Jacó encontra-se com Deus novamente


v-5
Os cananeus quando ficaram sabendo do massacre dos siquemitas, queriam o couro dos filhos de Jacó.

Jacó e sua família corriam grande perigo e os planos de Deus para preparar a descendência que levaria a Jesus estaria mais uma vez ameaçados.

Deus então em sua infinita misericórdia, vai ao socorro de Jacó.

Quando eles silenciosamente foram embora, Deus fez com que os moradores das cidades vizinhas ficassem com um medo terrível, e por isso eles não perseguiram Jacó.

Deus pode usar muitos meios para proteger o Seu povo. Aqui Ele põe medo nos corações dos inimigos de Jacó.

Por que deveríamos temer quando seguimos tal Deus?

Assim, Jacó e toda a sua gente chegaram a Luz, cidade que também é conhecida pelo nome de Betel e que fica na terra de Canaã.

V-7.
Ali ele construiu um altar e pôs naquele lugar o nome de "O Deus de Betel" porque neste lugar Deus havia aparecido a ele, quando estava fugindo do seu irmão.

V-8.
Enquanto Jacó estava em Betel, a ama mais velha de Rebeca sua mãe vem a falecer.

Seu nome era Débora (abelha), ela como ama de Rebeca a havia acompanhado quando esta fora ao encontro do seu noivo Isaque (capítulo 24:59).

Sem dúvida ela era a mais antiga governanta de Jacó, a velhinha deveria ter uns 150 anos e era muito amada.

Como estava com Jacó quando morreu, presume-se que Rebeca já havia morrido (embora a Bíblia não nos diga quando).
Lendo alguns comentários, eu encontrei uma teoria;

Jacó não mais encontrou sua mãe, talvez para maior tristeza ainda da ama, que pensava que quando ele saiu de casa, iria somente por alguns dias.

Bom, quando Raquel, mãe de Jacó veio a falecer, foi Débora que aparentemente levou a noticia até Jacó e a partir daí ficou fazendo parte do seu grupo.

Na minha opinião isso explica porque ela veio morar com eles.

Ela foi sepultada ao pé de um carvalho que passou a se chamar "o carvalho do choro".

V-9,10.
Certo dia, Deus lhe apareceu outra vez e o abençoou, dizendo:

_ Você se chama Jacó, porém esse não será mais o seu nome; agora o seu nome será Israel.

Na aparição prévia de Betel, Deus tinha prometido a Jacó a proteção divina na terra de seu exílio e um regresso seguro a seu lar, particularmente em vista de que estava chamado a suceder a Isaque como progenitor do povo escolhido e do Messias.

Deus tinha cumprido essa promessa e, portanto Jacó renovou seu voto de fidelidade a Deus.

Por sua parte, Deus lhe confirmou o nome Israel, que já lhe tinha dado em Peniel, e com ele a promessa de uma numerosa descendência e a posse da terra de Canaã.

V-11,12
E disse também:
_ Eu sou o Deus Todo-Poderoso. Tenha muitos filhos e muitos descendentes. Uma nação e muitos povos sairão de você, e entre os seus descendentes haverá reis. A terra que dei a Abraão e a Isaque darei também a você e depois a darei aos seus descendentes.

Realmente a vida de Jacó foi repleta de altos e baixos. Neste ponto, ele pela misericórdia de Deus volta a um de seus altos.

Muitos pensam que a vida do cristão deve ser um mar de rosas, sem dificuldades, e quando as tribulações surgem, afastam-se desapontados.

Ao contrário, a vida do cristão é uma viagem através de um mar turbulento, em que temos vitória mediante o poder de Deus.

Os dolorosos problemas e dificuldades são inevitáveis, mas consistem em oportunidades para crescimento espiritual e aperfeiçoamento de nosso caráter, aproximando-nos ao de Cristo.

V-13.
Quando acabou de falar com Jacó, Deus subiu e foi embora daquele lugar.
Estas palavras claramente indicam que esta experiência em Betel não foi uma visão nem uma forte impressão mental da presença divina, senão uma manifestação real de Deus.

V-14,15.
Então Jacó perpetuou a lembrança desta aparição divina erigindo mais uma pedra comemorativa.

A ereção de colunas parece ter sido uma prática favorita de Jacó, até o fim de sua vida ele ainda espalhará colunas em adoração a Deus por toda esta região.

A "coluna" erigida há uns 30 anos atrás provavelmente tinha caído e desaparecido.
Em cada "sinal" dedicado a Deus ele derramava em cima da coluna vinho ou a ungia com azeite de oliva, ou ambas as coisas.

Depois de terminado seu ato de adoração pública voltou para seu acampamento.

Em Cristo;

Sobre o Autor:
CLAILTON LUIZ Clailton Luiz - Empresário, Palestrante, Especialista em Gestão de Tempo e Produtividade, Escritor, Autor do Livro “Empreendedor Gourmet”, Professional e Self Coach, Leader Coach, Analista Comportamental pela Coaching Assessment. Líder de Jovens e adolescentes, pregador, professor e amante da Palavra de Deus!

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails