Images

Números 11: 4-9 - O povo reclama do maná.

O povo reclama do maná.

Números 11: 4-9

Como é de se imaginar, a multidão dos israelitas atravessando o deserto em direção a uma terra cheia de esperança e riquezas não demorou a chamar a atenção de aventureiros.

Depois de mais de um ano fora do Egito, era normal que houvesse entre os hebreus muitos estrangeiros.

O populacho que estava no meio deles eram os mestiços de israelitas com egípcios.

Eles não podiam se juntar a uma das tribos porque não sabiam a qual pertenciam, nem tinham muita certeza se estavam fazendo bem em seguir junto com o povo, sendo o produto de casamentos mistos.

Por terem sangue egípcio, eles sentiam saudades de sua terra natal.

Deixa-me fazer um pequeno comentário aqui...

Nossas igrejas estão cheias desse tipo de crente...

Querem andar com os crentes, ir à igreja e ter um padrão alto de vida moral...

Mas durante a semana, andam e vivem como o mundo...

Não sabem direito onde pertencem, nem têm certeza se nasceram de novo...

Na maioria das vezes, são estes que originam rebeldia e descontentamento dentro das igrejas...

Gostam de ter um banquete na igreja, mas não vêm aos estudos bíblicos...

Não se sentem bem nem na igreja, nem no mundo...

Ô gente complicada!

E foi justamente este populacho que começou uma crise reclamando da falta de carne.

_ Ah, se tivéssemos carne para comer…

_ Ah, uma boa carne assada de panela agora…

_ Ah, uma coxinha de galinha…

Em pouco tempo os israelitas se deixaram contaminar pela insatisfação.

_ Eu tô me lembrado dos peixes que comíamos de graça no Egito...

_ Ô tempo bom... E os pepinos?

_ Hhummm...

_ Nem fala. E as sucolentas melancias, os alhos porós, as cebolas e os alhos?

_ Puxa vida, é verdade, nós éramos felizes e não sabíamos.

_ Pois é. Mas e agora? O que é que a gente come?

_ Maná!

_ O tempo todo é só maná!

_ Um inferno! Maná com leite de cabra de manhã...

_ Maná com água no almoço...

_ Maná puro no jantar...

_ Aos fins de semana, pão de maná...

_ Bolo de maná, omelete de maná, sopa de maná...

_ Maná, maná, maná!

_ Meus filhos estão ficando amarelos de tanto comerem maná...

_ E os meus? Até perderam o apetite, nunca viram nada, a não ser este maná!

Antes de você condená-los por isso, convém meditar sobre as coisas o que ocupam sua atenção na maior parte do tempo...

Você está grato por aquilo que Deus lhe tem dado, e pelas maravilhosas coisas que Ele lhe tem preparado no céu? Hum?

Ou você vive sempre pensando sobre as coisas que está perdendo?

As coisas deste mundo que você gostaria de ter? Hum?

Veja bem, todas as manhãs (menos ao sábado) o povo de Israel abria suas tendas e presenciava um milagre...

O pão que Deus lhes dava.

A Bíblia descreve o maná novamente para nós, nesta passagem...

O maná era um alimento maravilhoso, contendo tudo o que precisavam para seu sustento, e contribuindo para a sua saúde também.

Por exemplo, lemos que através de toda a sua caminhada pelo deserto, os seus pés não se inchavam. (Deuteronômio 8:4).

Mas agora, almejando a carne sobre tudo, desprezavam o mais excelente e versátil dos alimentos.

O maná é uma figura do Senhor Jesus, e da Palavra de Deus que O revela para nós.

Muitos, em nossas igrejas, infelizmente também se cansam de aprender de Cristo e não têm mais muita vontade de estudar a Sua Palavra...

Já se enjoaram dela!

Procuram se alimentar com outra coisa, desprezando o que Deus lhes deu...

O descontentamento desse populacho contaminou os israelitas e sua atenção se desviou daquilo que haviam recebido (liberdade, nacionalidade, a lei, o sacerdócio, e uma terra que os estava esperando ao fim da viagem) e passaram a concentrar sua atenção em outras coisas que gostariam de ter: um cardápio variado com peixes e verduras inexistentes no deserto.

Era a concupiscência da carne, espalhando como uma enfermidade, fazendo-os chorar como crianças à porta das suas tendas.

Eles esqueceram o jugo que haviam carregado no Egito em troca dessa comida.

E a choradeira do povo foi ficando insuportável.

A ira do SENHOR se acendeu grandemente, e Moisés se achou novamente na posição de intermediário.

Sua paciência estava, parece, chegando ao fim.

Como veremos na próxima postagem.

Em Cristo!

A seguir: O desabafo de Moisés


Sobre o Autor:
CLAILTON LUIZ Clailton Luiz - Empresário, Palestrante, Especialista em Gestão de Tempo e Produtividade, Escritor, Autor do Livro “Empreendedor Gourmet”, Professional e Self Coach, Leader Coach, Analista Comportamental pela Coaching Assessment. Líder de Jovens e adolescentes, pregador, professor e amante da Palavra de Deus!

Um comentário:

  1. Parabéns pelo mensagem!
    E o pior da história, e que eles poderiam sim comer carne! Existia a oferta pacífica, que se fosse feito de modo voluntario, parte da oferta poderia se comer até dois dias depois de apresentada! (levítico 7. 16). Ou seja, não comiam carne por que não ofertavam a Deus voluntariamente!!
    Abraço e fique na Paz!

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails