Images

Gênesis 18:1-9


Abraão e a impressionante sexta aparição de Deus - I.
V-1.
Há aproximadamente um ano antes do nascimento do filho prometido, lá no bosque sagrado de Manre, por volta do meio dia, Abraão estava sentado na entrada da sua barraca, provavelmente descansando do almoço.

V-2.
Quando olhou para cima, viu três homens, de pé vindo em sua direção.

Abraão não se tinha dado conta, todavia da identidade deles.

Apenas viu os três forasteiros cansados de viajar que procuravam repouso e alimento.

Correu a seu encontro com verdadeira cortesia oriental para oferecer-lhes as comodidades de sua casa, inclinando-se ante eles em harmonia, como de costume no Oriente.

Esta forma de saudar de nenhuma maneira indica que Abraão reconheceu a Deus como um dos três.

V-3.
Com típico encanto e hospitalidade oriental, Abraão convidou aos forasteiros há ficar o tempo suficiente para recuperar suas forças.

_ Senhores, se eu mereço a sua atenção, não pas sem pela minha humilde casa sem me fazerem uma visita.

Será que Abraão desconfiava que eles fossem anjos para oferecer tanta cortesia?

Se não desconfiava, pelo menos mostra aqui uma incrível hospitalidade para com os estranhos e viajantes.

A gastronomia de Abraão

V- 4,5.
_ Vou mandar trazer água para lavarem os pés, e depois os senhores descansarão aqui debaixo da árvore.

A primeira menção que fez Abraão de água para lavar os pés dos cansados viajantes é um fator necessário na hospitalidade em alguns países orientais até o dia de hoje.

_ Também vou trazer um pouco de comida, e assim terão forças para continuar a viagem. Os senhores me honraram com a sua visita; portanto, deixem que eu os sirva.

Eles responderam:

_ Está bem, nós aceitamos.

V-6-8.
Abraão correu para dentro da barraca e disse a Sara:

_ Mulher, depressa! Pegue uns dez quilos de farinha e faça pão.

Como um chefe beduíno da atualidade, Abraão ordenou a sua esposa que tomasse três medidas, de flor de farinha e que as cozinhasse. O cozimento foi feito sobre pedras quentes.

Em seguida ele correu até onde estava o gado, escolheu um bom bezerro novo e o entregou a um dos empregados, que o preparou para ser assado.

Depois de estar pronto o churrasco, Abraão pegou a coalhada (considerada como um manjar em muitos países orientais ainda hoje), o leite e a carne preparada e pôs tudo diante dos visitantes.

Ali, debaixo da árvore, ele mesmo serviu a comida e ficou olhando os três saborearem seu menu..
O cardápio apresentado constituiu numa comida generosa e sustentável.

Abraão lhes deu o melhor do que tinha.

V- 9.
Logo após terem apreciado a comida, fizeram uma pergunta que era absolutamente contra a cortesia oriental da época;

_ Onde está Sara?

Caramba, as visitas cometeram uma grande gafe!

Segundo os costumes da época, visitas estranhas a família, não deviam saber o nome de uma esposa nem usá-lo.

O fato de saberem o nome de Sara provavelmente sugeriu a Abraão que seus hóspedes eram mais do que homens e a pergunta mostrava que a visita tinha alguma coisa a ver com Sara.

O diálogo seguinte mostrará suas identidades e Abraão reconhecerá para quem ele foi tão hospitaleiro.

Em Cristo;

Sobre o Autor:
CLAILTON LUIZ Clailton Luiz - Empresário, Palestrante, Especialista em Gestão de Tempo e Produtividade, Escritor, Autor do Livro “Empreendedor Gourmet”, Professional e Self Coach, Leader Coach, Analista Comportamental pela Coaching Assessment. Líder de Jovens e adolescentes, pregador, professor e amante da Palavra de Deus!

6 comentários:

  1. amei a maneira simples com que esclareceu os fatos, me ajudou muito

    ResponderExcluir
  2. Gostei da maneira com que vc esclareceu os fatos, me ajudou bastante.

