Images

Gênesis 31:23-35 - Labão alcança Jacó


Labão alcança Jacó

V-23.
Labão não perseguiu os fugitivos imediatamente após receber a notícia de sua fuga. Sabia que Jacó iria lentamente e, portanto, ele não precisava apressar-se.

Labão recebeu a notícia dois ou três dias após a fuga de Jacó, e o atingiu após uma perseguição de sete dias, na região montanhosa de Gileade.



Esta região está a uns 450 km de Harã, distância que pode ser percorrida por camelos rápidos em sete dias, o tempo que precisou Labão.



V-24,25.
Então Labão e os seus parentes e empregados acamparam no mesmo lugar, aguardando para atacar logo ao amanhecer.

Numa forma completamente inesperada Deus cumpriu a promessa feita há Jacó 20 anos antes.

Naquela noite Deus apareceu num sonho a Labão, e disse:

_ Tome muito cuidado com o que você pretende fazer! Não faça nada a Jacó.

V-26
No dia seguinte Labão invade inesperadamente o acampamento de Jacó, e para surpresa de todos, assume o papel de um bom pai, ofendido e profundamente ferido;

_ Jacó meu filho... Por que você me enganou desse jeito? Levando consigo as minhas filhas como se fossem prisioneiras de guerra?

V-27.
E continuou sua lamúria;

_ Fugiu sem me dizer nada... Se você tivesse falado comigo, eu teria preparado uma festa alegre de despedida, com canções acompanhadas de pandeiros e de liras.

Com toda certeza, o fato de Labão somente falar ao invés de tratá-los como talvez ele achasse que merecessem se deveu ao fato de Deus tê-lo ameaçado.

V-28
Labão continua sua péssima interpretação de bom pai;

_ Você nem me deixou beijar os meus netos e as minhas filhas. O que você fez foi coisa de gente sem juízo rapaz!

Cada palavra deste discurso é repugnante para uma pessoa honesta.

Labão se descreve a si mesmo como um modelo de amor paternal, enquanto reputa Jacó como um salafrário.

V-29
Então como um péssimo ator que era, revela o porque de sua conduta passífica;

_ Eu poderia ter feito muito mal a vocês, mas na noite passada o Deus do seu pai me disse para não lhe fazer nenhum mal!

V-30
_ Eu sei que você foi embora porque tinha saudades de casa, más por que foi que você roubou as imagens dos deuses da minha casa?

Esta era a única queixa legítima de Labão, um dardo polido que tinha o propósito de ferir duramente no ponto.

Provavelmente Jacó no período em que viveu com seu sogro, deve tê-lo aconselhado a descartar seus deuses pagãos mostrando-lhe que os ídolos não tinham nenhum valor, e o induziu a aceitar a verdadeira religião.

E agora, para Labão, parecia que ele mesmo tinha tanta confiança nos deuses familiares de Labão a ponto de roubá-lo!

V-31
Jacó respondeu:

_ Há, é isso que você quer? Que susto! Eu fiquei com medo, pois pensei que o senhor queria é me tirar as suas filhas e netos à força.

V-32.
Em defesa de sua secreta e apressada partida, Jacó mostrou temor e fez uma confissão sincera e honrada.

_ O senhor pode nos revistar, mas se achar as suas imagens com alguém aqui, essa pessoa será morta. Os nossos parentes são testemunhas: se o senhor encontrar aqui qualquer coisa que seja sua, pode levar.

Jacó voluntariamente se submeteu às disposições da lei de Mesopotâmia, que significava a pena de morte para certas classes de roubo que incluíam objetos sagrados.

Acontece que Jacó não sabia que Raquel havia roubado as imagens.

V-33.
Labão não se fez de rogado: Entrou na barraca de Jacó, depois na de Léia e depois na das duas escravas, porém não encontrou as suas imagens. Então foi para a barraca de Raquel.

V-34.
Aí ele procurou em toda parte, porém não achou nada, pois Raquel havia posto as imagens numa sela de camelo e estava sentada em cima.

V-35.
Não encontrando nada nas barracas, Labão foi revistar em cada camelo.

Quando chegou ao camelo em que Raquel estava montada, ela disse ao pai:

_ O senhor não fique zangado comigo, por eu não me levantar, mas é que estou menstruada.

A desculpa de Raquel de que estava em seu período menstrual, era suficiente para afastar Labão, porque no mundo antigo uma mulher menstruada era considerada um perigo, visto que havia uma crença generalizada que o sangue menstrual era um habitat de demônios.

Foi assim que Labão procurou as suas imagens, sem as encontrar.

Depois de Labão bagunçar todo o acampamento e não encontrar nada, Jacó ficou fulo da vida e disparou a falar coisas que estavam engasgadas a mais de vinte anos.

O clima vai ferver, más só na próxima postagem.

Em Cristo;

Sobre o Autor:
CLAILTON LUIZ Clailton Luiz - Empresário, Palestrante, Especialista em Gestão de Tempo e Produtividade, Escritor, Autor do Livro “Empreendedor Gourmet”, Professional e Self Coach, Leader Coach, Analista Comportamental pela Coaching Assessment. Líder de Jovens e adolescentes, pregador, professor e amante da Palavra de Deus!

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails