Images

Levítico 18:5 - Uma benção especial

Uma benção especial

Levítico 18:5

V: 5
Nesta postagem veremos uma benção especial foi prometida aos filhos de Israel sob a condição de sua obediência à lei divina.

_ Diga ao povo de Israel que se obedecerem às minhas leis e guardarem os meus mandamentos, eles viverão, pois Eu sou o SENHOR.

A obediência à lei divina, sempre garantiu vantagens temporais, e este, sem dúvida era o significado primário do versículo acima.

Muita gente ainda se pergunta por que Deus permitiu que os israelitas vivessem no meio de povos como os egípcios e cananeus.

Porém é importante lembrar que apesar de terem vivido no Egito, não deveriam ter se misturado com os egípcios.

Isto se tornou evidente quando Deus lhes proporcionou um lugar aparte para que vivessem na terra de Gósen.

Se eles tivessem guardado seu lugar, se tivessem obedecido a Deus, se tivessem permanecido afastados dos males que os rodeavam, as coisas seriam diferente.

Mas ao invés de se manterem afastados, se misturaram com os egípcios, aprenderam seus costumes e chegaram a se corromper com eles mesmos.

Os 40 anos de peregrinação no deserto foram anos de grande aprendizagem, durante os quais Deus quis que esquecessem os costumes do Egito e aprendessem os costumes divinos.

Durante este intervalo Deus deu a eles sua lei, seus estatutos, pelos quais guardando teriam uma vida abençoada.

Como parte desta vida abençoada, o Senhor deu a eles demonstrações de seu poder e de sua capacidade para suprir suas necessidades em todas as circunstâncias.

Durante esse processo teriam a oportunidade para desenvolver o caráter e a lealdade a Deus seria provada.

Tudo isso tinha como objeto, o fortalecimento da fé do povo.

Se pelo menos tivessem confiado em Deus durante este período, tudo poderia ter sido diferente.

Em Cristo!

A seguir: Proteção para o casamento
Images

Levítico 18:1-4 - Luz do mundo!

Luz do mundo!

Levítico 18:1-4

O SENHOR Deus mandou Moisés dizer aos israelitas mais estas importantes palavras;

_ Moisés!

_ Ó Senhor aqui estou.

_ Diga aos Israelitas que Eu sou o SENHOR, o Deus de vocês.

_ Senhor isso eu tenho lhes falado constantemente.

_ Quero que lhes repita isso, pois tenho mais instruções relacionadas a este fato.

_ Pois não meu Senhor, me diga e eu serei fiel na mensagem.

_ Diga a eles que não sigam os costumes do povo do Egito, onde eles moravam.

_ Ó meu Deus, o Senhor é prova de o quanto tenho lhes orientado quanto a este problema.

_ Você deve orientá-los a não seguir nem os costumes do povo de Canaã, a terra para onde eu os estou levando.

Sobre o Egito já sabemos o quanto esta nação era uma influencia negativa para os Israelitas.

Quanto ao povo de Canaã, até o momento não estudamos nada, mas as informações que lhes relato a seguir mostram que a orientação de Deus para que não seguissem seus costumes era de grande importância.

Até algum tempo atrás, tudo que se sabia da religião cananita vinha das descrições do Velho Testamento.

Baseados em descobertas contemporâneas, os estudiosos acreditam que os cananeus adoravam uma família de deuses e deusas, que tinham duas características impressionantes: sua personalidade e poder mudavam constantemente e seus nomes tinham significados e fontes que podiam ser facilmente seguidas.

Como lutavam para sobreviver na terra hostil, os cananeus ofereciam sacrifícios aos deuses que acreditavam poderiam ajudá-los a prosperar. Se os deuses e deusas se agradassem da adoração, o resultado seria uma colheita farta.

A adoração acontecia num santuário ou "alto lugar" onde eram oferecidos os sacrifícios.

Evidências arqueológicas indicam que animais de todos os portes eram oferecidos num grande templo.

Uma prática sinistra que os cananeus vieram a adotar foi o sacrifício humano.

Os cananeus tinham quatro festas anuais, associadas com eventos como plantio e colheita de grãos, que quase sempre levavam a celebrações grosseiras, bebedeira e excessos sexuais.

Portanto, os Israelitas tinham que se preparar para se manterem firmes e se resguardarem da falsa religião dos cananeus que parecia ser mais terrível que a dos Egípcios.

_ Não vivam de acordo com as leis desses povos, pelo contrário, obedeçam às minhas leis e guardem os meus mandamentos, pois Eu sou o SENHOR, o Deus de vocês.

Quando nos descuidamos ou ficamos indiferentes aos mandamentos de Deus, podemos facilmente nos corromper.


Em meio ao pecado e degradação moral, em meio a uma nação torta e perversa, Deus desejava que seu povo brilhasse como luz no mundo.

Em Cristo!

A seguir: Uma benção especial
Images

Levítico 17:9-16 - A influência contaminadora dos egípcios.

A influência contaminadora dos egípcios.

Levítico 17:9-16

V:9-
Vimos na postagem anterior uma legislação que tinha por objeto separar os israelitas da influência contaminadora dos egípcios.

Pelo castigo que deveriam receber os transgressores, podemos imaginar que Deus considerava este assunto como de grande importância.

Tanto que no caso de certas infrações das leis concernentes às impurezas físicas, Deus ordenou os rituais de purificação, em alguns casos Ele requeria um sacrifício e em outros até restituição.

Mas neste caso especificamente, Deus ordena a mesma severa pena de excomunhão que pesava sobre o pecador que não se humilhasse no dia da expiação.

Os "estrangeiros" estavam incluídos também nesta lei.

Israel tinha muitas coisas para aprender, e Deus desejava que aprendessem essas lições ali, no deserto.
E é neste contexto que Deus desejava que se tornassem um povo espiritualmente forte.

Veja bem, eles não semeavam e não ceifavam, portanto podiam se dedicar exclusivamente para estudar e ensinar as instruções que Deus os apresentava diariamente.

Por exemplo, recebiam o pão diretamente do céu, e o que isso deveria lhes lembrar?
Sua completa dependência de Deus.

Esta ordem de sacrificar os animais somente na porta do santuário seria anulada logo após Israel entrar em Canaã.

Mas no deserto, como vimos até aqui, todos os animais utilizados para o sacrifício religioso eram levados ao Tabernáculo.

Somente os que se sacrificavam para alimento podiam ser mortos em casa.

Provavelmente, quando entraram em Canaã, Israel aprendeu a lição que Deus tinha proposto lhes ensinar com esta decisão.

Também porque neste tempo, a multidão de estrangeiros já não constituía um motivo de tropeço para os israelitas.

Outro detalhe que vale lembrar é que antes de chegar ao Monte Sinai, Israel não tinha sacerdotes designados para o sacrifício.

O chefe da família tinha sido o sacerdote de sua família até então.

Agora Deus ordena uma mudança e pede que todos cumpram sua ordem.

Os homens não somente deviam adorar a Deus, mas deviam adorá-lo na maneira que ele mesmo tinha designado.

Os israelitas deviam reconhecer nos sacerdotes como escolhidos por Deus.

Deviam se desviar do proibido, deviam honrar a Deus com seus bens e evitar as reuniões ímpias.

Deus não proibiu as reuniões sociais, mas as reuniões de celebração tinham de estar em harmonia com o ambiente próprio do santuário.

Em Cristo!

A seguir: Luz do mundo!
Images

Levítico 17:1-8 - Deus deve ser honrado em tudo

Deus deve ser honrado em tudo

Levítico 17:1-8

V: 1-8
Quando os israelitas saíram de Egito, saiu com eles um grande grupo, principalmente composto de egípcios que se misturou com eles.

Essas pessoas foram à causa de constantes problemas, e sempre encabeçaram muitas rebeliões.

Ainda que diariamente fossem testemunhas do milagre divino do maná celestial, não eram agradecidos nem piedosos, pelo contrário, instigavam os israelitas a exigir carne e a murmurarem constantemente.

Como ocorre no caso daqueles que vivem do subsídio dos outros, suas exigências iam aumentando constantemente.

É razoável supor que esta multidão de estrangeiros buscaria continuar suas festas religiosas pagãs e atrapalhar a vida dos Judeus.

Um grande problema para os Israelitas, pois no Egito se encontravam algumas das formas mais terríveis do paganismo.

Entre estas, o culto aos demônios era provavelmente o pior, onde se sacrificavam cabritos machos, exatamente como era oferecido para Deus, aliás satanás como um grande invejoso, quer para ele tudo o que devemos oefecer a Deus.

Estes cultos pagãos estavam começando a se estender entre os israelitas, sendo necessária uma reforma urgente.

Antes de ser construído o Tabernáculo, o pai de família era o sacerdote da mesma, e como tal, oferecia sacrifícios.

Depois que se levantou o Tabernáculo, ocorreu uma grande mudança na vida de Israel, ficando a cargo dos sacerdotes a responsabilidade de oferecer os sacrifícios.

Portanto o chefe da família deveria entregar algumas de suas tarefas anteriores  aos levitas, e isto provavelmente causou certo mal estar.

Um fator que ocasionou algumas reclamações principalmente entre os estrangeiros, foi à regra de que todos os animais, dali em diante, deveriam ser sacrificados no santuário, e que as festas que normalmente acompanhavam tais sacrifícios deveriam também se realizar ali.

Veja bem, isso não poderia causar nenhuma dificuldade a Israel, pois o santuário estava localizado bem no centro do acampamento e era igualmente acessível para todos.

Mas o problema como você já pode imaginar é que esta ordem faria que terminassem automaticamente todas as festas religiosas dos estrangeiros, que assim supomos, tinham sido entusiasmadamente adotadas por muitos israelitas.

Este regulamento serviria para ensinar aos Israelitas a honrar a Deus com seus bens e a compartilhar com os sacerdotes a parte que lhes correspondia.

Deus tem direito, sobretudo o que possuímos.

Mesmo na comida e na bebida, Deus deve ser honrado.

Deus também deseja que seu povo seja sal no mundo, pois vivendo neste mundo, corremos o risco de nos associarmos e nos conformarmos com ele.

Vemos também nestes versículos a confirmação da lei que proibia comer sangue.

Mas esta lei era cerimonial, e agora não está mais em vigor, pois a vinda da substância eliminou a sombra.

O sangue dos animais não é mais o resgate, mas apenas o sangue de Cristo.

O sangue agora é permitido para a nutrição dos nossos corpos, já não é nomeado para fazer expiação pela alma.

Agora o sangue de Cristo é a paga real e efetiva.

Em Cristo!

A seguir: A influência contaminadora dos egípcios.
Images

Levítico 16 - O DIA DA EXPIAÇÃO

O DIA DA EXPIAÇÃO

Levítico 16

Este capítulo descreve o maior dia no calendário hebraico, o Dia da Expiação.

Este é um evento muito público que se realizava uma vez por ano como parte das festas de outono.

Havia uma série de ofertas para expiar pecados, um carneiro como holocausto; um novilho que levaria Arão o Sumo Sacerdote como oblação por seu próprio pecado e o de sua família, e dois bodes: um como oferta pelo pecado do povo e um que seria designado como o 'bode expiatório.

O sangue dos animais sacrificados seria levado para Tenda do Encontro, atrás do véu, ao santuário, para ser respingado sete vezes sobre a Cadeira da Compaixão, o propiciatório, sobre a Arca da Aliança e sob uma nuvem de incenso.

Se você ler os capítulos 9 e 10 de Hebreus no Novo Testamento, entenderá como isso poderosamente representa o trabalho acabado da redenção realizada por Cristo através de Seu sacrifício expiatório na cruz.

Em Hebreus, Paulo, de modo expressivo, mostra como as ordenanças realizadas através do véu do antigo templo se assemelhavam ao que Cristo iria fazer, e que já fez, tornando todos os homens qualificados a passarem pelo véu para a presença do Senhor a fim de herdar a plena exaltação.”

Levítico 16 relata como e somente desse jeito seria perdoado o pecado do povo, por meio de sacrifícios, elaborados por pessoas retas, no caso Arão, mas hoje já não é necessário, pois por meio da Expiação de Jesus Cristo, podemos receber o perdão dos pecados e voltar à presença de Deus.

Em Cristo!

A seguir: Deus deve ser honrado em tudo
Images

Levítico 15:16,17 - Ejaculação Noturna

Ejaculação Noturna

Levítico 15:16,17

V:16,17

_ Ô blogueiro?

_ Oi.

_ Sê tá louco?

_ Hum?

_ Que título é esse? Isso aqui não é um estudo Bíblico?

_ Sim.

_ Então porque você escreveu este título?

_ Calma gente, por incrível que pareça, a Bíblia trata deste assunto e não é só no livro de Levítico não...

_ Mas o que é ejaculação noturna? E porque e Bíblia trata deste assunto? Que coisa desconfortável!

_ Então me deixe explicar primeiramente o que significa isso...

Não é regra, mas quase sempre a ejaculação ou polução noturna vem acompanhada de um sonho erótico em que o indivíduo acorda imediatamente antes ou imediatamente após ejacular.

Muitas vezes, o sonho erótico pode ser lembrado e percebido como uma experiência sexual prazerosa.

Ocorre em todas as idades, mas é, disparadamente, mais comum dos 10 aos 20 anos, justamente no período de maior inexperiência sexual e energia sexual reprimida ou insatisfatoriamente resolvida.



Seu maior inconveniente talvez seja explicar o que ou com quem se sonhou ou a mancha de sêmen na roupa ou lençóis...

Costuma ser bastante embaraçoso para os adolescentes.

_ Agora, vamos ao que a Bíblia diz sobre este assunto...

A Lei de Deus, dada aos israelitas por intermédio de Moisés, diz que o homem se torna imundo quando tem o seu sêmen expelido, seja na relação sexual legítima (casamento), seja involuntariamente polução noturna.

Deus não diz que é pecado, mas sim que é impuro.

Assim como a menstruação torna a mulher impura.

Pecado é quando o sêmen é expelido por meio da masturbação ou de relação sexual fora do casamento.

Fica, portanto muito claro que não existe pecado nisso porque você não pode controlar esta ação enquanto está dormindo.

Porém o pecado é a cobiça que facilita mentalmente o indivíduo a ter essa ejaculação.

O problema é que na sociedade atual o corpo da mulher é exposto, sem vergonha ou pudor algum, aos olhos e à cobiça do homem, todos os dias e noites.

Veja o que a Bíblia diz sobre pensamentos impuros;

Deuteronômio 23.9-11: "Quando estiverem acampados, em guerra contra os seus inimigos, mantenham-se afastados de todas as coisas impuras. Se um de seus homens estiver impuro devido à polução noturna, ele terá que sair do acampamento. Mas ao entardecer ele se lavará, e ao pôr-do-sol poderá voltar ao acampamento."

Mateus 5.28: "Qualquer que olhar para uma mulher para desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração."

Essa estimulação sexual voluntária ou involuntária chega a ser quase que um “estupro” mental aos homens e principalmente aos jovens que querem manter-se puros até o casamento.

Por isso, é comum que os jovens tenham polução noturna, principalmente aqueles que decidiram não ter atividade sexual antes do casamento.

Até mesmo homens casados têm polução noturna, especialmente quando passam um período maior sem relação sexual.

A solução para limpar a mente dos estímulos da carne, conscientes ou inconscientes, é mesmo a Palavra de Deus e a oração.

Ler um pouco da Bíblia antes de dormir, meditar no que leu e orar pedindo a Deus que conceda sonhos do reino de Deus é um ato saudável.

Em Cristo!

A seguir: O DIA DA EXPIAÇÃO
Images

Levítico 15:1-15 - Fluxo nos órgãos masculinos


Fluxo nos órgãos masculinos

Levítico 15:1-15

V:1-15
Este capítulo trata de diversos tipos de contaminação, tanto no homem como na mulher.

Essas contaminações não implicavam em transgressão moral, ainda que tanto a pessoa afetada como os que entravam em contato com ela, ficavam contaminados.

Algumas destas contaminações ocorrem no curso normal da vida, como no caso da mulher que tem o "ciclo menstrual", ou no caso do homem que tem uma "emissão de sêmen" enquanto dorme (vers. 16).

Chegamos à conclusão de que as contaminações descritas neste capítulo não são resultado do pecado senão do funcionamento normal do corpo, ou talvez de alguma condição anormal, embora mesmo assim sendo associados a algum tipo de impureza.

Vamos começar então?

O versículo 2 ao 15 trata de fluxos nos órgãos masculinos provocados por doenças.

Então o SENHOR Deus deu a Moisés e a Arão mais as seguintes leis para o povo de Israel;

_ Quando um homem tiver um corrimento no membro, ele ficará impuro, tanto se o corrimento vazar do membro como se o corrimento parar nele.

De um jeito ou do outro o homem ficará impuro.

O fluxo mencionado aqui pode ser aqui aquele geralmente causado pela gonorréia.

Temos aqui a segunda referência mais antiga que existe sobre a gonorréia.

A mais antiga das referências literárias provém da China, mais de 2000 anos antes de Cristo.

A gonorréia é uma doença sexualmente transmissível causada por uma bactéria, a Neisseria gonorrhoeae e os humanos são os únicos hospedeiros naturais da doença.

Esse fluxo também pode ser identificado como bilharsiose urinaria (esquistossomose), um flagelo bastante comum no mundo antigo.

Essa doença era causada por um parasita – schistosoma – relacionado a caramujos que ficavam no sistema de águas descobertas por escavações arqueológicas.

Na maior parte do antigo oriente acreditava-se que esses corrimentos fossem evidencia da presença de demônios na pessoa.

Em Israel, porem, a pessoa recebeu uma lista de recomendações e asseio, e a ordem para se purificar no santuário.

Talvez você ache que essa lei era muito severa, mas é preciso considerar que nesse tempo (milhares de anos atrás!) a gonorréia (bem como as demais doenças venéreas) eram incuráveis, como a AIDS hoje e que as proibições impostas para que esse indivíduo não sentasse nesse ou naquele lugar, evitasse relações sexuais etc., pode ser considerada como uma medida de inspeção, para evitar a transmissão da doença para outras pessoas, uma vez que suas causas eram desconhecidas.

Todas estas coisas previnem doenças infectocontagiosas e promovem asseio coletivo.

Existem muitos trechos em Levítico (na lei mosaica em geral) que tratam de aspectos sociais.

Devido à falta de conhecimento científico humano na época as instruções foram dadas sem maiores detalhes do seu motivo, mas hoje percebemos que fazem sentido.

Em Cristo!

A seguir: Ejaculação Noturna
Images

Levítico 13 e 14 - A lepra e o pecado

A lepra e o pecado

Levítico 13 e 14 

Os capítulos 13 e 14 tratam da lepra, que sempre representa o pecado em seu caráter de impureza.

A lepra é uma doença grave que destrói o corpo, é contagiosa, tem aparência tenebrosa, insensibiliza o sentido do tato e a qual não podia ser curada!

Aos olhos de Deus, o pecado apresenta características semelhantes.

Na lei que Deus deu aos israelitas, uma pessoa leprosa era considerada imunda.

Essa doença era vista como uma praga.

As instruções sobre a lepra, obviamente, serviam para conter uma doença maligna, mesmo séculos antes de cientistas compreenderem como doenças que se espalham.

Imagine aqueles dois milhões de pessoas no deserto, sem a tecnologia, sem a medicina moderna, com pouquíssima água, sem saneamento básico, vivendo em barracas, com praticamente a mesma roupa a vida toda, naquelas condições climáticas!

O que você faria se estivesse lá, naquele contexto, e algumas pessoas tivessem lepra?

A lepra era comum no Egito antigo e sem dúvida foi ali onde os israelitas tiveram sua primeira relação com esta doença.

Quando aparecia um sintoma, a pessoa devia ser levada diante de Arão ou um dos sacerdotes para ser examinada.

Qualquer que sofresse dela, fosse príncipe ou camponês era excluído da sociedade e considerado merecedor de pouca simpatia e compaixão.

O paciente era isolado, expulso de sua casa, não lhe era permitido entrar em nenhuma cidade, era excluído do santuário, já não podia assistir a nenhum tipo de reunião.

Na primeira etapa, a doença não deixava senão uma manchinha sobre a pele, a qual não causava dor nem outro inconveniente, simplesmente era uma mancha persistente.

Às vezes decorriam meses ou mesmo anos, com freqüência muitos anos, desde a primeira aparição das manchas até o desenvolvimento completo da doença.

Algumas vezes os sintomas pareciam quase desaparecer, dando esperanças de recuperação, para logo reaparecer ainda mais fortes que antes.

Nas etapas avançadas da lepra, o enfermo apresentava um aspecto repulsivo.

A lepra ia roendo o nariz e os dedos, depois desapareciam as pálpebras, perdiam completamente a visão e o enfermo tomava uma aparência de monstro.

Era uma morte em vida.

Quem adquiria esta doença começava a perder a sensibilidade do corpo.

A lepra logo se espalhava e começava surgir grandes tumores por todo o corpo, alguns destes tumores se abriam e se tornavam enormes feridas que provocavam intensas dores e sofrimento.

Muitas destas feridas expeliam pus com um cheiro terrível.

A voz se deteriorava e terminava desaparecendo; comer tornava-se insuportável, as articulações se deformavam ou se cobriam das protuberâncias próprias da doença, seu corpo se cobria de manchas e carne putrefata.

A doença avançava até envolver todo o corpo, terminando assim com a vida da vítima.

Dá para imaginar espetáculo mais repulsivo?

Abandonado por seus amigos e familiares, o leproso era em todo sentido um espetáculo digno de lástima.

Não é difícil imaginar que os homens se considerassem abandonados de Deus.

O pecado é como a lepra.

Ele tira a sensibilidade do homem em permitir que a sua consciência venha rejeitar o que não agrada a Deus.

O pecado é uma praga que se propaga por toda parte.

Todos pecaram, todos foram contaminados pelo vírus do pecado e o pecado provoca grandes sofrimentos e dores.

A pessoa começa a caminhar lentamente para o seu destino: a morte.

Mais do que a própria doença física, o homem precisa se libertar do vírus do pecado.

Todos os seres humanos precisam ser purificados das chagas do pecado em suas vidas.

Temos uma boa noticia...

Existe uma cura para esta terrível doença...

Jesus Cristo!

A seguir: Fluxo nos órgãos masculinos