    ResponderExcluir
  3. Acho que o mais importante foi esquecido por você, em seus comentários:
    Devia ter lembrado que este mesmo fato foi repetido pelo próprio Deus pela presença de Jesus entre nós, ao lavar os pés dos Apóstolos antes da Ceia Pascal, onde, pela Graça, quem seria o alimento desta Graça para Salvar o mundo seria o próprio corpo do Mestre dos mestre, e Senhor dos senhores, nosso Deus e Salvador, o Senhor Jesus e nosso Cristo.
    Um bocado de pão foi preparado em três medidas divinas de graça, pela presença do Pai, do Filho e do Espírito Santo, no Filho do Homem ali presente, para ser servido e servir a todos.
    Isto exige-nos dois olhares de fé como o ocorrido com Abraão quando recebeu a presença do Senhor Javé seguido, também, da presença de três anjos.
    Em Abraão 18 vemos que por ele o filho do homem alimentou a graça que vinha na parte de Deus para destruir Sodoma e Gomorra e sem chances, apesar da intersessão direta de Abraão junto a Deus, essa destruição foi executada.
    Em Jesus vemos que o Filho do Homem alimentou agora como graça no meio de todos, há 12 Apóstolos, onde vemos que este número que passou de três para doze é o que Jesus planeja e espera para Sua igreja, que O toma e O serve como alimento para a humanidade toda, representada por estes 12 homens.
    O Cordeiro imolado é dado agora como alimento de vida eterna, substituindo o alimento dado a Adão e Eva como fruto da Árvore de Lúcifer, colhido e servido ao homem desta gerada pelo seu orgulho, ambição, inveja, ódio e busca de poder.
    Em Jesus vemos por sua mensagem que o homem não precisa de nada deste mundo para ir ao céu, mas sim fazer a graça do céu por Sua ajuda superar a desgraça plantada e regente em nosso meio pela presença do agora Satanás, Senhor dos senhores deste mundo tenebroso.
    A graça nos basta, e quaisquer detalhes mundanos devem ser pregados na cruz de Cristo, para ressuscitar em nós como presença de Cristo, por sua infinita misericórdia, antes de podermos tomá-los para alimento de nossas almas. Esta é a máquina do Amor de Deus gerada pela Cruz de Cristo, agir sozinho sem Jesus, é o mesmo que voltar a buscar do alimento da árvore maligna, pois estaremos desprezando a graça de Deus.
    Este é o mistério regido pelo alimento Eucarístico de Jesus aos Seus Apóstolos e que deve ser levado a todos nós.
    E enquanto isto, devemos cuidar de uma coisa: Sara tirou uma na cara de Deus ao se desacreditar de Seu poder, contrastando sua realidade com a realidade anunciada por Deus, e riu quando foi anunciado o novo nascimento, sorriso que podemos dizer que é o mesmo que ocorre quando tomamos deste Pão do Céu e nos alimentamos dele e alguns riem de nós pelas costas.
    Dizer barbaridades do alimento do cordeiro imolado, somente se justificando pela necessidade de julgar e destruir outras igrejas, isto é na realidade pior que os pecados de Sodoma e Gomorra, creio eu, pois está se pecando contra o Espírito Santo presente em Graça para nos proteger e salvar a todos.
    Perdão Senhor por todos que vivem este engano e não reconhecem a Sua presença no Pão servido como alimento eucarístico nos altares católicos.
    Pois se esqueceram que foram justamente os Sodomitas, cegados pelos seus erros, que foram à casa de Lot, para tomar dos Santos pois haviam alguns homens que se interessavam por eles para suas loucuras.
    Em Abraão vemos que ele primeiro viu ao Senhor e depois viu os três anjos.
    Esta visão de Abraão, justamente, por ele ser quem é, nosso Pai das bênçãos do alto, nos alerta que nossos olhos da fé enxergam, não por nossa vontade, mas sim, pela vontade de Deus naqueles que ele escolhe para agir e realizar as suas obras.
    A graça como Sol não é para alguns, mas sim brilha para todos, inclusive para aqueles que menos achamos estar preparados para ela.
    O vento sopra onde quer, você ouve-lhe o ruído, mas não sabe de onde vem nem para onde vai, assim acontece com aqueles que nascem do Espírito.
    Lutemos para não pecar contra o Espírito Santo, pois este pecado não tem perdão!

    ResponderExcluir
  4. Podem arrumar onde coloquei Abraão 18, para Gênesis 18?

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails