Images

Levítico 13 e 14 - A lepra e o pecado

A lepra e o pecado

Levítico 13 e 14 

Os capítulos 13 e 14 tratam da lepra, que sempre representa o pecado em seu caráter de impureza.

A lepra é uma doença grave que destrói o corpo, é contagiosa, tem aparência tenebrosa, insensibiliza o sentido do tato e a qual não podia ser curada!

Aos olhos de Deus, o pecado apresenta características semelhantes.

Na lei que Deus deu aos israelitas, uma pessoa leprosa era considerada imunda.

Essa doença era vista como uma praga.

As instruções sobre a lepra, obviamente, serviam para conter uma doença maligna, mesmo séculos antes de cientistas compreenderem como doenças que se espalham.

Imagine aqueles dois milhões de pessoas no deserto, sem a tecnologia, sem a medicina moderna, com pouquíssima água, sem saneamento básico, vivendo em barracas, com praticamente a mesma roupa a vida toda, naquelas condições climáticas!

O que você faria se estivesse lá, naquele contexto, e algumas pessoas tivessem lepra?

A lepra era comum no Egito antigo e sem dúvida foi ali onde os israelitas tiveram sua primeira relação com esta doença.

Quando aparecia um sintoma, a pessoa devia ser levada diante de Arão ou um dos sacerdotes para ser examinada.

Qualquer que sofresse dela, fosse príncipe ou camponês era excluído da sociedade e considerado merecedor de pouca simpatia e compaixão.

O paciente era isolado, expulso de sua casa, não lhe era permitido entrar em nenhuma cidade, era excluído do santuário, já não podia assistir a nenhum tipo de reunião.

Na primeira etapa, a doença não deixava senão uma manchinha sobre a pele, a qual não causava dor nem outro inconveniente, simplesmente era uma mancha persistente.

Às vezes decorriam meses ou mesmo anos, com freqüência muitos anos, desde a primeira aparição das manchas até o desenvolvimento completo da doença.

Algumas vezes os sintomas pareciam quase desaparecer, dando esperanças de recuperação, para logo reaparecer ainda mais fortes que antes.

Nas etapas avançadas da lepra, o enfermo apresentava um aspecto repulsivo.

A lepra ia roendo o nariz e os dedos, depois desapareciam as pálpebras, perdiam completamente a visão e o enfermo tomava uma aparência de monstro.

Era uma morte em vida.

Quem adquiria esta doença começava a perder a sensibilidade do corpo.

A lepra logo se espalhava e começava surgir grandes tumores por todo o corpo, alguns destes tumores se abriam e se tornavam enormes feridas que provocavam intensas dores e sofrimento.

Muitas destas feridas expeliam pus com um cheiro terrível.

A voz se deteriorava e terminava desaparecendo; comer tornava-se insuportável, as articulações se deformavam ou se cobriam das protuberâncias próprias da doença, seu corpo se cobria de manchas e carne putrefata.

A doença avançava até envolver todo o corpo, terminando assim com a vida da vítima.

Dá para imaginar espetáculo mais repulsivo?

Abandonado por seus amigos e familiares, o leproso era em todo sentido um espetáculo digno de lástima.

Não é difícil imaginar que os homens se considerassem abandonados de Deus.

O pecado é como a lepra.

Ele tira a sensibilidade do homem em permitir que a sua consciência venha rejeitar o que não agrada a Deus.

O pecado é uma praga que se propaga por toda parte.

Todos pecaram, todos foram contaminados pelo vírus do pecado e o pecado provoca grandes sofrimentos e dores.

A pessoa começa a caminhar lentamente para o seu destino: a morte.

Mais do que a própria doença física, o homem precisa se libertar do vírus do pecado.

Todos os seres humanos precisam ser purificados das chagas do pecado em suas vidas.

Temos uma boa noticia...

Existe uma cura para esta terrível doença...

Jesus Cristo!

A seguir: Fluxo nos órgãos masculinos


Sobre o Autor:
CLAILTON LUIZ Clailton Luiz - Empresário, Palestrante, Especialista em Gestão de Tempo e Produtividade, Escritor, Autor do Livro “Empreendedor Gourmet”, Professional e Self Coach, Leader Coach, Analista Comportamental pela Coaching Assessment. Líder de Jovens e adolescentes, pregador, professor e amante da Palavra de Deus!

4 comentários:

  1. Hoje não temos mais a lepra física em nosso meio, mas a lepra espíritual continua mais viva do que nunca nos nossos dias. Misericórdia Senhor! Que eu nunca me torne uma leprosa espiritual! Amém.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom esse estudo.

    ResponderExcluir
  3. Mas é bom lembrar que a Lepra, chama-se Hanseníase e ainda existe, a maioria da população possui imunidade, apesar de rara ainda existe, já foi encontrada a cura, mas em certos casos como a Virchoviana ainda não é possível.

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails