Images

1 Samuel 21:8-15 - Davi, ganha o Oscar de melhor ator cara de pau!


Davi, ganha o Oscar de melhor ator cara de pau!

1 Samuel 21:8-15

_ Pronto, Davi. Agora, se você me dá licença…

_ Peraí, Aimeleque, só mais uma coisa. Você não tem aí alguma espada ou lança para me emprestar?

_ Ué. Como é que você sai para uma missão tão importante desarmado, homem de Deus?

_ Para você ver como o negócio era urgente! Eu não trouxe a minha espada nem outra arma. Por causa das ordens do rei, eu saí com muita pressa, que coisa hein?

Aqui está Davi novamente mentindo. Davi sabe mentir com classe, e este é o “homem segundo o coração de Deus.”

Aqui está à carne do “homem segundo o coração de Deus.”

Mas a carne de um crente não é mais aceitável diante de Deus de que a carne de um incrédulo.

Na verdade, penso eu, que é ainda mais repugnante pelo fato de que o crente não tem a vida dominada pela carne, enquanto o incrédulo não tem outra escolha.

_ Hum. Bom, tem uma espada aí que eu acho até que você conhece.

_ Que eu conheço?

_ Isso mesmo. A espada daquele incircunciso, o Golias. Está enrolada num pano lá dentro, atrás da estola sacerdotal.

_ Que surpresa! Espada melhor que aquela não existe! Pode me emprestar à danada?

_ Leva, ué. Sou sacerdote, pra que vou querer espada? Ainda mais daquele tamanho, pesa mais que um carro egípcio…

Esta espada cortava dos dois lados e assim era uma arma terrivelmente mortal.

Mas usar aquela espada no flanco, pendurada à sua cintura, afinal, o que isto estaria dizendo aos outros?

Davi agora era conhecido por aquelas declarações que eram cantadas por toda parte: “Eu matei Golias de Gate”.

Ninguém em qualquer lugar tinha uma espada como esta que era símbolo inconfundível de sua vitória sobre Golias.

Mas certamente isto haveria de trazer problemas para Davi, como já estava acontecendo.

Aimeleque voltou a entrar no Tabernáculo para pegar a espada. Entregou a arma a Davi, que agradeceu e saiu apressado.

Ele tinha que sumir de Israel o mais rápido possível. Por enquanto, estava tranquilo:

Saul ainda não sabia de seu paradeiro, e não teria como saber.

O que Davi não sabia é que um tal Doegue, edomita e chefe dos pastores de Saul, estava presente em frente ao Tabernáculo justamente na hora em que ele e Aimeleque conversavam.

Davi corria perigo...

Estaria Davi errado de tomar para si a espada de Golias?

Tinha ele matado a Golias. Como direito de guerra, os pertences dos inimigos vencidos pertencem ao vencedor.

Estes são os direitos da conquista.

O único problema que vemos aqui é que Davi havia dado aquela espada a Deus e a Ele consagrado.

Tinha Davi o direito agora, de tomar de volta a espada de Golias?

Ele não tinha este direito, porque ele a havia consagrado ao Senhor.

Davi pegou a estrada saindo de Nobe e foi para Gate, uma das cinco grandes cidades da Filistia.

Chegou e foi logo falar com Áquis, governador da cidade, para lhe pedir asilo político.

Ele estava pensando provavelmente: “Os Filisteus são inimigos de Saul. Eu sou inimigo de Saul. Eu sou um guerreiro vitorioso. Certamente eles haverão de dar as boas vindas a mim como mercenário”
.
Mas ele carregou consigo a sua grande espada e isto também era lido como o fato de que ele havia liquidado o seu grande campeão, que, por acaso, tinha muitos parentes em Gate.

Golias tinha três ou quatro irmãos, e nós vamos nos encontrar com eles mais tarde no relato deste livro.

Mas Davi contava com certo anonimato, afinal estava bem longe tanto de Belém quanto do palácio real.


Porém, bastou que os servos de Áquis o vissem para que advertissem o governador:

_ Excelência, acho que esse é o Davi.

_ Davi? Que Davi?

_ Aquele rei israelita.

_ Até onde eu sei, o rei de Israel é Saul.

_ É, ainda é ele. Mas dizem que esse Davi aí está de olho no trono, e não demora muito a usurpá-lo.

Era para ele aquela musiquinha que as mulheres israelitas cantavam depois da última guerra.

_ Que música?

_ Aquela! Umas cantavam: Lá no campo de batalha / Lutando em nome de Deus / Escorraçamos a gentalha: / Saul matou mil filisteus, e as outras respondiam: Isso é muito notável / Nosso rei é mui viril / Sua coragem é inabalável / Mas Davi matou dez mil.

_ Ah, estou lembrado. Será que é ele mesmo?

_ Tenho quase certeza, excelência.

Davi estava carregando um símbolo que avisava a todos:

“Eu sou aquele que derrubou o seu herói, eu sou aquele que humilhou a todos vocês, que os fez correr como covardes o Vale de Ela, que os destruiu em pedaços. Vocês se lembram de mim? Lembram-se quem sou eu”?

Davi era ruivo e havia pouquíssimas pessoas em seus dias com cabelos vermelhos.

Um ruivo carregando uma espada daquele tamanho era inconfundível.

Até mesmo os filisteus podiam chegar facilmente à conclusão de quem se tratava.

Quando você começa a jogar o jogo do engano, você acaba com o que?

Se auto enganando!

Você deixa de ter um pensamento retilíneo.

Você deixa de ter uma percepção correta da situação.

Tudo o que Davi queria era fugir para o mais longe de Saul e a cada passo que dava, em mais encrencas ele acabava se metendo.

E saindo da frigideira acabou caindo no fogo.

Pobre Davi. Agora ele está perante um problema de fato.

Suas artimanhas o meteram em situação ainda mais complicada.

Davi não via outra alternativa se não a mais estapafúrdia possível.

Sentado num canto enquanto esperava ser atendido, ouviu que um dos servos cantava a música que ele bem conhecia, e percebeu que era alvo de desconfianças. Estava em território inimigo, e os filisteus ainda se lembravam muito bem da morte de Golias, seu maior herói.

O que fazer?

Não tendo muito tempo para pensar, improvisou: começou a babar, balbuciar coisas sem sentido e rabiscar a madeira das portas.

No oriente naqueles dias, uma pessoa louca era vista como que “possuída por espíritos”.

Aqui está o futuro rei de Israel com seus olhos vidrados, contorcendo sua face, babando em sua barba.

Eis o “homem segundo o coração de Deus”. Ele transformou a si mesmo em motivo de escárnio, uma obra ridícula.

Áquis caiu direitinho em sua encenação...

