a uma boa distância deles, e gritou para Abner e para os soldados de Saul:

_ Abner, você está me ouvindo?

Em seguida, de pé fora do alcance de Saul no topo de uma montanha, Davi clama às pessoas em geral, e Abner, em particular.

 É, provavelmente, ainda na escuridão da noite, ou nas primeiras horas da manhã com pouca luz. 

Os soldados de Saul são, aparentemente, despertado pelo som da voz de Davi. 

Não vendo quem está chamando, Abner não reconhece a voz de Davi.

_ Quem é que está gritando para o rei? — perguntou Abner.

Davi respondeu:

_ Você é homem ou não é? Você não é o melhor soldado de Israel? Então por que não protegeu o seu chefe, o rei? Agora mesmo alguém entrou no acampamento para matar o rei, o seu chefe. Você falhou, Abner! Eu juro pelo Senhor, o Deus vivo, que vocês todos morrerão, pois não protegeram o seu chefe, que o Senhor Deus fez rei. Escutem! Onde está a lança do rei? Onde está o jarro de água que estava ao lado da cabeça dele?

Imagine a consternação, especialmente para Abner, quando olha para o chão, e vê que a lança e o jarro de água não estão ali, e talvez um par de pegadas que confirmam que alguém esteve ali. 

Na verdade, Davi salvou a vida do rei. Como comandante chefe das forças de Saul, Abner é responsável por esta violação grave da segurança que colocou em perigo a vida do rei. 

Abner é o homem no comando. Foi em seu horário, por assim dizer, que a vida de Saul estava em perigo. 

E foi Abner que vigiava ao lado do rei, com fácil acesso a qualquer um que pretendesse atacar o rei. 

Abner é o soldado mais renomado do exército de Saul. 

A mancha desse incidente fará parte de seu currículo! 

Enquanto isso, Saul levanta-se lentamente recuperando ainda seus sentidos, grogue, sem dúvida, de seu sono sobrenatural. 

Ele ouve a conversa entre Abner e uma voz distante. 

Saul sabe que a voz; é a voz de ninguém menos que Davi. 

E o que ele ouve já é o suficiente para amolecer seu duro coração.

_ Davi, é você, meu filho?

A partir daqui, David assume a liderança da conversa;

_ Sim, senhor, sou eu! Por que é que o senhor continua a me perseguir? Isso já tá chato, majestade! 

Davi persegue o assunto mais profundamente, em termos de suas implicações teológicas. 

_ Ó rei, escute o que eu tenho a dizer. Se foi Deus que fez o senhor se virar contra mim, ele mudará de ideia se lhe for feita uma oferta. Mas, se foram certas pessoas que fizeram isso, que a maldição de Deus caia sobre elas! Pois me expulsaram da terra do Senhor Deus para uma terra onde posso adorar somente deuses estrangeiros. Não me deixe ser morto em terra estrangeira, longe do Senhor Deus! Por que o rei de Israel viria aqui? Para procurar uma pulga como eu? Por que me caçaria como se eu fosse um pássaro selvagem?

Mas as respostas de Saul não são nada convincentes;

_ Ok, Davi, já entendi. Eu sei que errei. Volte, meu filho! Prometo que nunca mais lhe farei nenhum mal, porque esta noite você poupou minha vida mais uma vez. Eu tenho agido como um maluco!

Saul obviamente acredita que David é culpado de algum delito, para que ele gaste tempo o caçando.

Mas estranhamente Saul reconhece seu próprio pecado em suas negociações com Davi.

Em resposta à confissão e promessa de anistia de Saul, Davi grita: 

_ Olha, senhor, aqui está sua lança. Mande algum de seus homens vir buscá-la. Será que agora as pessoas do lado do rei vão dize que Davi é um pecador, um traidor e um inimigo de Saul? David conclui sua defesa, afirmando a sua justiça.

_ Eu vou voltar para o meu buraco. Mas lembre-se sempre de que hoje eu poupei sua vida. Que Deus poupe a minha também, continuando a me proteger como tem feito.

Enquanto Saul e seus homens colocaram-se em perigo ao acusar e perseguir Davi como um pecador e um criminoso, Davi está certo de que sua vida está segura nas mãos de seu Deus.

Como Davi tem valorizado a vida de Saul, ele sabe que Deus vai valorizam muito a sua vida, e, portanto, ele é assegurada Deus vai realmente entregá-lo de todas as suas angústias.

_ Ah, meu filho, que Deus o abençoe! Você é um bom rapaz, e tudo o que fizer dará certo. Está ouvindo, Davi? Davi? DAVI! Caramba, foi embora?

As palavras finais de Saul são um pronunciamento de bênção sobre Davi, com a garantia de que ele vai realizar grandes coisas e que, no final, vai prevalecer Davi. 

Com estas palavras, eles se separam pela última vez. 

Eles não se reunirão novamente porque o momento da morte de Saul se aproxima. 

Saul volta ao seu lugar, mas Davi segue seu caminho. 

Davi sabe muito bem que o arrependimento de Saul não vai durar muito tempo.

Ps.
Há uma mensagem aqui para aqueles que injustamente acusam e perseguem um ungido de Deus. 

Deus defenderá e protegerá a vida deles. 

Não há nenhuma maneira que o ungido de Deus possa ser removido de sua posição antes que do tempo de Deus. 

Isto era a verdade na vida de Saul; era também verdade na vida de Davi. 

Neste breve período de tempo, Deus virou o jogo sobre os inimigos de Davi. 

Não era Davi quem estava em perigo, mas aqueles que se opunham a ele. 

Que os inimigos dos eleitos de Deus tomem nota disse, e deixem seus escolhidos darem conta de suas responsabilidades.

Em Cristo!

A seguir: Davi, vira um bandido perigoso - parte 1
Leia Mais ►
Images

I Samuel 26: 1-11 - Davi em uma missão impossível!


Davi em uma missão impossível!

I Samuel 26: 1-11 

Vimos que no final do primeiro encontro entre Davi e Saul depois de tantas perseguições, o rei despediu-se do filho de Jessé com lágrimas nos olhos e protestos de grande arrependimento. 

Davi não acreditou muito, como vimos, mas mesmo assim relaxou um pouco. Nesse ínterim, Davi ainda arrumou tempo para se casar com duas mulheres. 

Depois, cansado de tanto zanzar por todo canto, resolveu voltar a Zife, o lugar do encontro fatídico. 

Reinstalou-se, portanto, no monte Haquila com seus rebeldes.

Os homens de Zife, porém, sedentos de recompensa, foram até Gibeá para contar a Saul que Davi voltara. 

O rei, maluco que era, já tinha esquecido das lágrimas e das promessas de reconciliação: levantou novamente os três mil soldados e partiu para Zife. 

Quando chegaram ao monte Haquila já era noite, e Abner achou melhor acampar no sopé do monte e subir assim que o dia amanhecesse para atacar os cangaceiros de Davi. 

Saul e seu tio Abner se ajeitaram no meio do acampamento e os três mil soldados ficaram em volta, de forma que o rei e seu general ficassem protegidos e pudessem dormir o sono dos justos, mesmo que não o fossem.

Enquanto isso, Davi, que estava no deserto, ouviu dizer que Saul viera atacá-lo. 

Mas não acreditou no boato e enviou espias para confirmarem o boato. 

Não demorou muito, o próprio Davi resolveu ir até lá para ver com que força Saul pretendia atacar dessa vez. 

Quando chegou ao acampamento, viu os três mil homens dormindo, e voltou para sua fortaleza natural no alto do monte. 

Acima das cavernas onde seus homens dormiam estavam as duas sentinelas do turno, Aimeleque, o heteu, e Abisai, irmão de Joabe (um sujeito que ainda será importante). 

Chamou-os:
_ Ei! Saul está acampado lá embaixo. Vou descer até lá para ver a situação mais de perto. Qual de vocês vai comigo?

_ Eu vou.

_ Muito bem, Abisai. Aimeleque, você dá conta do serviço sozinho?

_ Mas é claro, majestade.

Os dois desceram até onde o Saul estava. 

Os soldados do rei dormiam um sono pesado, e os dois conseguiram chegar até o centro do acampamento, onde dormiam Saul e Abner. 

Agora meu caro leitor, imagine por um momento que você é Abisai.

Saul cuidadosamente se posicionou na parte mais interna do círculo de suas tropas. 

Abner, um heróico guerreiro e guarda-costas de Saul, está deitado bem ao lado do rei. 

Você escolhe com cuidado o seu caminho através deste labirinto de corpos humanos, temendo que a qualquer momento alguém vai despertar. 

Parece impossível que alguém dentre esses 3.000 homens não vai acordar. 

Você ouve um soldado roncando muito alto e me pergunto se você deve rendê-lo para que ele não acordar os outros. 

Você pisa em uma vara e ela se quebra fazendo um ruido e seu coração quase para. 

Você mal pode acreditar que você realmente está fazendo isso, como vocês estão lá, olhando para Saul dormindo pacificamente, com Abner por perto?

Perto da cabeça de Saul está sua lança, empurrado para o chão, e seu recipiente de água.

Se você é Abisai, não levaria muito tempo para descobrir o que deve vir em seguida.

Ao ver situação tão propícia, Abisai cochicou no ouvido de Davi:

_ Deixa comigo, Davi.

_ O quê?

_ Deus colocou seu inimigo nas suas mãos. Com um golpe só eu atravesso o coração desse maldito!

_ Não o mate, pois o Senhor Deus castigará quem levantar a mão para matar o rei que ele escolheu.Tão certo como o Senhor Deus está vivo, assim ele mesmo matará Saul, seja quando chegar o seu dia de morrer, seja numa batalha! O Senhor me livre de levantar a mão contra quem ele escolheu como rei! Vamos pegar o jarro de água e a lança dele e vamos embora.

Davi não sei como, mas depois de sua experiência com Nabal e Abigail, ele sabe que Deus pode realizar Sua vontade em qualquer número de maneiras. 

Ele poderia atacar Saul morto, Saul poderia morrer naturalmente, ou ele pode ser morto em batalha. 

Estas são apenas algumas das maneiras que Deus poderia remover Saul, mas em cada caso, não será pela mão de Davi, nem pela mão de qualquer um dos seus homens.

Eu posso ver Abisai balançando a cabeça como eles fazem seu caminho de volta através desse labirinto de corpos circundantes e, finalmente, escorregando para a segurança da escuridão. 

_ Isso foi uma missão suicida! Tudo isso para apenas para tomar uma lança e um jarro de água?

Se eles sabiam ou não, o autor do nosso texto nos informa que este não era apenas um golpe de sorte, ou mesmo uma boa manobra militar. 

Deus havia milagrosamente colocado esses 3.000 homens para dormir. 

Davi e Abisai poderiam ter gritado um para os outro e ninguém teria despertado. 

Abisai poderia ter tropeçado e caído em cima de um par de soldados, e eles ainda estariam seguros. 

Pergunto-me quantas vezes na sua história você têm achado que fez algo espetacular em algumas tarefas, sem nunca saber que por trás de tudo isso foi a mão de Deus?

Continua na próxima postagem.

A seguir:

Davi invade o acampamento de Saul e prega uma peça!

Leia Mais ►
Images

1 Samuel 25: 36-44 - O egoísta Nabal e a sábia Abigail


O egoísta Nabal e a sábia 

1 Samuel 25: 36-44

Abigail chegou em casa querendo dizer a Nabal o que acontecera, mas o marido estava comendo como um rei e bebendo como um gambá, então preferiu deixar para depois. 

Completamente alheio à estupidez de suas ações, e quão perto ele havia chegado até a morte, Nabal está festejando como um rei em sua casa quando Abigail retorna. 

Ele está muito alegre no coração, o que provavelmente só acontece quando ele está bêbado, como agora. 

Sabiamente, Abigail não diz nada ao marido sobre os acontecimentos do dia no momento. 
Nabal representa muito do que há de pior em homens. 

Nabal é arrogante e auto suficiente. 

Ele não estima a sabedoria e não ouvirá aqueles que poderiam poupá-lo muito problema, e até mesmo salvar sua vida. 

Ele não aprecia sua esposa e a sabedoria que Deus lhe deu para ela. 

Ele acha que sua riqueza é a medida de um homem, e, assim, ele sente que não precisa de ninguém além de si mesmo. 

Ele é o homem que é completamente alheio à destruição que se avizinha. 

Nabal é o homem no seu pior estado. 

Nabal é um homem desesperadamente precisando de graça, mas completamente confiante de que ele pode fazê-lo por conta própria força. Nabal é um homem destinado para a morte.

Pela manhã do dia seguinte Nabal acorda com uma tremenda ressaca, mas de mente mais clara, e agora sim Abigail o informa de tudo o que aconteceu no dia anterior. 

Assustado diante do relato, seu rosto fica vermelho e inchado, a medida que começa a compreender a magnitude de sua loucura e insensatez. 

Ele então misteriosamente paralisado de medo. 

Depois desse dia, Nabal nunca mais foi o mesmo e com o passar dos dias adoeceu e dez dias depois,aconteceu que o Senhor feriu a Nabal e ele morreu.

Alguns dias depois chega a Davi a notícia de que Nabal está morto.

David responde a Deus com admiração e gratidão. 

Ele louva a Deus por ter pleiteado por sua causa e removido o orgulho de Nabal. 

Ele declara que Deus realmente o impediu de fazer um mal.

Ele vê o quão melhor é ter deixado a vingança com Deus. 

O Senhor julgou  Nabal, não Davi o fez. 

Essa é a forma como deveria ser, e tudo isso devido à sabedoria de uma mulher, Abigail.
Não demorou muito mensageiros de Davi chegaram a porta da casa de Abigail. 

Eles levam a ela uma mensagem simples. 

Não é bem uma proposta de casamento, soa mais como uma convocação de um futuro rei : 
_ Davi nos mandou a você para levá-lo como sua esposa. 

Abigail leu a mensagem e corou. 

Não havia nada que ela quisesse mais. 

Porém, conhecendo muito bem as regras sociais da época e do lugar, apenas se ajoelhou na frente dos mensageiros, humildemente:

_ Eu sou escrava de Davi. Posso lavar os pés de seus empregados.

Ela não olha para si mesma como rainha de Davi, mas como a sua serva, que terá todo o prazer lavar os pés de seus servos. 

Ela se levanta, e acompanhada por cinco de suas criadas, segue os homens de Davi para o seu lugar de esconderijo, onde ela se torna sua esposa.

Os versos finais deste capítulo nos informam que Abigail é a segunda esposa de David. 

Tendo dito isso, acompanhou os homens até seu acampamento, indo morar com Davi. 

O filho de Jessé já havia se casado com uma certa Ainoã, da cidade de Jezreel, e tinha agora duas esposas. 

Teria três, na verdade, mas Saul já entregara sua filha, Mical, a um tal Palti. 

Era a segunda vez que Saul tirava de Davi uma filha sua. 

Como se Davi já não tivesse motivos suficientes para odiar o rei.

A seguir: I Samuel 26: 1-11 - Davi em uma missão impossível!

   
Leia Mais ►
Images

1 Samuel 25:15-35 - Abigail encontra-se com Davi e salva a pele de seu marido!


Abigail encontra-se com Davi e salva a pele de seu marido!

1 Samuel 25:15-35

Um dos jovens que servem Nabal observa o encontro entre os servos de Davi e Nabal. 
Ele sabe o quanto Davi e seus homens beneficiaram seu senhor e como ofensiva a resposta de Nabal será o de Davi. 

De alguma forma, ele sabe que Davi está vindo, e que, se algo dramático não for feito rapidamente, haverá problemas para todos. 

Ele também sabe que Nabal é um tolo, com quem ele não pode raciocinar. 

E assim o servo não fala com Nabal, mas rapidamente avalia Abigail da situação e da necessidade de uma ação decisiva. 

Parece que este servo tem um grande respeito por Abigail e seu julgamento, que é a razão pela qual ele a busca. 

Ele não sugere a Abigail o que deveria fazer, mas simplesmente diz a ela os fatos e a motiva a agir com a sabedoria que ela é conhecida por ter.

_ Senhora Abigail, a senhora ficou sabendo?

_ Sabendo de quê?

_ Bah, uma tremenda confusão! Sabe o Davi?

_ Davi? Aham. Claro.

_ Então. Ele enviou uma mensagem ao patrão, pedindo mantimentos, essas coisas. 

_ Sim. E dai?

_ Foi uma mensagem muito educada, cheia de saudações e coisa e tal. Quando a gente estava no campo, durante todo o tempo ele tratou a gente muito bem.

_ É, ouvi falar que esse Davi é um legítimo cavalheiro. 

_ Pois então. Mas acontece que o patrão mandou uma mensagem muito da mal educada em resposta, dizendo que não vai ajudar é ninguém, e xingando Davi.

_ NABAL NÃO FEZ ISSO!

_ Pois é, mas ele fez!

_ EU NÃO ACREDITO!

_ Eu achei bom contar pra senhora, porque falar com o patrão não adianta nada mesmo. Pense nisso e resolva o que fazer. Isso poderá vir a ser um desastre para o nosso patrão e toda a sua família. Ele é tão mau, que ninguém pode falar com ele.

_ E fez bem, muito bem. Obrigada. Pode deixar, vou dar um jeito.

Abigail saiu dali e, ajudada por seus empregados, pegou duzentos pães, dois odres cheios de vinho, cinco ovelhas assadas, dezessete quilos de trigo torrado, cem cachos de passas e mais um monte de pasta de figo. 

Devemos tomar nota que Abigail não pergunta ou informa Nabal sobre o que ela está fazendo.

Ela não pede, porque ela sabe qual a resposta que Nabal dará. 

Ela não o informá sobre o que ela está fazendo, porque ele vai, sem dúvida, pedir os funcionários para não fazer o que ela instruiu. 

Logo veremos que as ações de Abigail são um exemplo de verdadeira submissão, mesmo quando na superfície eles não parecem ser.

Agindo rapidamente, Abigail reúne porções generosas de alimentos que ela envia adiante por seus servos. 

A velocidade é a essência. 

Davi está no seu caminho, e ele está determinado a matar todos os homens que ele encontra na casa de Nabal, incluindo Nabal. 

Eu não posso responder, mas pergunto onde Abigail conseguiu todos esses suprimentos tão rapidamente. 

Eu acho que eu sei, e se eu estiver certo, é de fato uma situação divertida.

Sabemos que Abigail envia a Davi 200 pães, 2 jarras de vinho, 5 ovelhas já preparadas, além de uma generosa porção de cereais, uvas passas e figos. 

Sabemos também que, enquanto Abigail está ocupada, Nabal está tendo uma festa em sua casa, uma festa digna de um rei (verso 36). 

Eu acredito que os suprimentos Abigail envia a Davi vem do estoque que Nabal planeja consumir em sua festa. 

Você pode imaginar seu rosto quando ele entra na despensa e descobre que uma boa parte de seu banquete está faltando? 

Mesmo assim, é evidente que ele não sente falta de nada.

Tendo enviado a farta quantidade de alimentos a frente, Abigail faz o seu caminho para baixo da montanha, fora da vista de Davi e seus homens. 

Davi igualmente desce do terreno mais elevado, só que ele ainda está resmungando sobre os insultos de Nabal e ensaiando o que ele vai fazer quando ele tiver suas mãos sobre esse déspota ingrato. 

Sem qualquer das partes reconhecer o que está acontecendo, Davi e Abigail são ambos convergindo para o outro, e de repente estão cara a cara um com o outro.

Abigail ia montada no seu jumento e, de repente, numa curva, na descida, encontrou Davi e os seus homens, que vinham na sua direção. 

_ A gente ajuda os outros e ganha o quê? Nada! Só ingratidão! De que me adiantou proteger aqueles infelizes? Ah, mas isso não fica assim! Que Deus me castigue se eu deixar nem que seja um homem vivo naquela terra. Ah, eles vão ver o que é bom pra tosse!
Seu resmungo foi interrompido, porém, pela chegada daqueles jumentos carregados de comida e bebida. 

Antes que pudesse perguntar aos homens que traziam os jumentos de quem fora tamanha bondade, viu uma linda mulher que chegava. 

A pergunta ficou entalada na garganta enquanto ele contemplava tamanha beleza.

Ao vê-lo, a mulher desmontou do jumento rapidamente, e se ajoelhou, encostando o rosto no chão.

_ Senhor Davi, ouça-me! Por favor, não ligue para o que Nabal disse. Ele é um tolo, como bem diz seu nome. Eu não vi quando os homens foram levar sua mensagem a ele, por isso não tive como evitar esse erro. Mas o ignore, senhor, e aceite esse presente que eu lhe trago. Por favor, desista de seus planos de vingança. Eu sei que meu marido foi estúpido e o desrespeitou, mas pense bem: um dia o senhor vai ser rei, e é melhor que não tenha motivos para se arrepender ou sentir remorso por ter cometido um crime assim. Deixe a vingança nas mãos de Deus, já que ele sempre o protegeu.

_ Louvado seja o Senhor, o Deus de Israel, que mandou você hoje para me encontrar! Graças ao que você fez hoje e ao seu juízo, eu deixei de cometer um crime de morte e fui impedido de me vingar por mim mesmo. Que o Senhor Deus me livre de fazer algum mal a você! Eu juro pelo Senhor, o Deus de Israel, o Deus vivo, que, se você não tivesse se apressado e não tivesse vindo me encontrar, amanhã cedo todos os homens de Nabal estariam mortos, até os meninos! Como você se chama, minha querida?

_ Abigail.

_ Então Abigail, volte para casa e não se preocupe. Eu farei o que você quiser.

_ Obrigado, senhor.

Palavras de Abigail soam verdadeiras para Davi. 

O que ela diz se enquadram com tudo o que Deus tem ensinado Davi. 

Ele sabe que ela está certa, e agora admite ao elogiá-la diante de todos os seus homens. 

Davi reconhece que Abigail é literalmente uma dádiva de Deus, e que por meio de suas palavras e atos, Deus o impediu de fazer algo errado, tomando vingança contra Nabal, e, assim, derramando sangue inocente. 

Se ela não tivesse agido com rapidez, David teria realizado seu plano inconsequente. 


Ela salvou Davi da loucura e da culpa, e ao mesmo tempo poupou a vida de seu marido e todos os homens de sua família. 

Em Cristo!

A seguir:

Abigail encontra-se com Davi e salva a pele de seu marido!

Leia Mais ►