Images

Êxodo 12:39-50 - A Páscoa Judaica e a Ceia Cristã


A Páscoa Judaica e a Ceia Cristã

V:39
Os israelitas se detiveram brevemente em Sucote a fim de fazer os preparativos finais para a longa viagem que fariam pelo deserto.

Não sabemos quanto tempo ficaram aqui, mas foi suficiente para preparar o pão que precisariam os próximos dias.

V:40,41
Os israelitas tinham vivido no Egito quatrocentos e trinta anos.

V:42
E quando anoiteceu, o Senhor Deus ficou vigiando e protegendo o seu povo para tirá-los do Egito a salvos.

E esta noite foi dedicada ao SENHOR para sempre, como a noite que deverá ser comemorada por todos os israelitas.

V:43
O SENHOR Deus disse a Moisés e a Arão:

_ Prestem atenção nas regras que eu quero que sigam para comemorar a Páscoa:

Primeiramente, nenhum estrangeiro poderá comer a refeição da Páscoa.

Como a páscoa era uma festa que comemorava o nascimento de Israel como nação, naturalmente não podia ser apropriada que um estrangeiro participasse dela.

V:44
_ Porém todo escravo comprado poderá comer dela depois de ser circuncidado.

A circuncisão era um símbolo do novo nascimento e um selo da justiça obtida pela fé.

Da mesma forma nós quando aceitamos a Cristo somos circuncidados por ele pelo novo nascimento.

Veja o que Paulo escreveu em Colossenses 2 :11
“Por estarem unidos com Cristo, vocês foram circuncidados não com a circuncisão que é feita no corpo, mas com a circuncisão feita por Cristo, pela qual somos libertados do poder da natureza pecadora”.

Da mesma forma como foi na Páscoa dos Judeus, somente aqueles que são salvos é que podem participar da Ceia do Senhor.

V:45
E Deus continuou a dar suas orientações sobre a Páscoa;

_ Os estrangeiros, tanto os que estiverem de passagem como os que estiverem vivendo no país, vivendo de salário, não poderão tomar essa refeição.

Os residentes temporários e os servos que trabalhavam por um salário não deviam comer da páscoa, pois sua relação com Israel podia terminar em qualquer momento.

V:46-49
_ A Páscoa deverá ser comida na casa onde foi preparada: não será tirada dali. E não quebrem nenhum osso do animal.

Nem mesmo um osso podia ser quebrado para que o cordeiro não fosse levado para fora da casa.

Da mesma forma hoje, a Ceia do Senhor só pode ser biblicamente observada na casa de Deus e por aqueles que são membros.

V: 50
Todos os israelitas obedeceram e fizeram o que o SENHOR havia ordenado a Moisés e a Arão.

Deus sempre tem sido muito cuidadoso naquelas coisas que apontam para Cristo.

O amor ao Salvador deveria nos motivar a seguir o padrão divino nestes aspectos.

Que as restrições de Deus contido na páscoa possa nos lembrar da necessidade de guardarmos a Ceia do Senhor conforme as Escrituras.

Muito de que é feito em guardar a páscoa corretamente tem sua aplicação na Ceia do Senhor.

Pense nisso!
Images

Êxodo 12:37,38 - A impressionante multidão de Judeus


A impressionante multidão de Judeus

V:37
Os israelitas saíram a pé de Ramessés e foram para Sucote.

Eram mais ou menos seiscentos mil homens e se levarmos em conta as mulheres, as crianças e os velhos, chegaremos aproximadamente dois milhões de pessoas.

Não era de estranhar que o faraó se interessasse tanto por essa mão de obra.
Eles marchavam para fora do Egito sendo apressados pelos Egípcios que não queriam que eles ficassem nem mais um dia.

Agora imagine, tanta gente passando, com seus incontáveis milhares de animais, pelos estreitos vales da península do Sinai cuidando para não se espalhar pelas centenas de quilômetros, isso sem mencionar a dificuldade para encontrar um lugar onde acampar o suficientemente grande para acomodar a toda essa gente.

É difícil para nós imaginarmos como foi tal situação.

Somente a intervenção de Deus através das pragas é que poderia preparar os nervos de Israel para este momento, e somente a fé poderia sustentá-los.

Não é difícil imaginar a murmuração que ocorreu após alguns dias quando muitos começaram a imaginar se eles estavam ou não em uma viagem insana.

Somente a fé é contente em seguir Deus e confiar nEle para suprir todas necessidades.

V: 38
Com eles foram muitas outras pessoas, e também muitas ovelhas e cabras, e muito gado.

Acrescentando as dificuldades enfrentadas por Moisés nesta viagem, percebemos aqui a presença de uma multidão mista que acompanhou Israel na saída do Egito.

Este grupo possivelmente continha escravos e Egípcios descontentes que estavam alegres por ter a chance de deixarem o Egito.

Veja a artimanha de Satanás, como ele não conseguiu manter os filhos de Deus no Egito, ele então enfiltra no meio do povo de Deus uma multidão mista na viagem para Canaã.

Essas pessoas não eram comprometidas com o Senhor, seguiam apenas a multidão, não seguiam a Deus.

E é exatamente esse problema que Moisés terá de enfrentar dentro de algum tempo lá no deserto.

Quer ver?

Então vamos viajar para o futuro, tá na hora de mais um...

Flashforward (flash do futuro)

Abra sua Bíblia em Números 11:1-5 e veja o que esses incircuncisos aprontaram.

Muito dos problemas e do mundanismo na igreja hoje em dia, tem sua origem neste tipo de pessoas

Eles professam seguir a Cristo, mas tem saudades e desejos do mundo.

Em Cristo;

A seguir: A Páscoa Judaica e a Ceia Cristã
Images

Falha minha


Prezado Blogueiro

Nestas últimas semanas, andei correndo contra o tempo, a fim de cumprir com alguns compromissos e acabei falhando no compromisso que tenho com você e com Deus.

Peço a sua compreensão e afirmo que farei o possível para manter o nível de postagens diárias, pois quando não as publico, significa que também não fiz minha devocional diária.

Orem por mim!

Leia abaixo a última postagem.

Em Cristo;
Images

Gênesis 12:29-38 - A morte dos primogênitos


A morte dos primogênitos


V:29-30
Vários dias haviam se passado e é chegado então o dia em que a meia noite, Deus visitaria o Egito.

Este dia, ainda que conhecido pelos israelitas, não tinha sido anunciado ao rei, e essa incerteza deve ter aumentado sua ansiedade.

Quando Moisés deixou o obstinado rei, cada cortesão deve ter ficado temeroso diante da perspectiva de perder seu primogênito.

Mas, ao passar vários dias sem que se cumprisse a ameaça, provavelmente muitos, e possivelmente o rei mesmo, teria pensado que nada disso ia a acontecer.

A história vocês já devem conhecer: Deus passou pelo Egito, entrando em todas as casas que não tivessem marcas de sangue na porta e matando os primogênitos.

Cada lar foi despertado de seu sono à meia noite, quando os primogênitos caíram enfermos e morreram.

De madrugada o Faraó acordou assustado com um barulho. Era o som do choro de pais e mães por todo o Egito lamentando a morte de seus filhos.

O soberano levantou-se e foi correndo para o quarto do filho mais velho. E ele também não fôra poupado.

V: 31-33
Sem dúvida o "clamor" do povo tinha sido ouvido no palácio, e o rei estava inteirado da vontade popular de que os israelitas fossem expulsos do país, afinal eles sofriam agora até o limite do suportável devido à teimosia de seu monarca.

Compreendendo que devia atuar imediatamente a fim de evitar castigos mais severos e sem acreditar direito no que estava acontecendo, o Faraó chamou seus oficiais e os mandou buscar Moisés e Arão.

_ Vão embora! Sumam daqui vocês, todo esse povo, os animais, tudo! Por mim vocês podem levar até as casas, mas desapareçam daqui. Vão adorar a Deus, o SENHOR, como vocês pediram, e se for possível me abençoem também.

Agora sim, foi completa a rendição do Faraó.
Não só lhes ordenou que saíssem do país imediatamente e levassem seus bens consigo, mas também apresentou um pedido aos dois irmãos que eles dificilmente poderiam ter esperado.

V:34
Assim rapidamente, cada família israelita pegou a massa de pão sem fermento, pôs numa bacia, embrulhou a bacia num pano e carregou no ombro.

Isto revela a urgência dos egípcios.

Provavelmente os hebreus estavam se preparando para assar pão para sua viagem.

E ainda que tivessem sido advertidos por Moisés vários dias antes, parece que não tinham esperado uma partida tão apressada e não tinham completado seus preparativos para a páscoa.

V:35
Os israelitas fizeram como Moisés havia ordenado e pediram aos egípcios jóias de prata e de ouro e roupas.

V:36
O SENHOR Deus fez com que os egípcios dessem de boa vontade aos israelitas tudo o que eles pediam.

Assim o povo de Israel tomou as riquezas dos egípcios, riquezas essas que eles mesmos haviam construído com seu próprio suor.

Em Cristo;

A seguir: A impressionante multidão de Judeus


Images

Êxodo 12:12-28 - Moisés explica a Páscoa ao povo.


Moisés explica a Páscoa ao povo.


V:12
_ Nessa noite eu passarei pela terra do Egito e matarei todos os primeiros filhos, tanto das pessoas como dos animais. E castigarei todos os deuses do Egito. E todos reconhecerão que Eu sou o SENHOR.

V:13
_ O sangue nos batentes das portas será um sinal para marcar as casas onde vocês moram. Quando estiver castigando o Egito, eu verei o sangue e então passarei por vocês sem parar, para que não sejam destruídos por essa praga.

O sangue ficaria entre eles e o anjo da morte. Da mesma forma, nós somos salvos porque Cristo derramou seu sangue pelos nossos pecados, tornando-se assim a nossa páscoa.

V:14
_ Comemore esse dia como festa religiosa para lembrar que eu, o SENHOR, fiz isso. Vocês e os seus descendentes devem comemorar a Festa da Páscoa para sempre.

As instruções dadas até aqui em primeiro lugar se referiam à primeira celebração da páscoa, a noite que precedeu ao êxodo.

Agora se anuncia que este rito devia ser comemorado anualmente.

Como a libertação de Israel era de significado perpétuo, a comemoração do acontecimento tinha de ser perpétua para os israelitas, enquanto continuassem sendo o povo escolhido de Deus.

Como um símbolo, tinha de permanecer em vigência até a vinda da realidade simbolizada, Jesus Cristo, que traria a libertação do pecado.

Instituída no tempo do êxodo, a páscoa continuaria em vigência até a crucificação.

Do mesmo modo a Ceia do Senhor tem o mesmo propósito hoje em dia.

A páscoa apontava para Cristo, que viria morrer pelos nossos pecados, enquanto a ceia aponta para o Salvador que veio e morreu.

É interessante notar que foi na ultima páscoa, antes que Cristo a abolisse através da Sua morte a lei cerimonial do Velho Testamento, que Ele instituiu a Ceia do Senhor.

v:15
_ Durante sete dias vocês comerão pão sem fermento. Por isso, no primeiro dia tirem o fermento das suas casas. Pois qualquer pessoa que comer pão feito com fermento, desde o primeiro até o sétimo dia, perderá os direitos e privilégios pertencentes a um israelita.

V:16
_ No primeiro dia e também no sétimo, façam uma reunião para adorar a Deus. Nenhum trabalho será feito nesses dias, a não ser para preparar comida.

Em todos os países, os dias de festa eram ocasiões em que as pessoas se abstinham das atividades comuns da vida que interferiam na realização dos preparativos da festa.

V:17- 20
_ Comemorem a Festa dos Pães sem Fermento no aniversário do dia em que eu tirei do Egito as tribos do povo de Israel. Essa comemoração será uma lei permanente, que passará de pais a filhos. Agora vá até o povo e explique a eles o que acabei de lhe ensinar.

V:21
Moisés mandou chamar todos os líderes do povo e passou a eles todas as recomendações do Senhor para comemorarem a Páscoa.

V:22
E disse mais;

_ Peguem um galho de hissopo e o molhem no sangue que estiver na bacia e passem nos batentes dos lados e de cima da porta das suas casas. E que ninguém saia de casa durante toda a noite.

O hissopo é, provavelmente, a manjerona, um pequeno arbusto que tem de altura cerca de 45 centímetros, com hastes direitas, delgadas e providas de folhas, possuindo além disso grandes espigas de pequenas flores. Tem um aroma picante, e nasce em muitos lugares.

V:23-25
_ Quando o SENHOR passar para matar os egípcios, verá o sangue ali nos batentes e não deixará que o Anjo da Morte entre nas suas casas para matá-los.

V:26-27
Ensinem isso a seus filhos, para que ensinem a seus filhos também.

V:28
A longa série de milagres efetuados por Moisés e Arão tinha impressionado tanto o povo, que este obedeceu imediatamente e sem fazer perguntas.

Esta ordem foi dada antes do décimo dia, e o cordeiro pascoal deveria ser sacrificado no décimo quarto dia, portanto vários dias de preparação se passaram entre o versículo 28 e o versículo 29 que estudaremos na próxima postagem.

Em Cristo;

A seguir: A morte dos primogênitos
Images

Êxodo 12:1-11 - Deus explica a Páscoa



Deus explica a Páscoa

V:1
Nesta postagem temos o relato de uma dos maiores símbolos de redenção das Escrituras.

O SENHOR Deus deu a Moisés e Arão no Egito as primeiras instruções da lei que mais tarde seriam concluídas no monte Sinai.

_ Moisés, preste atenção, a partir de agora, esse mês em que estamos, passará a ser o primeiro mês do calendário de vocês.

O mês da páscoa era a marca de um novo começo para Israel.

Dali em diante, este mês, que vinha sendo o sétimo mês do ano velho, passaria a ser o primeiro do novo ano sagrado de Israel.

Funcionou da mesma forma como o nosso calendário conta os anos a partir do nascimento de Cristo.

V-2
Todo dia dez, cada pai de família escolherá um carneirinho ou um cabrito para a sua família, isto é, um animal para cada casa.

V:3-4
_ Se a família for pequena demais para comer o animal inteiro, então o dono da casa e o seu vizinho mais próximo o comerão juntos, repartindo de acordo com o número de pessoas e a quantidade que cada um puder comer.

V:5
_ Atenção para o detalhe: Este cordeiro terá que ser macho, com um ano de idade, sem nenhum defeito.

Este animal com sua natureza branda e inofensiva é freqüentemente usada nas Escrituras como uma figura de Cristo Jesus.

A ausência de defeitos e danos não só correspondia com o sagrado propósito ao qual se dedicavam os animais, mas era também um símbolo da integridade moral representado.

V:6
_ Vocês vão pegar o cordeiro e guardar até o dia 14, tempo suficiente para examinar se há nele algum defeito, depois ele será morto.

V:7
_ Pegarão um pouco do sangue e o passarão nos batentes dos lados e de cima das portas das casas onde os animais vão ser comidos.

Não era suficiente apenas a morte do cordeiro. O sangue deveria ser aplicado á porta a fim de que tudo atrás dela fosse salvo.

Quando o anjo da morte passasse, não seriam as boas obras da família, mas o sangue nas ombreiras da porta que os salvaria.

No Egito os israelitas não tinham um altar comum, e por essa razão foram consagradas as casas em que se reuniram para a páscoa, e preservados os indivíduos que se encontravam nelas quando passou o destruidor.

Depois que se estabelecessem na terra de Canaã, devia ser sacrificado o cordeiro Pascoal, e celebrada a páscoa, por todo o povo num lugar que Deus escolheria.

V:8
_ Nessa noite a carne deverá ser assada na brasa e comida com pães sem fermento e com ervas amargas.

O cordeiro assado devia comer-se com pães sem fermento, pois o fermento produz fermentação, um símbolo natural de impureza e corrupção moral.

V:9
_ A carne não deverá ser comida crua nem cozida. O animal inteiro, incluindo a cabeça, as pernas e os miúdos, será assado na brasa.

A preparação do cordeiro inteiro sem cortá-lo ou quebrá-lo, simbolizava o fato de que o corpo de Jesus não teria de ser quebrado também quando fosse sacrificado.

Veja na sua Bíblia o que João escreveu a este respeito em (João 19: 33, 36).

V:10
_ Não deixem nada para o dia seguinte e queimem o que sobrar.

Toda a carne tinha de ser consumida em um só momento para que não se estragasse ou se contaminasse.

Era um símbolo de que o corpo de Cristo não ia ver corrupção.

V:11
_ E vocês vão ter que comer vestidos para viagem, e com pressa de ir embora. Esta é a Páscoa de Deus, o SENHOR.

A páscoa era o sacrifício de um cordeiro no lugar do primogênito.

Não somente a natureza da morte substitutiva de nosso Senhor foi ilustrada, mas também muitos detalhes da redenção foram trazidos á luz.

O melhor de tudo é que o apóstolo Paulo não deixou lugar para que ninguém questionasse a intenção divina de fazer deste evento uma figura que se associasse a salvação através de Cristo.

Veja o que ele escreveu em I Coríntios 5:7.

Em Cristo;

A seguir: Moisés explica a Páscoa ao povo.
Images

Êxodo 11: 1-10 - A última praga é revelada


A última praga é revelada
V: 1
Ainda que Deus tivesse indicado previamente a Moisés que seria necessário vários castigos para humilhar os deuses egípcios, nunca lhe revelou o número preciso de pragas que faria.

Agora pela primeira vez se levanta o véu da incerteza, e Deus lhe revela a última praga.

_ Vou mandar só mais um castigo sobre o rei do Egito e sobre o seu povo. Depois disso ele os deixará ir. Na verdade ele expulsará todos vocês.

V: 2
_ Israel deve se preparar para o êxodo, por isso agora diga aos israelitas, homens e mulheres, que peçam aos seus vizinhos e vizinhas jóias de prata e de ouro.

Do jeito que estavam às coisas, os egípcios ficaram contentes em saber que os Judeus precisavam de dinheiro para sair do Egito, o povo que lhes tinha ocasionado tantas desgraças.

V: 3
E o SENHOR fez com que os egípcios respeitassem os israelitas.

De fato, os funcionários do rei e todo o povo consideravam Moisés um grande homem.

Era natural que, como um instrumento de Deus, o povo relacionasse a Moisés com os grandes sinais de que tinha sido testemunha.

Em primeiro lugar, ele tinha humilhado os magos, depois havia impressionado de tal maneira aos servos do faraó que uma quantidade deles aproveitou de suas advertências e salvou seu gado.

Finalmente quase toda a corte chegou a se convencer de que ele tinha poder para destruir o país.

Moisés tinha tratado ao rei de igual pra igual, e o fato de que o povo o reverenciara como a um deus, automaticamente acrescentou prestígio de Moisés diante deles.

Se não tivessem considerado que Moisés fosse uma pessoa sumamente extraordinária e perigosa, já o teriam agredido.

Depois disso o Senhor o mandou falar com o faraó;
V:4,5
E mais uma vez Moisés apareceu na presença do Faraó.

De acordo com o que vimos no capitulo anterior, o Faraó tinha ameaçado com a morte se voltasse ali, certo?

E Moisés revoltado havia dito que não voltaria mais ali.

É evidente que Moisés jamais voltaria se não tivesse sido por uma explícita ordem divina.

O Faraó era a própria imagem da desolação, mais jogado do que sentado sobre o trono, o rosto encovado e o corpo emaciado pela fome, os olhos perdidos numa meditação profunda, ou talvez fossem só os delírios da febre.

E foi nesse estado que Moisés e Arão o encontraram quando entraram no palácio.
_ Por Osíris, o que é que vocês querem desta vez?

_ Hoje a gente vai ser curto e grosso, Faraó. Seguinte: O SENHOR Deus, perto da meia-noite vai passar pelo Egito, e no país inteiro morrerá o filho mais velho de cada família, desde o filho do rei, que é o herdeiro do trono, até o filho da escrava que trabalha no moinho; morrerá também a primeira cria dos animais.

V:6,7
_ Mas vocês perderam completamente o juízo, eu disse que mataria vocês se voltassem aqui! GUARDAS!

_ Ainda não acabei faraó; Em todo o Egito haverá gritos de dor, como nunca houve antes e nunca mais haverá. Mas, entre os israelitas, nem mesmo um cachorro latirá para uma pessoa ou um animal. E assim vocês ficarão sabendo que o SENHOR faz diferença entre os egípcios e os israelitas. ”

Por natureza os Judeus não eram melhores do que os Egípcios. Foi à graça da eleição e da redenção que fez a diferença.

V:8-10
_ ORA CALE-SE!

_ Então todos estes seus funcionários virão me procurar e se ajoelharão diante de mim, pedindo que eu vá embora e leve todo o meu povo. Depois disso eu sairei.

_ SÓ SAIRÃO DAQUI SE FOR SOBRE O MEU CADÁVER!

O Senhor havia dito a Moisés que o rei não daria atenção a eles para que pudesse fazer coisas espantosas no Egito.

Mesmo assim Moisés saiu muito zangado do palácio e foi falar com Deus.

Em Cristo;

A seguir: Deus explica a Páscoa
Images

Êxodo 10: 21-29 - A nona praga


A nona praga

V:21
E lá se foram Moisés, Arão de volta à oração;

_ E agora, Senhor?

_ Eu vou mandar pro Egito uma escuridão tão espessa que luz nenhuma vai conseguir atravessar. Levanta aí sua mão pro céu.

V:22,23
Quando ele obedeceu, vieram trevas espessas sobre toda a terra do Egito por três dias: trevas que se podiam apalpar, indicando que o ar estava cheio de poeira, ou cinza, como surge de uma tempestade de pó, ou erupção de algum vulcão.

As pessoas acendiam tochas, lamparinas, lampiões, lâmpadas, faróis, holofotes, mas luz nenhuma era capaz de vencer tamanha escuridão. Ninguém saía de casa. Ora, poucos tinham coragem de sair da cama!

A nona praga, como a terceira e a sexta, foi infligida sem uma prévia advertência ao faraó.
Na terra de Gósen, é claro, tudo permaneceu normal.

Como nas pragas anteriores, esta foi um forte golpe aos deuses egípcios.

Ra, o deus-sol, tinha sido o deus principal de Egito durante séculos e cada rei se chamava a si mesmo o "filho de Ra".

Os maiores templos que o mundo jamais tinha visto foram edificados em sua honra e um deles, o grande templo de Karnak no Alto Egito, todavia é magnífico mesmo estando em ruínas.

Foi um golpe direto contra o próprio Faraó, suposto filho de Rá, Faraó era chamado de “O FILHO DE SOL”.

Eles também adoravam a forma circular do sol, chamavam de deus Atón, que umas poucas décadas depois do êxodo chegou a ser brevemente o deus supremo do sistema religioso egípcio.

O disco do sol é o símbolo mais encontrado nos monumentos e túmulos do antigo Egito, e nas suas obras de arte.

Mediante a nona praga foi claramente demonstrada à completa impotência destes deuses para seus adoradores.

V: 24
A intensa escuridão foi mais do que o rei pode suportar por muito tempo.

E depois de três dias de absoluto breu, o rei mandou chamar Moisés e Arão e lhes disse:

_ Arão, meu amigo! Há quanto tempo, rapaz! Tudo bem com você e Moisés?

_ Sim, Faraó, tudo bem.

_ Que bom, que bom, fico feliz! Acho que vocês ainda querem ir com o povo ao deserto, não?

_ Sim senhor.

_ Vocês podem ir adorar a Deus, o SENHOR. Levem também as suas mulheres e os seus filhos, mas as ovelhas, as cabras e o gado ficarão aqui.

Isto asseguraria seu regresso do deserto já que sem o gado não poderiam viver muitos dias ali.

V:25,26
_ Ih, Faraó, não vai dar. A gente precisa levar os animais também, ordens de Javé.

_ Seus Miseráveis! Eu aqui dando minha autorização pra vocês irem, abrindo uma exceção que jamais abriria, e vocês ainda vem com exigências?

_ Lamento, mas vamos levar também os nossos animais, e não ficará nenhum, pois temos de escolher alguns para usá-los na adoração a Deus, o SENHOR. Enquanto não chegarmos lá, não saberemos quais os animais que deveremos oferecer em sacrifício a Deus.

V:27,28
Porém o SENHOR fez com que o rei continuasse teimando, e este não deixou que os israelitas saíssem do Egito.

Seu grande furor lhe fez perder todo domínio próprio;

_ Pois querem saber? Do Egito vocês não saem! NUNCA! Agora saiam da minha presença e nunca mais apareçam aqui! Pois, no dia em que tornarem a me ver, vocês morrerão!

V:29
A resposta de Moisés foi cortês e digna.

_ O senhor está certo. Nunca mais o veremos.

O representante de uma nação de escravos esteve diante de seu cruel rei com um completo domínio da situação.

Suas palavras implicam que Moisés acolheu bem a decisão real, já que seriam inúteis futuras entrevistas.

Vem aí à última e mais cruel de todas as pragas.

Em Cristo;

A seguir: A última praga é revelada
Images

Êxodo 10:1-20 - A oitava praga


A oitava praga

V:1,2
Dias depois, adivinhem o que Deus disse a Moisés e Arão?

_ Vão falar com o rei, pois eu fiz com que ele e os seus funcionários continuassem teimando, para que eu pudesse fazer esses milagres no meio deles. E também para que vocês pudessem contar aos seus filhos e aos seus netos como eu zombei dos egípcios e quantas coisas espantosas fiz no meio deles. Assim vocês ficarão sabendo que eu sou Deus, o SENHOR.

Podemos supor que Moisés estava a esta altura surpreso com a obstinação do faraó e a severidade de Deus, e provavelmente sentindo pena pelo sofrimento do povo.

Mas Deus o fez ver que o Seu desígnio era mostrar à sua posteridade os terríveis prodígios que havia feito entre os egípcios, para que soubessem que Ele é o SENHOR.

V:3-6
Foram ao palácio do Faraó.

_ Ô, Faraó.

_ Fala, Arão…
_ Deus tá dizendo que é pra você deixar o povo ir. Se você não deixar, ele vai mandar uma praga de gafanhotos pra cá, que vai devorar o que restou depois do granizo. Os bichos vão encher o palácio, as casas dos oficiais, os templos, as casas do povo. E essa desgraça será pior do que tudo o que os seus pais e os seus antepassados já viram! ”

_ Ora, por que vocês não… Ué, cadê eles? Já foram? Melhor assim.

V: 7
Então os funcionários do palácio disseram ao rei:

_ Majestade?

_ Diga, oficial.

_ Deixa esses caras irem servir o Deus deles no deserto. Vai ser melhor pra todo mundo. Essas pragas aí tão acabando com o Egito, nossos animais morreram, os peixes do rio morreram, perdemos quase toda a safra desse ano. E se ainda vierem gafanhotos, aí que isso aqui vira um deserto mesmo.

V:8
_ É, acho que você tem razão. Chamem a Moises e Arão, falem pra eles voltarem aqui.

Meia hora depois os dois irmãos já estavam de novo na presença do Faraó.

_ Muito bem, vamos acabar com esta bagunça. Vocês podem ir adorar o SENHOR, seu Deus. Mas eu quero saber quem é que vai.

V:9
_ Bom… Os jovens. E os velhos também. Ah, e as crianças. E as mulheres. Quem mais? Acho que é só. Ah, os rebanhos também.

V:10,11
_ Peraê, peraê! Que história é essa? Vão levar as crianças, os velhos e até os bichos para uma festa no deserto? Vocês tão querendo me enrolar? De jeito nenhum! Podem ir, mas só os homens adultos.

_ Mas, faraó?

_ GUARDAS!

Moisés e Arão foram expulsos do palácio, e o Faraó cada vez com mais ódio deles.

V:12,13
Moisés orou e Deus passou instruções a ele, que voltou para perto do irmão e estendeu a mão sobre a terra, um gesto dramático.

Começou um vento muito forte vindo do oriente.

Ventou durante todo o dia e noite adentro.

E na manhã seguinte o vento trouxe os gafanhotos.

V:14-16
O negócio foi feio, viu? Os gafanhotos cobriram toda a terra do Egito, escurecendo tudo.

Devoraram o que restara das plantações, acabaram com as árvores e com o junco na beira do Nilo. Invadiram as casas, foi um inferno.

O faraó, claro, mandou chamar Moisés e Arão de novo.

Os gafanhotos, na Bíblia, são uma figura do julgamento de Deus: é uma das piores pragas que pode haver, pois uma nuvem pode ter a densidade média de cinqüenta milhões de gafanhotos por quilômetro quadrado, e eles passam a desfolhar rapidamente centenas de quilômetros quadrados, trazendo horror, desespero e terríveis conseqüências econômicas para os habitantes.


Isis e Serafis foram impotentes para proteger o Egito dos gafanhotos.

V:17
_ Vocês me desculpem. Não levei a sério essa história de gafanhotos. Mas agora tô vendo do que o Deus de vocês é capaz, ele é poderoso mesmo. Peçam pra ele sumir com esses bichos, que amanhã mesmo vocês pegam a estrada.

_ Todos nós?

_ Sim! Homens, mulheres, velhos, crianças, animais, tudo! Agora vão, não dá pra conviver com esses gafanhotos!

V:18
Moisés saiu do palácio e orou a Deus, o SENHOR.

V:19
Aí o SENHOR fez soprar um vento oeste muito forte, que levantou os gafanhotos e os jogou no mar Vermelho; e não ficou um só gafanhoto em todo o Egito.

V:20
Legal! E aí o Faraó os deixou irem, né?

Que nada!

O SENHOR fez com que o rei continuasse teimando, e este não deixou que os israelitas fossem embora.

Ainda faltam duas pragas…

Em Cristo;

A seguir: A nona praga
Images

Êxodo 9:10-35 - A sétima praga

A sétima praga

V:13
Moisés tá lá conversando com Deus em oração. Desconsolado, é óbvio.

_ Ó Senhor meu Deus! Não tá dando…

_Moisés! Tenha fé meu filho, amanhã você vai lá falar com o faraó e diga mais uma vez a ele para deixar o meu povo sair do país a fim de me adorar.

14-19
_ Mas de novo Senhor?

_ Sim de novo. Você vai lá, com Arão, e vocês vão falar pra ele que eu ainda não ataquei o Egito de verdade, porque se eu quisesse já tinha acabado com essa raça toda. Mas eu quero que eles estejam vivos para verem o meu poder. E diz também que se ele não deixar o povo de Israel sair do Egito, vou mandar uma chuva de pedras por todo o país, que vai arrasar tudo. Então se ele quiser salvar ao menos os animais e os habitantes do Egito, é bom que mande todo mundo se recolher para fugir da chuva de pedra. Porque quem estiver do lado de fora quando chover vai morrer.

V:20
E foi aquela cena que vocês já conhecem: Moisés e Arão foram lá falar com o Faraó, que fez aquela cara de enfado quando os dois chegaram e ouviu impaciente a nova ameaça.

_ Bah, granizo? E desde quando eu tenho medo de granizo? Sumam daqui, por Serafis. Quero um pouco de paz na minha vida.

Os dois foram embora desconsolados com mais um fracasso.

O desafio agora seria contra a deusa Serafis, protetora da lavoura do Egito.

Este tipo de tempestade era quase desconhecido do Egito.

O termo trovão em hebraico significa literalmente “Vozes de Deus” e aqui insinua que Deus falava em juízo contra aquela nação pagã e contra seu panteão de deuses.

Alguns funcionários do rei ficaram com medo daquilo que o SENHOR tinha dito através de Moisés e levaram os seus escravos e os seus animais para os abrigos.

Os egípcios que escutaram a advertência de Deus conseguiram salvar o seu gado.

V:21
Não podemos deixar de notar quão misericordioso e paciente é Deus. Antes que esta praga caísse, todos são avisados e têm oportunidade de salvar tanto a própria vida como a vida dos rebanhos.

Mas os que não deram atenção ao que o SENHOR tinha dito deixaram os seus escravos e os seus animais nos campos.

V:22
Então o SENHOR Deus disse a Moisés:

_ Levante a mão para o céu, e cairá chuva de pedra em toda a terra do Egito. Cairá sobre o povo, sobre os animais e sobre todas as plantas do campo.

V:23,24
Moisés levantou o bastão para o céu, e o SENHOR mandou trovões, chuva de pedra e raios sobre o país. Ele fez cair uma pesada chuva de pedra sobre todo o Egito, e a chuva e os raios caíram sem parar. Essa foi a pior tempestade que o Egito já teve em toda a sua história.

V:25
Em todo o Egito a chuva de pedra acabou com tudo o que estava no campo, incluindo as pessoas e os animais. Destruiu todas as plantas e quebrou todas as árvores.

V:26
Somente na região de Gosém, onde estavam os israelitas, a chuva de pedra não caiu.

V:27,28
Vendo aquilo, o Faraó achou por bem chamar Moisés e Arão.

_ Rapazes, o que vocês aprontaram dessa vez? Esse granizo é uma desgraça! Olha, esse Javé é poderoso mesmo, eu admito.

_ Ah, admite…

_ É, desta vez eu pequei. O SENHOR Deus é justo; eu e o meu povo somos culpados, orem ao SENHOR para parar com os trovões e de chuva de pedra! Eu os deixarei ir; vocês não precisam esperar mais.

V:29
_ OK, então quando sair da cidade, eu levantarei as mãos em oração a Deus, o SENHOR. Os trovões vão parar, e não haverá mais chuva de pedra. Isso para que o senhor, ó rei, fique sabendo que a terra é de Deus.

V:30-32
Mas antes de sair Moisés deu mais um recado;

_ Se o Egito tivesse se arrependido, Deus cuidaria para que a fome não os atingisse agora vocês sabem que o linho e a cevada foram destruídos, pois a cevada já estava com espigas, e o linho estava em flor, a desgraça não foi maior porque o trigo e o centeio não haviam brotados ainda.

Depois de ter estado com o rei, Moisés saiu da cidade e levantou as mãos em oração a Deus, o SENHOR. Aí os trovões, a chuva e a chuva de pedra pararam.

V:34,35
Com perversa impenitência o rei "endureceu seu coração", como Moisés o tinha predito.

Como algumas das pragas precedentes, esta também demonstrou a inutilidade do arrependimento proveniente do medo.

Se Deus quisesse assim poderia conseguir a submissão de todos os humanos, mas esse domínio se invalidaria porque não se ganhariam os corações dos homens.

Precisamos aprender a buscar a Deus não na tempestade nem no fogo do temor, mas na suave voz de Deus que fala dentro do nosso próprio coração.

Muitos pecadores passaram pelos portais do temor, onde ouvem a voz de Deus, reconhecem o poder divino e sua própria miserabilidade diante de Deus, mas só no silêncio da alma é que se pode entender essa voz, e assim haver transformação de caráter.

Em Cristo;

A seguir: A oitava praga
Images

Cinquenta


Quero agradecer aos membros do Blog Escola Bíblica Diária, que se cadastraram, sendo assim Seguidores do Blog, chegamos à poderosa marca de 50 seguidores.

Como já mencionei aqui anteriormente, se compararmos a tantos blogs famosos que existem por aí, este número é bem modesto, más se levarmos em conta que este blog existe exclusivamente para quem quer estudar a Bíblia de uma forma mais consistente, este número se torna interessante.

Que Deus abençoe a todos aqueles que fazem deste trabalho uma ferramenta para seu crescimento espiritual.

Em Cristo;
Images

Êxodo 9:8-9 - Por que Deus endureceu o coração do Faraó?


Por que Deus endureceu o coração do Faraó?

O endurecimento do coração do faraó, quando vinculado a Deus, está se referindo a sexta praga em diante.

Nas primeiras cinco pragas, o faraó se endurecera sozinho, pois vendo a ação de Deus sobre o povo egípcio e seus deuses, mesmo tendo sua pátria atingida por pragas "brandas", não aceitou a recomendação que Moisés havia feito e endureceu seu próprio coração.

Na sexta em diante, as pragas serão mais fortes, culminando quase na destruição do Egito, porém o próprio Deus endurecera o coração do faraó, pois havia ainda mais deuses que precisavam ser humilhados, mostrando a eles que todos os deuses que o Egito cultuava não poderiam fazer nada para ajudá-los.

O Faraó teve a sua chance de reconhecer o poder de Deus quando as pragas eram mais fracas, e até agora ficou claro que jamais faria isso com sinceridade.

Já que o rei da maior nação da terra não tinha disposição para anunciar o nome de Deus ao mundo, sinais maiores haveriam de ser execultados para que o mundo o reconhecesse.

Romanos 9:17-18 declara:

“Pois diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei: para em ti mostrar o meu poder, e para que seja anunciado o meu nome em toda a terra".

Em Cristo!

A seguir: A sétima praga
Images

Êxodo 9:8-9 - A sexta praga


A sexta praga

V:8,9
Então o SENHOR Deus disse a Moisés e a Arão:

_ Peguem punhados de cinza de um forno, e que Moisés jogue essa cinza para o ar diante do rei do Egito. Ela se espalhará como um pó fino sobre toda a terra do Egito, e em todos os lugares a cinza produzirá tumores que se abrirão em úlceras nas pessoas e nos animais.

V:10
A sexta praga, como na terceira, viria sem anúncio prévio, mas o milagre tinha de ser efetuado na presença do rei.

Talvez este encontro tenha ocorrido quando o rei estava indo para o rio para os ritais diários que ali realizava.

_ Ai não! Vocês de novo? Ainda não perceberam que não vão conseguir me convencer?

_ O senhor viu o que aconteceu com os animais. E continua dizendo que não vai nos deixar ir?

_ O que vocês acham? Oras! E daí que os animais morreram? Foi um grande prejuízo, é verdade. Mas prejuízo maior seria abrir mão de toda essa mão-de-obra escrava.

Moisés chegou mais perto e lançou no ar um punhado de cinzas e em questão de minutos produziu tumores, que viraram úlceras nas pessoas e nos animais, inclusive no próprio faraó.

V:11
Imediatamente começam a brotar no corpo do faraó e de seus funcionários no palácio, furúnculos que provocam coceiras insurpotáveis.

_ Malditos hebreus, que tipo de bruxaria é essa?

_ A praga dos furúnculos está atacando todo o Egito, tanto as pessoas como os animais que vocês acabaram de comprar. E assim continuará, até que o senhor deixe o povo de Israel ir ao deserto.

_ Vou mandar chamar meus magos para que invoquem ao deus tifon e ele nos protegerá desta praga.

Na crença deles essa divindade protegia os egípcios contra qualquer ferida que fosse causada por qualquer coisa.

Os magos invocavam a Tifon e as cinzas do altar dele eram jogadas em todos os doentes.

_ Chamem meus magos, urgente!

O problema é que eles não puderam aparecer diante de Moisés porque eles e todos os outros egípcios estavam também cobertos de tumores.

Não é cômica a situação dos magos neste versículo? Eles que invocavam a tifon nem se quer foram protegidos por sua divindade.

Outro dado interessante é que todos os sacerdotes do Egito tinham que ser imaculados, sem qualquer mancha ou defeito em seus corpos para poder servir nos templos.

Com esta praga, teria havido uma interrupção em seus cultos!

V:12
Bom, diante desse quadro, o faraó deveria ter pensado que não seria uma boa idéia continuar com sua irredutível decisão, certo?

Errado, pois a Bíblia nos diz neste versículo que Deus fez com que o rei continuasse teimando.

Você deve esta se perguntando...

Por que é que Deus está fazendo com que o faraó endureça seu coração desta forma?

Responderei na próxima postagem.