Então disse Aquis disse aos seus oficiais:

_ Este homem está louco! Por que o trouxeram para cá? Será que já não tenho bastantes loucos em volta de mim? Por que trazem outro doido para a minha própria casa, a fim de me aborrecer com as suas loucuras? Tirem esse louco daqui, por Dagom!

Os guardas pegaram Davi e o carregaram para fora da cidade, enquanto ele babava e esperneava.

Já fora de Gate, soltou um suspiro de alívio.

Tivera muita sorte.

Poderia continuar contando com a sorte?

Logo saberia.

Leia Mais ►
Images

1 Samuel 21:1-7 - A “ética situacional” para satisfazer as suas necessidades.


A “ética situacional” para satisfazer as suas necessidades. 

1 Samuel 21:1-7

Deixamos a Davi no capítulo anterior fugindo de Saul para o deserto.

E tendo fugido diretamente de seu encontro com Jônatas, não levava qualquer armamento, não havia se preparado com uma guarnição de comida, ia com a roupa do corpo e nada mais.

Por esta razão tinha ele necessidades reais. A tragédia de tudo isto foi que Davi usou aquilo que chamamos de “ética situacional” para satisfazer as suas necessidades.

A nossa filosofia moderna diz que a situação na qual estamos metidos determina a nossa ética; o fim justifica os meios. Vemos isto por todo lado, no governo, em nossas igrejas, e até mesmo em nossas vidas. Mas, preste atenção, esta filosofia não começou no Século XXI.

Ela existe desde a queda dos nossos primeiros pais, e há cerca de 3000 anos atrás, “um homem segundo o coração de Deus” usou as mesmas táticas.

Sem sombra de dúvida, as necessidades de Davi eram legítimas. Ele precisava comer, obviamente. Ele precisava de proteção, sem sombra de dúvida. Suas necessidades eram reais. O problema foi como ele as supriu.

Davi chega em Gibeá de Saul, uma cidade no território da tribo de Benjamim, cerca de uns 20 quilômetros ao norte de Jerusalém.

Ele fugiu de lá diretamente para a cidade de Nobe, a cidade dos sacerdotes, onde se encontrava o Tabernáculo, que estava a cerca de uns 7 quilômetros de Gibeá.

Ele fugia em busca de alguém que ele tinha muito contato. Davi, como campeão dos exércitos de Israel, em suas guerras sob o comando de Saul, esteve muitas vezes com o Sumo sacerdote para buscar com ele a orientação de Deus.

Davi tinha um excelente relacionamento com o Sumo sacerdote de Israel, e o que seria natural é que ele fosse em busca de seu fiel amigo em busca de um conselho.

A tragédia em tudo isto é que Davi caiu vítima da tirania do urgente.

Ele havia caído miseravelmente de sua confiança em Deus. Deus já havia dado provas incontestes de que em tudo a Sua boa mão sustentava e dirigia as circunstâncias em favor de Davi.

Deus estava dizendo: “Eu estou no comando, não importa o que esteja ocorrendo, não importa o que esteja se passando contigo”.

Mas no meio de tudo isto Davi parece não estar entendendo a mensagem da parte de Deus. Pelo contrário, ele está usando seu estratagema e seu esquema pecaminoso.

Ele está pondo fogo no rastro de pólvora e acabou se queimando, vítima de suas artimanhas.

Davi sabia muito bem que não estava seguro em lugar nenhum dentro do território israelita.

Precisava fugir para longe, mas antes passou em Nobe para falar com o sacerdote Aimeleque e ver a possibilidade de conseguir alguns mantimentos para a longa viagem.

Vendo que Davi se aproximava, Aimeleque ficou com medo.

Sabia que Davi era persona non grata para Saul.

O que pareceu a Aimeleque? Aqui está um líder dos exércitos de Saul, e ele está sozinho. Hoje é Sábado. A “Lei” proíbe que se viaje no Sábado. Davi jamais viajou sozinho. Viajava sempre com seus exércitos, ou um pelotão de guarda-costas.

Aimeleque pensando no do conflito que estava sendo travado a cerca de 8 quilômetros ao norte, quer entender o que efetivamente está ocorrendo.

Foi falar com ele todo trêmulo:

_ O que você está fazendo aqui, Davi?

Davi, sabendo provavelmente que Aimeleque entende o conflito que esta se travando no palácio e temendo que Aimeleque não o atendesse no suprimento de suas necessidades, mente para ele.

_ O rei me enviou para cumprir uma missão secreta. Estou viajando já há algum tempo. Saí às pressas e não tive tempo de fazer provisões. Por isso vim até aqui, para ver se você tem uns pães ou alguma outra comida para me dar. Eu e meus homens estamos com muita fome.

Aimeleque olhou em volta e não viu mais ninguém.

Aqui há o que nós chamamos de “ética situacional”. Davi tem as suas necessidades. As necessidades são reais. As necessidades são legítimas.

Mas o processo usado é errado. Ao invés de confiar em Deus, ele usa a sua esperteza (porque afinal de contas o mundo é dos espertos, não é mesmo?) então ele usa as armas do engano.

No entanto, como você já sabe, engano produz engano; a carne sempre produz os frutos da carne e a carne jamais pode agradar a Deus (Rm.8.7).

_ Que homens, Davi?

_ Ah! Os homens... Bem... Não estão comigo agora. Nos separamos e combinamos um encontro noutro lugar mais adiante. É uma missão altamente secreta. Eu nem deveria estar falando sobre isso agora. Mas confio em você, Aimeleque.

_ Pois é, Davi. Eu não tenho nada momento, a não ser os Pães da Propiciação.

Estes eram os “pães da Proposição”, ou os “Pães da Presença” os doze pães que eram assados todas as semanas no Sábado e trazidos ao tabernáculo, e colocados no Santo Lugar, ali na mesa da proposição, seis pães em cada uma das porções, e cada pão representando as tribos de Israel.

Cada um dos pães era dedicado a Deus. Permaneciam ali por sete dias completos, e eram santificados ao Senhor.

Eles significavam que Deus era o provedor de todas as necessidades de Israel. No final dos sete dias, 12 pães frescos eram trazidos para repor os 12 pães postos sobre a mesa. O sumo sacerdote, e os sacerdotes da nação de Israel podiam comer aqueles pães quando substituídos e repostos.

Eles eram separados para alimentar os sacerdotes, mas poderiam ser comidos somente no Santo Lugar.

Portanto, tudo o que Aimeleque possuía eram os pães consagrados, pães que estavam ali expostos à mesa do Senhor.

_ Hum. E aí, tem como nos ceder?

_ Depende. Você e seus homens estão puros?

_ Como assim?

_ Er… Estiveram com mulheres ultimamente?

No sistema levítico, qualquer fluido corporal emitido tornava a pessoa impura. Qualquer coisa que viesse de você, ao invés de Deus, tornaria o adorador impuro. Assim, Aimeleque percebendo que Davi haveria de lhe fazer uma exigência, esperou que não violassem tanto a lei cerimonial.

Aparentemente, entretanto, ele estava pronto a dar a Davi o que ele necessitava.

E Davi, mente novamente;

_ Não, não. Claro que não, Aimeleque! Se já ficamos em abstinência quando cumprimos missões corriqueiras, tanto mais numa missão assim importante.

_ Ah, então está tudo certo. Já está mesmo na hora de trocar os pães mesmo. Vou lhe dar os que estão diante do altar agora. Tudo bem?

Aimeleque entrou na Tenda Sagrada e voltou trazendo os doze pães, cada um pesando dois quilos.

Entregou tudo a Davi, que os arrumou num saco.

Era errado Davi comer estes pães?

Não era absolutamente errado para Davi comer o pão da proposição consagrado ao Senhor. Ele tinha uma necessidade legítima.

O que estava errado é que ele não veio de uma forma aberta e honesta. Ele enganou. E ao ludibriar o Sumo Sacerdote ele estava mentido para Deus. Necessidade legítima, método errado!

De acordo com as próprias palavras de Cristo em Mateus 12 verso 2-6, Davi tinha todo o direito de tomar do pão consagrado das mãos de Aimeleque, ele poderia come-los sem qualquer pecado estando totalmente livre diante de Deus, “porque o Senhor busca compaixão e não sacrifício”. Na verdade é isto que ele requer.

Afinal, porque Deus coloca esta pequena informação aqui justamente após Davi ter cometido este deslize?

Porque de repente Ele faz com que Davi veja Doegue, o temido, o difamador, o fofoqueiro, aquele homem que deixou os Edomitas, aparentemente porque Saul os derrotou, para que se juntasse com Saul:

Porque Deus deu a Davi uma percepção da presença de Doegue o Edomita, o interesseiro, aquele que vivia tirando proveito próprio das situações por seus caminhos marotos, por seus expedientes traiçoeiros, agora voltando para Gibeá de Saul?

Porque justamente aqui? Davi sabia que Doegue voltaria e contaria tudo o que viu a Saul.

Veja só em situação Davi coloca a Aimeleque?

Saul era um homem vingativo. Ele estava decidido a manter o reino a qualquer custo, sem se importar com o querer de Deus, e se porventura o ungido de Deus, Davi, se intrometesse em seu caminho, pura e simplesmente seria eliminado.

Saul está preste a embarcar numa campanha sórdida de destruir Israel, pura e simplesmente para que nesta destruição fosse também destruído Davi, e Davi sabia disto.

O que você imagina que passa pela mente de Davi, será que ele não percebe que agora Aimeleque corre sérios e terríveis riscos?

Ele, sem sombra de dúvida será alcançado pela mão vingativa de Saul.

E em que medida Davi está preocupado com tudo isto?

No entanto, nesse momento, Davi tem seus olhos e interesses focalizados exclusivamente em si mesmo.

“Ninguém pode estar pior do que eu. Portanto, tenho eu necessidades legítimas e eu vou satisfaze-las.

Dane-se os outros!” Deus deliberadamente, neste ponto de seus enganos, o traz à presença de Doegue, e este homem estava pronto e preparado para correr em busca de Saul e lhe dizer tudo o que estava ali ocorrendo. [Davi mais tarde admite que ele sabia que Doegue iria e diria a Saul.] Mas o que ele faz?

Buscando satisfazer unicamente as suas necessidades, nem sequer se importa com Aimeleque.

Quando seu foco é você mesmo, você nem se importa com qualquer outra pessoa. A única coisa que se cogita é: “Minhas necessidades. Meus problemas.”

Então Davi elabora mais uma mentirinha de classe...

Na próxima postagem...

Em Cristo!


Leia Mais ►
Images

I Samuel 20: 19-42 - Davi, Jônatas e as pedras!


Davi, Jônatas e as pedras!

I Samuel 20: 19-42

_ Esconda-se atrás delas amanhã à noite. Eu vou para a festa, falo com meu pai e fico sabendo se a raiva do velho já passou ou não. Assim que souber, virei aqui para treinar com o arco, usando estas pedras como alvo.

_ E o que tem as padras haver com isso?

_ Presta atenção, Davi... Eu vou atirar três flechas e depois mandar meu empregado buscá-las. Se você me ouvir dizendo “Olha lá, as flechas estão para cá”, isso significa que está tudo bem e você pode sair. Se eu disser “As flechas estão para lá”, quer dizer que meu pai ainda está enfurecido e é melhor você fugir. Entendeu?

_ “Para cá”, tudo bem, “para lá”, a casa caiu. Entendi.

_ Muito bem amigo, agora trate de se esconder em algum lugar, e esteja atrás destas pedras amanhã e depois, ok?

_ Tudo bem meu amigo.

A Festa da Lua Nova durava três dias. Poderia ser que Saul não desse falta de Davi no primeiro dia, dificilmente ele não perceberia no segundo.

Davi saiu para se esconder em algum lugar e esperar o dia da festa atrás das pedras.
No dia seguinte, Saul chegou ao salão de festas do palácio todo paramentado como de costume. 

Abner, seu fiel escudeiro sentou-se ao lado do rei, e Jônatas à sua frente. 

O lugar de Davi, ao lado de Jônatas, permaneceu vazio. 

O rei notou, mas não disse nada, pensando que talvez ele chegasse a qualquer momento.

No dia seguinte, porém, vendo a cadeira de Davi vazia outra vez, Saul perguntou a Jônatas:

_ Meu Filho, cadê o jovem Davi? Não apareceu ontem nem hoje, o que será que aconteceu?

_ Ah, pai, esqueci de lhe avisar... Ele me pediu licença para ir a Belém festejar com sua família.

_ Hum... E você concedeu?

_ Concedi, algum problema.

_ PROBLEMA?  SEU FILHO DE UMA MULHER À-TOA! AGORA EU SEI QUE VOCÊ PASSOU PARA O LADO DE DAVI, TRAZENDO DESONRA PARA VOCÊ E PARA A SUA MÃE!

_ Não, pai, não é b…

_ CALA ESSA BOCA! Você passou para o lado de Davi. ASNO! Não sabe que você não será rei enquanto ele não morrer? Que o desgraçado quer é usurpar o trono? Traga aquele mequetrefe aqui para morrer! AGORA!

_ Mas, pai… Por que você quer tanto matar o Davi? O que ele fez?

Irritado, e não crendo no que ouvia da boca de Jônatas, Saul pegou sua lança (que estava sempre à mão para ocasiões assim) e atirou-a contra o próprio filho. 

Felizmente, para a sorte de Jônatas, a pontaria de Saul continuava ruim.

Mas pelo menos agora ele tinha certeza de que a fúria do pai não passara, muito pelo contrário, aumentava a cada dia. 

Jônatas levantou-se furioso da mesa e não comeu nada naquele dia, o segundo dia da Festa da Lua Nova. 

Ele estava muito sentido porque Saul tinha insultado Davi.

Na manhã seguinte ele foi ao campo a fim de encontrar Davi, como tinham combinado. Levou consigo um rapazinho e disse: 

_ Corra e vá buscar as flechas que eu atirar. O rapaz correu, e Jônatas atirou uma flecha que passou além dele.

Davi, que na primeiro noite, não recebera nenhum aviso do amigo, já estava quase desistindo nessa segunda noite quando ouviu distintamente a voz do amigo:

_ Ei, rapaz! Vai pegar as flechas! Estão para lá, ó. Bem para lá, entendeu? PARA LÁ! AS FLECHAS ESTÃO PARA LÁ!

O empregado não entendia nada, claro, mas Davi compreendera muito bem: Saul ainda queria sua cabeça, e não sossegaria enquanto não a conseguisse. 

Ia se levantando para sair quando ouviu novamente a voz de Jônatas:

_ PRONTO! CANSEI DE TREINAR! PODE VOLTAR PARA A CIDADE, RAPAZ! VOLTE PARA A CIDADE! PARA A CIDAAAADE!

_ Tá bom patrãozinho, não precisa gritar, eu já entendi.

Depois que o empregado foi embora, Jônatas foi encontrar Davi em seu esconderijo.

Muito agradecido a Jônatas, Davi se jogou no chão e enconstou o rosto no em terra por três vezes.

_ Obrigado, Jônatas! Muito obrigado meu grande amigo!

_ Que é isso meu irmão, isso é o mínimo que posso fazer por você.

Davi se levantou e os dois se abraçaram, chorando muito.

_ Para onde você vai agora, Davi?

_ Não pensei nisso ainda.

_ Bom. Para onde quer que você vá, que Deus esteja com você. Ele fará com que nós e nossos descendentes cumpramos a promessa que fizemos um ao outro.

Davi o abraçou uma última vez e fugiu. Jônatas voltou para o palácio, ainda enxugando as lágrimas. 

Pensava no quanto seria ruim a vida sem o amigo por tempo indeterminado.

Em Cristo!

Leia Mais ►
Images

I Samuel 20: 1-18 - Jônatas e Davi tem um plano!


Jônatas e Davi tem um plano!

I Samuel 20: 1-18

Vendo seu maior inimigo totalmente desprotegido no chão, pelado e profetizando, Davi concluiu que era uma boa oportunidade para sair de Ramá. Foi então falar com seu amigo Jônatas:

_ Jônatas meu amigo, o que faço? Seu pai foi até Ramá atrás de mim.

_ Meu pai não tem mais jeito mesmo!

_ Eu não entendo Jônatas... Por que seu pai me odeia tanto, hein? O que foi que eu fiz pra ele?

_ Eu não sei meu amigo, mas oro para que Deus não permita que você morra, Davi!

_ Obrigado meu amigo.

_ Sabe Davi, eu acho estranho ele ter ido até Ramá sem me dizer nada. Ele sempre me fala o que pretende fazer, por menos importante que seja.

_ Ele não fala porque sabe o quanto você gosta de mim. Tô perdido, estou à beira da morte.

_ Calma Davi.

_ COMO CALMA, ME AJUDE, AMIGO!

_ Mas como posso lhe ajudar? Me dá uma ideia.

_ Hum… Amanhã é Festa da Lua Nova, não é?

_ É, é sim. Por quê?

_ Porque justamente numa festa assim que eu sou esperado no palácio, para me sentar ao lado do rei e tal.

_ Sim, prossiga...

_ Então. Acontece que eu não vou à festa. Vou me esconder no campo e ficar esperando por você.

_ Tá bom e o que eu faço?

_ Se seu pai notar minha ausência, você vai dizer a ele que eu pedi licença para ir a Belém visitar minha família. Mas na realidade eu vou estar escondido no campo.

_ Entendi...

_ Então. Você só vai dizer isso para ver qual será a reação do seu pai. Se ele disser que está tudo bem, então estará tudo bem mesmo. Mas se ficar com raiva, isso significa que ainda quer me matar. Entendeu?

_ Entendi. Venha comigo, vamos até o campo. 
Eles foram, e Jônatas disse a Davi: 

_ Que o SENHOR, o Deus de Israel, seja nossa testemunha. Amanhã e depois de amanhã, a esta hora, eu vou fazer algumas perguntas ao meu pai. Se a intenção dele para com você for boa, eu lhe mandarei dizer, fique tranquilo.

_ Ok amigo.

_ Mas, se ele tiver a intenção de fazer alguma coisa contra você, que o SENHOR Deus me mate se eu não enviar uma mensagem a você e não deixá-lo ir embora são e salvo! Que o SENHOR esteja com você, assim como esteve com o meu pai!

_ Você pode fazer isso mesmo? Pensa bem, Jônatas. Eu estou pedindo para você trair seu pai.

_ Calma Davi, isso não chega a ser assim uma traiçãããão.

_ Tem certeza de que quer mesmo fazer isso? Você podia muito bem me matar agora. Seu pai ia te recompensar muito bem.

_ Que é isso? Tá maluco Davi. Eu sou seu amigo, esqueceu? Você é o melhor amigo que já tive.

_ Você também meu amigo. 

_ Davi, se por acaso, depois destes problemas, eu continuar vivo, cumpra a sua promessa sagrada e seja fiel a mim. Mas, se eu morrer, trate sempre a minha família com bondade. E, quando o SENHOR destruir completamente todos os nossos inimigos, que nós não quebremos a promessa que fizemos um ao outro. Se você a quebrar, Deus o castigará.

_ Pode confiar em mim, amigo.
Novamente Jônatas fez um juramento de amizade a Davi, pois ele amava Davi como a si mesmo.

_ Fique tranquilo, jamais me esquecerei de você. Mas e aí, como é que você vai me avisar do estado de espírito do seu pai?

_ Hum. Tá vendo aquelas pedras ali?

_ Sim.

_ Então...

Continua na próxima postagem!

Leia Mais ►
Images

A DEPRESSÃO DE ROBIN WILLIAMS, FAUSTO, CHORÃO, ELIAS... O MAL DO SÉCULO... COMO ENFRENTÁ-LA?


A DEPRESSÃO DE ROBIN WILLIAMS, FAUSTO, CHORÃO, ELIAS... O MAL DO SÉCULO... COMO ENFRENTÁ-LA? 

Como lutar contra uma doença que não respeita nem personalidades como Robin Williams e tantos outros famosos? 

Descubra neste vídeo, algumas dicas para enfrentar a depressão. 

Como Elias, conseguiu enfrentar este mal que assola a vida de milhares de pessoas? 

Leia Mais ►
Images

SAIBA AGORA, COMO EU SAÍ DA FALÊNCIA, PROCRASTINAÇÃO E DEPRESSÃO!


SAIBA AGORA, COMO EU SAÍ DA FALÊNCIA, PROCRASTINAÇÃO E DEPRESSÃO!

Olá meu prezado leitor do Código da Bíblia!

Sou Coach aqui em Florianópolis, cristão, escrevo neste blog desde 2009, vivo uma vida maravilhosa, sou apaixonado pela minha família, sirvo a Deus apaixonadamente...

Mas nem sempre minha vida foi assim. Deixe eu revelar a você, como Deus me ajudou a sair da falência, de uma vida de procrastinação e consecutivamente da depressão!

Se você ainda não faz parte do grupo de pessoas que estão REVOLUCIONADO suas vidas com o “CONQUISTE.ORG”, então ainda há tempo.

Neste processo de Coaching, você descobrirá um mundo fantástico de informações que me tirou do fundo do poço.

A apenas três anos atrás eu estava totalmente perdido...

Tinha três empresas, porém, todas indo a falência, trabalha como um louco, por conta disso estava com sérios problemas em meu casamento, minhas de dívidas ultrapassavam mais de meio milhão de reais, estava quase perdendo minha casa para o banco, entrando em depressão, não tinha mais vontade de acordar, ir para o trabalho virou uma tortura, queria morrer, em fim, vivia um verdadeiro inferno aqui na terra.

Mas de uma forma incrível DEUS me levou  a aprender uma estratégia que deu uma guinada surpreendente em minha vida!

Desde muito cedo aprendi que Deus ajuda a quem sedo madruga. Aprendi que Deus faz a parte dele, a parte sobrenatural, mas temos que fazer a nossa parte, a parte humana.

Isso mudou quando li em João 11, a passagem em que Jesus ressuscita Lázaro, mas antes, pede que tirem a pedra que impediria a saída de Lázaro. Ressuscitar Lázaro era o sobrenatural, isso é com Deus, tirar a pedra é a parte humana, isso é comigo.

Aprendi a lição. Investi em conhecimentos, me retirei, viajei, estudei muito, me formei em Coaching, busquei certificações internacionais, e coloquei em prática uma estratégia fantástica e o resultado é que hoje vivo meus mais improváveis sonhos.

Com a graça de Deus, conquistei tudo o que sonhei. Hoje trabalho com o que amo, minha casa é um pedacinho do céu, acordo todos os dias com uma energia incrível, ajudo pessoas e saírem dos problemas que um dia me atormentaram, sirvo voluntariamente em algumas instituições dando palestras e treinamento, trabalho em meu Home Office apenas 4 horas por dia, atualmente estou escrevendo dois livros, viajo o Brasil palestrando, em fim, gostaria muito de poder ajudar aquelas pessoas que estão insatisfeitas com a vida que estão levando.

Por isso, desenvolvi um processo de Coaching Online, que me permite acompanhar um grande número de pessoas.

A estratégia que tenho revelado neste curso, é o que revolucionou minha vida desde então e tem revolucionado a vida de centenas de pessoas.

SE VOCÊ QUER DAR UM BASTA A TANTAS DECEPÇÕES, FAÇA SUA INSCRIÇÃO E DEIXE EU LHE ACOMPANHAR NESTA MUDANÇA!


Leia Mais ►
Images

1 Samuel 19: 18-24 - Saul, profetiza completamente nu!


Saul, profetiza completamente nu!

1 Samuel 19: 18-24

Davi escapou, foi para Ramá e contou a Samuel tudo o que Saul tinha feito contra ele. 

Samuel percebeu que Davi corria risco de vida e o levou para Naiote, a Casa dos Profetas.

Porém Saul tinha espiões espalhados por todo canto, e poucos dias depois já sabia que Davi estava na casa dos profetas, em Ramá e mandou alguns homens lá para prendê-lo. 

Os soldados foram imediatamente para Ramá, e quando lá chegaram informaram-se e logo ficaram sabendo onde era a Casa dos Profetas. 

Quando chegaram, porém, viram o profeta Samuel à frente de um número de profetas profetizando. 

Então o Espírito de Deus se apossou dos soldados, que começaram também a profetizar alegremente junto de Samuel e os demais profetas.

Os espiões rapidamente fizeram a notícia chegar a Saul: 

_ Majestade, seus soldados enviados para prender Davi enlouqueceram de vez. 

O rei então mandou outros soldados a Ramá. 

Mas quando estes lá chegaram, começaram a profetizar, assim como o terceiro anterior. 

Revoltado com a loucura contagiosa dos soldados, Saul decidiu ir até lá pessoalmente para ver o que estava acontecendo. 

Quando chegou a um poço grande na cidade de Seco, perguntou onde estavam Samuel e Davi, e lhe disseram que eles estavam na casa dos profetas. 

Enquanto Saul estava indo para lá, o Espírito de Deus o dominou também, e ele foi profetizando por todo o caminho, até chegar à casa dos profetas.

Quando chegou à Casa dos Profetas, tirou toda a roupa e ficou profetizando na frente de Samuel. 

Passou o dia e a noite deitado no chão, nu e profetizando. 

Escondido num canto, Davi assistia à cena sem entender nada: o rei de Israel, seu mais temível inimigo jazia no chão, pelado, cantando alto e batendo palmas. 

Seria o fim das perseguições? 

Davi acreditava que não. 

E tinha razão.

Em Cristo!

Leia Mais ►
Images

1 Samuel 19:8-17 - Saul ataca Davi com uma lança pela terceira vez!


Saul ataca Davi com uma lança pela terceira vez!

1 Samuel 19:8-17

A harmonia durou pouco tempo, Saul novamente foi dominado por um espírito maligno e na primeira oportunidade que teve, ao ver Davi tocando sua arpa tranquilamente, jogou sua lança na direção do genro a fim de mata-lo.

Esta foi à terceira vez que ele tenta mata-lo desta forma. Davi que já estava esperto desviou-se da lança e saiu correndo, dessa vez jurando a si mesmo que nunca mais colocaria os pés no palácio daquele rei maluco. Tudo bem que o rei tinha seus surtos vez por outra, mas aquilo já era demais para um mortal.

Na mesma noite, abandonando de vez seus juramentos, Saul envia alguns homens para ficarem de tocaia na casa de Davi. 

A ordem era trazê-lo como prisioneiro, para que fosse executado na manhã seguinte. 

Os homens saíram e ficaram espionando a casa. 

Mical, esposa de Davi, percebeu a movimentação estranha e avisou ao marido:

_ Querido, acho melhor você fugir. Tem uns homens aí fora, e sei que foram enviados pelo meu pai para matarem você.

Davi nem titubeou. Com a ajuda da esposa, desceu por uma janela nos fundos da casa. 

Em seguida, Mical pegou uma estátua, provavelmente uma imagem de algum ídolo que ela adorava as escondidas e a colocou deitada na cama, com um pedaço de pele de cabra tingida de vermelho na cabeça. 

Cobriu sua obra de arte com uma capa para que se parecesse com uma pessoa moribunda. Mal era acabara de concluir sua obra barroca, ouviu batidas na porta da frente. Foi atender como se não soubesse de nada;

_ O que desejam?

_ Temos ordens de Sua Majestade, vosso pai para fazer uma averiguação em sua casa.
_ Mas que absurdo, para que esta averiguação?

_ São ordens de sua majestade senhora, por favor, não obstrua nosso trabalho!

_ Não estou obstruindo nada. Só queria saber o motivo desta invasão a esta hora da noite.

_ Seguinte madame, viemos levar Davi, por ordens do rei Saul?

_ Eu sou filha do rei, e Davi é meu esposo! Voltem para suas guaridas imediatamente.

_ Temos ordem de só retornar acompanhados de Davi.

_ Sei, mas vocês não poderão leva-lo, pois ele encontra-se muito adoentado. Ao tentar fugir do maluco do meu pai, acabou se machucando e agora precisa de repouso.

_ Ah. Hum. Então o Davi encontra-se enfermo?

_ Foi o que eu disse.

_ Podemos dar uma averiguada?

_ Sim, entrem e vejam, só não façam barulho...

Depois de comprovarem que o suposto Davi estava na cama, voltaram para ao palácio com a notícia:

_ Majestade, fomos até a casa de sua filha, mas Davi encontra-se seriamente adoentado, o que nos impede trazê-lo até sua presença.

_ Hein?

_ Davi está doente senhor!

_ E daí? Seus incompetentes! Mandei que o trouxessem aqui. Aceitaram esta mentira descarada?

_ Mas foi sua filha que nos informou senhor!

_ Ah, querem saber? Vou com vocês.

Os agentes deram de ombros e voltaram à casa de Davi, dessa vez acompanhados pelo rei possesso. Bateram à porta e Mical gritou lá de dentro, impaciente:

_ Quem é?

_ Guardas do rei madame!

_ Mas de novo? Eu já não disse que meu marido está doente?

_ Sim madame, mas o rei nos deu ordens para levar Davi de qualquer maneira.

_ MAS EU JÁ FALEI, ELE TÁ DOENTE! ACAMADO! NÃO PODE SE LEV…

_ MICAAAAL?

_ Papai?

_ ABRA ESTA PORTA IMEDIATAMENTE GAROTA!

Mical gelou quando ouviu aquela voz possessa de seu pai. 

Já estava acostumada com seus ataques de fúria e não achava prudente enfrentar o cão raivoso, então abriu a porta.

_ Onde está Davi? Falou Saul babando de raiva.

_ L-lá em cima. Na cama... Ele não está bem, papai...

Saul subiu esfregando as mãos de ansiedade, com os homens atrás dele. 

Imaginem vocês a surpresa dele quando puxou a manta gritando “ARRÁ!” e viu a estátua na cama...

_ MICAL!

_ S-sim, pai querido?

_ O QUE SIGNIFICA ISSO? QUE PALHAÇADA É ESSA HEIN? POR QUE VOCÊ ME FEZ PASSAR POR ESTE PAPELÃO?

_ Não tive alternativas meu pai. Ele me obrigou a ajuda-lo a fugir, se não iria me matar se eu não o ajudasse a escapar!

Toda aquela confusão foi o suficiente para que Davi conseguisse fugir com tranquilidade para bem longe, em Ramá, mais precisamente. 

Ida para Ramá foi estratégica, pois era lá que morava seu aliado mais importante, o único capaz de ser respeitado por Saul.

Quem era esse homem?

É o que veremos na próxima postagem!

Em Cristo!
Leia Mais ►
Images

1 Samuel 19:1-7 - Saul surta novamente contra Davi!


Saul surta novamente contra Davi!

1 Samuel 19:1-7

_ Quero Davi morto, e matarei aqueles que me impedirem!

Eles ouviam calados, sabendo que qualquer um que ousasse defender a Davi corria o risco de terminar seus dias espetados na parede como borboletas decorativas.

Ouviram tudo calados, e calados ficaram, menos Jônatas, que correu para avisar o amigo:

_ Davi, meu pai enlouqueceu novamente. Tá com aquela ideia fixa de te matar.

_ Ah, não, e o que é que eu fiz desta vez?

_ Não sei. Só sei que é bom você se proteger. Antes ele tentava disfarçar, agora não: chamou a mim e aos oficiais e pediu sua cabeça.

_ Mas e então? O que eu faço? Fujo?

_ Não, ainda não. O povo gosta de você. Trate de se esconder em algum lugar até amanhã cedo. Eu vou falar com meu pai, tentar fazer o velho mudar de ideia. Depois te conto o resultado.

_ Tudo bem, ficarei no aguardo.

Conforme planejado, no dia seguinte, Davi ficou escondido enquanto Jônatas falava com Saul. 

Como de costume, Saul alternava dias de fúria com dias de calmaria.

_ Meu pai, não faça nenhum mal ao seu servidor Davi, pois ele nunca lhe fez nenhum mal. 

Pelo contrário, tudo o que ele tem feito tem ajudado bastante o senhor. 

_ Hum...

_ Ele arriscou a própria vida quando matou Golias, e por meio dele o SENHOR Deus conquistou uma grande vitória para Israel. 

_ Ele fez isso porque quis, não lhe mandei enfrentar Golias...

_ Mas o senhor mesmo viu isso e ficou contente. Então, por que o senhor, meu pai, faria mal a um homem inocente, matando Davi sem nenhuma razão?

_ Hum. É, você tem razão. Acho que exagerei.

_ Sério? Então o senhor não vai mais perseguir o Davi?

_ Juro em nome do SENHOR, o Deus vivo, que Davi não será morto.

_ Obrigado meu pai.

Jônatas saiu dali e foi contar para Davi o que havia ocorrido. Levou o amigo à presença do pai e assistiu, feliz, à reconciliação dos dois. Davi voltou ao palácio com sua harpa e empregou-se novamente no serviço do rei. 

Tudo estava muito bom, tudo ia muito bem até Saul surtar novamente.

Em Cristo!
Leia Mais ►
Images

I Samuel 18: 17- 30 - Davi paga 200 prepúcios para casar com Mical!


Davi paga 200 prepúcios para casar com Mical!

I Samuel 18: 17- 30

Saul passava as noites sem dormir, pensando em que posição de risco colocaria Davi nas mãos dos filisteus.

Torturava-se procurando uma resposta, até que um dia teve uma ideia. 

Sabia que entre duas nações em guerra, as famílias dos reis eram alvos preferenciais para abalar o moral do inimigo. 

Davi não era de sua família, mas poderia ser. 

Com esse desígnio em mente, no mesmo dia chamou Davi à sua presença.

_ Davi?
_ Sim Majestade?

_ Você pensa em se casar meu rapaz?

_ Claro, majestade, claro. Mas acho que ainda sou muito novo para isso.

_ Bobagem, bobagem meu rapaz! O que você acha de Merabe, minha filha mais velha?

_ Quem?

_ Merabe!

_ Ah… É uma bela moça...

_ Pois então, eu gostaria muito que você se casasse com ela.

_ C-como é?

_ Isso mesmo! Veja que honra, você será genro do rei. Em troca, eu só lhe peço que continue sendo meu soldado fiel.

_ Fico muito honrado, senhor, mas não me entenda mal. Quem sou eu para ousar sequer pensar em ser genro do rei?

_ Bah, deixe de modéstia rapaz. Quero que você se case com ela, faço muito gosto!

Sabendo que não seria prudente discutir, Davi agradeceu e aguardou as próximas coordenadas.

Mas como já estamos cansados de saber, o rei não andava bem das ideias, e semanas depois acabou dando Merabe em casamento a outro homem, um tal Adriel, morador da cidade de Meolá.

_ Belo casamento, Saul. Está feliz?

_ Claro, Abner, claro! Adriel é um bom rapaz e o que mais importa é que minha filha esteja feliz.

_ Só tenho uma dúvida Saul meu rei...

_ Que dúvida Abner?

_ Você havia me dito que daria Merabe em casamento a Davi e não a Adriel, não é mesmo?

_ MEUS DEUS! É MESMO! Ah, mas que cabeça, a minha! E agora, Abner?

_ Hum… Ouvi dizer que sua outra filha tem interesse em Davi.

_ Mical?

_ Ela mesma.

_ Puxa vida, mas eu estou com sorte. Se ela gosta dele então vamos logo casar esses dois, antes que eu me esqueça e a ofereça a outro.

Saul com a cara de pau de sempre  comunicou a Davi o mal-entendido, e ofereceu-lhe a compensação:

_ Então Davi, você pode se casar com Mical, ela é mais jovem, mais bela e você ainda será meu genro.

_ Hum. Mas o meu rei não acha muito precipitado?

_ Besteira, bobagem! Você terá tempo o suficiente para conhecê-la depois que se casarem. Vamos logo cuidar disso.

_ Ó meu rei, o senhor pode me dar um tempo para pensar?

_ Tudo bem, mas não se demore muito, viu rapaz?

Ansioso, Saul chamou seus empregados e colegas mais próximos de Davi e ordenou-lhes que dissessem ao rapaz que o rei o admirava muito e que seria uma boa ideia casar-se com a filha dele.

Então nos dias que se seguiram, sempre que falava com algum empregado no palácio, Davi ouvia a mesma conversa:

_ Puxa, seu Davi. O rei gosta muito de você mesmo hein? 

_ Como assim?

_ Ele vive falando de você. É Davi pra cá é Davi pra lá...

_ Sério? Nem parece aquele cara que queria me matar. Será que ele está finalmente indo com a minha cara?

_ Liga não Davi. É aquela doença dele, você sabe. São apenas rompantes.

_ Sim, eu sei, eu sei. Mas eu sou pobre, não tenho nada para dar a filha do rei. Ser genro do rei é uma honra grande demais para um pobre camponês como eu.

E assim, todos os dias Saul perguntava aos empregados sobre a decisão de Davi:

_ Davi continua considerando-se incapaz de ser seu genro. Ele diz que não tem como pagar um dote.

_ Hum. Mas que moleque orgulhoso. Então vou dar uma oportunidade a ele de pagar este dote.

Quando os empregados o viram novamente, lhe falaram:

_ Davi? O rei disse que se você conseguir cem prepúcios de filisteus, você poderá casar com sua filha. Esse será o dote.

Com isso, mais uma vez, Saul esperava que os filisteus acabassem com a raça de Davi. 

Cortar os prepúcios de filisteus foi uma ideia magistral e diabólica de Saul. 

Saul sabia o quanto Davi era brioso, e usava esse orgulho como arma. Era tão orgulhoso que ao ouvir o recado, seus olhos brilharam. 

O noivado foi anunciado por todo o Israel. Antes do dia marcado para o casamento, Davi reuniu seus homens e marchou em direção à Filistia. 

Davi e seu exército mataram duzentos filisteus. 

E no dia seguinte Davi levou a Saul o dote pela sua filha: duzentos prepúcios, o dobro do que havia sido pedido e os contou na presença dele, para que assim se tornasse seu genro. 

Então Saul deu a sua filha Mical em casamento a Davi. 

O povo amava Davi, Deus amava Davi, e agora até sua filha amava Davi. 

O ciúme corroía a alma de Saul. 

Por isso, ficou com mais medo ainda de Davi e pelo resto da sua vida foi seu inimigo.

Todas as vezes que os exércitos filisteus saíam para lutar, Davi conseguia mais vitórias do que todos os outros oficiais de Saul e assim ficou muito famoso.

Em Cristo!

Leia Mais ►
Images

I Samuel 18:6-16 - Saul tenta matar Davi... Tenta.


Saul tenta matar Davi... Tenta.

I Samuel 18:6-16

Tudo parecia estar muito bem no reinado de Saul...

Davi era um herói nacional. Por conta disso, o rei firmava sua reputação por tê-lo descoberto e pela maior vitória da história contra os filisteus. Jônatas vivia bons momentos e tinha um grande amigo. Davi saia-se bem em todos os lugares aonde Saul o enviava e por isso foi promovido a comandante do exército real. E isso agradou a todo o exército, inclusive aos outros oficiais. 

Só que algo aparentemente inocente veio perturbar a paz na corte. Uma cantiga nova começou a se espalhar por Israel quando o exército voltou da batalha. 

As mulheres cantavam e dançavam na rua enquanto Saul desfilava em carro aberto, e ao prestar atenção na letra o rei ficou muito indignado. Que música era essa? 

_ Saul matou mil; Davi matou dez mil!

Foi uma situação muito constrangedora para vaidoso rei. E obviamente Saul não gostou nada disso. Ficou muito zangado e disse:

_ Mas que absurdo! Que palhaçada é essa? Para mim as mulheres dizem mil, mas para Davi dizem dez mil? A única coisa que está faltando agora é ele ser rei!

E desse dia em diante Saul começou a ter ciúme de Davi e a desconfiar dele.

No dia seguinte ao desfile, o tal espírito maligno dominou Saul, e dessa vez com força total. 

Ele começou a agir como louco dentro de casa. Tomado pela paranoia, tinha certeza de que Davi pretendia usurpar-lhe o trono.

Davi, sem saber do que se passava na mente demoníaca do rei, correu para seus aposentos para tocar harpa à talvez assim aplacar a fúria da Saul. 

Ao ouvir o som da harpa foi ao encontro de Davi. Lá estava ele tocando, como fazia todos os dias, e Saul segurando uma lança.

Então Saul pensou assim:

_ Vou espetar este miserável na parede como uma mariposa de coleção.

Pensou e agiu. Babando de raiva, atirou covardemente a lança contra Davi.

O jovem, porém, tinha reflexos rápidos, e conseguiu desviar-se da lança. 

Tomado pelo ódio e pela loucura cega, Saul tentou mais uma vez, e outra vez Davi desviou-se. 

Davi como não era besta nem nada, saiu correndo como um guepardo. 

MAS O SENHOR estava com Davi e havia abandonado Saul; por isso, Saul tinha medo de Davi. 

Depois deste episódio, Davi não voltaria mais a tocar sua música no palácio, mas por iniciativa do rei, foi nomeado a um simples comandante de mil homens. Saul não suportava mais ver a cara do moço ruivo.

Colocando-o nesta posição intermediária não tão alta a ponto de ficar longe da batalha nem tão baixa a ponto de ser apenas mais um entre tantos, Saul esperava que os filisteus logo o livrassem daquela pedra no sapato. 

Davi comandava os seus soldados na batalha, e tudo o que fazia dava certo, pois o SENHOR estava com ele. 

Saul via o sucesso de Davi e ficava ainda com mais medo dele. 

Tudo o que ele fazia dava certo, os israelitas o adoravam, e o ódio do rei por Davi não parava de crescer, como veremos na próxima postagem!

Em Cristo!
Leia Mais ►
Images

I Samuel 18:1-4 - A amizade entre Davi e Jônatas!


A amizade entre Davi e Jônatas!

I Samuel 18:1-4


O temível Golias não existe mais, um momento de paz é vivido no reinado de Saul, Davi o herói vive no palácio e aos poucos vai se acostumando com novas amizades.

Uma das amizades mais importantes e confiáveis de Davi iniciada com o filho de Saul, Jônatas.

Os dois haviam se tornado grandes amigos. Eram confidentes, tinham um senso de humor parecido. Eram ambos corajosos e impetuosos como qualquer jovem. Os dois amigos tinham uma fé simples no poder e na atuação de Deus. Eles eram iguais quanto a isso. 

Os dois teriam mais oportunidades para suas longas conversas, para as aventuras e para batalhas.

A amizade era tão verdadeira e sincera que Jônatas e Davi fizeram um juramento de amizade, pois Jônatas tinha grande amor por Davi. 

Certa vez Jônatas como demonstração de sua alegria, deu de presente algumas de suas coisas: uma capa, uma espada, um arco, um cinto e até sua armadura.

_ Ei, seu desajeitado, toma aqui, um presentinho para você.

_ Pô, Jônatas. Você não sabe que eu não sei usar armadura?

_ Sei, por isso mesmo te dei essa de presente. Você precisa se acostumar.
Não pode sair por aí matando gigantes sem uma armadura.

_ Engraçadinho...         

_ Engraçado foi ver você usando a armadura antes de ir lá matar o Golias. Parecia uma tartaruga.

_ Tartaruga é tua vó.

_ Apelou, perdeu playboy!

_ Vai ver se estou na esquina.

_ Babaca.

_ Hahahahaja!

Davi e Jonatas desenvolveram um belo exemplo de amizade masculina.

A lealdade entre os dois era tão ou mais forte que um afeto entre irmãos
Nas próximas postagens veremos o quanto à amizade de Jônatas foi valiosa para Davi.

Sempre que se fala da amizade entre Jônatas e Davi, alguns desocupados levantam a hipótese do relacionamento homossexual entre os dois.

Nos últimos tempos temos visto muitos homossexuais procurando na Bíblia textos que possam apoiar suas práticas.

Um dos textos que têm sido usados é o que fala a respeito de Jônatas, filho do rei Saul, e o rei Davi. 

Como se fosse impossível uma amizade entre dois homens...

O livro de provérbios destaca que existem amizades tão fortes que podem até superar o amor de irmãos: O homem que tem muitos amigos sai perdendo; mas há amigo mais chegado do que um irmão.” (Provérbios 18.24). 

Era esse tipo de amor especial, forte, leal, compromissado que havia entre Jônatas e o Rei Davi, conforme os relatos bíblicos!

A dificuldade de Davi nunca foi homossexual.

Seu problema era a poligamia (Mical, Abigail, Ainoã, Maaca, Hagita, Abital,Eglá, Bate Seba e outras) e seu adultério com a mulher de Urias mostram que a dificuldade do famoso salmista era heterossexual (1 Sm 18.27, 25.42-43, 2 Sm 3.2-5,11.1-27).

Sobre este assunto escreveu muito bem o rabino Henry I. Sobel, da Congregação Israelita Paulista: 

“O íntimo relacionamento entre Jônatas e Davi é visto na Bíblia como um modelo de amizade. Em nenhum lugar das Escrituras se encontra referência a uma ligação homossexual entre eles. O versículo normalmente citado para justificar o homossexualismo é aquele em que Davi chora a morte de Jônatas, dizendo: ‘Teu amor me era mais precioso que o amor das mulheres’ (2 Sm 1.26). É importante observar, entretanto, que a palavra hebraica ahavá não significa apenas amor no sentido conjugal/sexual, mas também no sentido paternal (‘Isaque gostava de Esaú’, em Gn 25.28), no sentido de amizade ( ‘Saul afeiçoou-se a Davi’, em 1 Sm 16.21), no sentido de amor a Deus (‘Amarás o Senhor, teu Deus’, em Dt 6.5) e no sentido de amor ao próximo (‘Amarás o próximo como a ti mesmo’, em Lv 19.18). Em todos estes exemplos, o verbo usado na Torá (a Bíblia hebraica) é ahavá. É por razão linguística — e não por falso pudor — que a maioria das traduções bíblicas cita 1 Samuel 1.26 ‘Tua amizade me era mais preciosa que o amor das mulheres’.” 

Em Cristo!

A seguir: Saul tenta matar Davi... Tenta.


Leia Mais ►