Images

Gênesis:27: 29-38


Esaú fica inconformado

V-29.
Isaque acabou de dar a bênção, e Jacó ia saindo, quando Esaú chegou, vindo da caçada.
Ele também fez uma comida gostosa e levou para o pai.

Aí disse:
_ Levante-se, por favor, coma da caça que eu matei e depois me abençoe.

V-32.
Então Isaque perguntou:

_ Quem é você?

_ Eu sou Esaú, o seu filho mais velho.

A surpresa deve ter sido um golpe para Isaque.

V-33
Isaque começou então a tremer, com aquela sensação que temos quando alguém trai nossa confiança, mas ainda não queremos acreditar que seja verdade. E disse:

_ Então quem foi que caçou um animal e trouxe para mim? Eu comi antes que você chegasse e dei àquele homem a minha bênção. Ele é quem será abençoado.

V-34
Ao ouvir isso, Esaú deu um grito cheio de amargura, feito algum bicho pego numa armadilha e disse:

_ Não pode ser! Meu pai dê a sua bênção para mim também!

V-35
Porém Isaque respondeu:

_ Foi seu irmão, ele veio, me enganou e ficou com a bênção que era sua.

V-36.
Esaú disse:

_ Ah, mas esta é a segunda vez que este moleque me engana. Foi com razão que puseram nele o nome de Jacó. Primeiro ele me tirou os direitos de filho mais velho e agora veio até aqui na trairagem e me tira a bênção que era minha? Pai... Será que o senhor não guardou nenhuma bênção para mim?

Depois ter vendido sua primogenitura a Jacó, parecia demasiadamente tarde o reconhecimento da sua necessidade ser o filho mais velho.

V-37
Isaque respondeu:
_ Eu já dei a Jacó autoridade sobre você e fiz com que todos os parentes de Jacó sejam escravos dele. Também disse que ele terá muito trigo e muito vinho. Agora não posso fazer nada por você, meu filho.

Parece que Isaque viu no incidente a intervenção da Providência e chegou à conclusão de que qualquer outra tentativa de sua parte para atuar contra da vontade de Deus seria inútil.

Portanto, não estava disposto a retirar a bênção de Jacó nem a amaldiçoá-lo.

Isaque deve ter compreendido sua própria responsabilidade pela triste situação.

Da mesma forma que Esaú tinha atuado independentemente de seus pais na escolha de uma esposa pagã, assim também Isaque tinha atuado independentemente de Deus ao escolher seu herdeiro.

V-38.
Porém Esaú insistiu:

_ Será que o senhor tem só uma bênçãozinha? Abençoe também a mim, meu pai. E começou a chorar alto.
Certamente, Deus tem um número ilimitado de bênçãos e está disposto a nos dar com mão generosa.

Se Esaú tivesse compreendido que seu caráter defeituoso o desqualificava para receber a bênção, e que poderia ser sua unicamente mudando de atitude, em tal caso as bênçãos de Deus a Abraão e Isaque poderiam ter sido suas também.

Mas Esaú não pensava nisto quando falou.

Queria a bênção sem nenhuma intenção de aceitar as obrigações que a acompanhavam.

Quando mesmo seu pai, seu melhor amigo, parecia voltar-se contra ele, finalmente Esaú voltou para si e compreendeu a completa rejeição de parte de Deus por suas atitudes.

Suas lágrimas expressaram pesar por sua perda, mas não pela conduta que tinha feito inevitável esta perda.

Suas lágrimas não tiveram valor porque não era já capaz de arrepender-se verdadeiramente.

Como um abismo insondável, seu caráter imperfeito se levantava entre ele e o entendimento do que agora lhe parecia de valor incomparável.

Inconformado e muito bravo, buscará agora um culpado de toda esta confusão...

O quê?

Se Esaú ficou bravo com o irmão?

Bravo é pouco!

Esperem só pra ver…

Em Cristo;

Sobre o Autor:
CLAILTON LUIZ Clailton Luiz - Empresário, Palestrante, Especialista em Gestão de Tempo e Produtividade, Escritor, Autor do Livro “Empreendedor Gourmet”, Professional e Self Coach, Leader Coach, Analista Comportamental pela Coaching Assessment. Líder de Jovens e adolescentes, pregador, professor e amante da Palavra de Deus!

2 comentários:

  1. Alguém pode sentir pena de Esaú, mas devemos lembrar que ele foi um homem ímpio que não somente foi indigno do direito de primogenitura e da benção, como também tinha conhecimento de que, pela vontade de Deus, estas coisas não pertenciam a ele. Hebreus 12:17 não é uma indicação de que Esaú estava arrependido de seu pecado, mas o desejo de que Isaque mudasse ou aniquilasse as bênçãos dadas a Jacó. Ele estava tentando aniquilar o plano de Deus. É triste o fato de que Esaú pudesse acusar Jacó de trapaça [vers. 36]. Como Jacó prejudicou o seu testemunho com tudo isso.

    ResponderExcluir
  2. Jacó era um crente, mas veja só a sua conduta: Ele até tomou o nome de Deus em vão enquanto executava seus astutos planos. A sua fé o levou a desejar as bênçãos, mas ele buscou isso de maneira carnal.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails