Images

Juízes 10:6-18 - Os amonitas escravizam os israelitas

Os amonitas escravizam os israelitas

Enquanto Jair viveu, povo encontrou paz, mas os problemas vieram depois que Jair morreu...

O povo, prosperando com a paz, agora sem um juiz temente a Deus, voltou-se novamente aos ídolos e deuses da terra, e deixou o SENHOR e não O serviram.

Parece incrível que, depois de todas as experiências por que passaram os israelitas ainda não tivessem aprendido a lição.

Cada nova geração que surgia (aproximadamente cada quarenta anos) afastava-se de Deus e depois tinha que sofrer as duras consequências nas mãos dos inimigos que os rodeavam. 

É, mas não precisamos apontar o dedo para os israelitas, pois hoje vemos a apostasia varrendo as igrejas ditas cristãs.

Com medo de verem os seus números reduzidos, recorrem a práticas mundanas, ao misticismo, e relegam ao esquecimento a verdadeira mensagem, servindo aos "deuses da terra" e não mais ao verdadeiro Deus.

Naquele tempo, a maior ameaça para Israel vinha do Oriente.

Os incansáveis filisteus e os amonitas.

Os amonitas, como nação, estavam no seu auge durante o período dos juizes de Israel.

Eles eram descendentes de Amom, filho da união incestuosa de Ló, quando embriagado, com a sua filha (Gênesis 19:30-38).

Sua terra se localizava frente a Jerusalém, do outro lado do rio Jordão.

Ao sul ficava a terra dos moabitas, descendentes de Moab, o filho da outra filha de Ló também concebido incestuosamente através de Ló.

Filisteus e amonitas eram geralmente aliados, e eram inimigos poderosos dos israelitas.

Os amonitas oprimiram os israelitas ao oriente do rio Jordão por dezoito anos, e encorajados por suas vitórias sobre as tribos que vivem em Gileade, os amonitas atravessaram o rio Jordão, e começaram a atacar todo o centro Palestina, habitada por tribos de Judá, Benjamim e Efraim.

Os filisteus ficavam do outro lado, ao longo do mar Mediterrâneo.

A situação tornou-se tão angustiante que o povo novamente clamou ao SENHOR, confessando o seu pecado.

É a velha história outra vez, e eles esperavam que, uma vez tendo confessado o seu pecado, o SENHOR os livraria dos seus inimigos e tudo estaria em ordem novamente.

Mas inesperadamente, o SENHOR respondeu:

_ No passado os egípcios, os amorreus, os amonitas, os filisteus, os sidônios, os amalequitas e os maonitas escravizaram vocês, e vocês me pediram socorro. E eu os salvei deles. Mas assim mesmo vocês me abandonaram e adoraram outros deuses. Por isso eu não vou mais ajudá-los.  Agora peçam socorro aos deuses que vocês escolheram. Que eles os ajudem quando vocês estiverem em dificuldades!    

Mas o povo de Israel respondeu:

_ De fato, nós pecamos. Faça de nós o que quiseres. Mas nos salva hoje, por favor.  

Então eles jogaram fora os seus deuses estrangeiros e adoraram a Deus, o SENHOR.

Quando o povo provou o seu arrependimento, aceitando a vontade de Deus, lançando fora os deuses dos outros povos e servindo ao SENHOR, eles alcançaram a compaixão de Deus.

Os israelitas estavam sem liderança, o que é uma característica de um grupo, ou geração, que se afasta de Deus.

Então os chefes e o povo de Gileade combinaram que o homem que comandasse os israelitas na luta contra os amonitas  governaria a região.  

É aí que surge o próximo juiz...

Assunto para outra postagem.

Em Cristo!

Images

Juízes 10:3-5 - O juiz Jair!


O juiz Jair!

Juízes 10:3-5
Depois de Tolá o próximo Juiz foi Jair.
Tudo o que se sabe sobre ele está nos três versículos seguintes.
Sua cidade era Gileade, região montanhosa ao oriente do rio Jordão, e somos informados que julgou a Israel vinte e dois anos...
Ele tinha trinta filhos, que montavam trinta jumentos.
Os seus filhos tinham trinta cidades na região de Gileade.
Elas são chamadas até hoje de cidades de Jair.
Jair morreu e foi sepultado em Camom.
A família de Jair era evidentemente rica e influente naquela área.
Os trinta jumentos que seus filhos tinham eram sinal de prosperidade e as trinta cidades deles confirmava isso.
Mas não aconteceu nada de notável neste período.
O povo viveu em paz.
Os problemas vieram depois que Jair morreu, mas isso é assunto para próxima postagem.
Em Cristo!
Images

Juízes 10:1-2 - Tolá, o sétimo juiz de Israel

Tolá, o sétimo juiz de Israel 

Depois de Abimeleque, o pseudo libertador sem autoridade divina, um novo juiz se levantou para livrar a Israel...

Chamava-se Tolá...

Tolá?

Isso mesmo, Tolá...

Não se espante com o nome deste juiz, pois o de seu pai também não foi nada convencional;

Puá...

Muito menos o de seu avô;

Dodo...

Ele era da tribo de Issacar e morava na cidade de Samir, na região montanhosa de Efraim.

Tudo o que se sabe sobre ele está nos dois primeiros versículos do capítulo 10...

Seu pai, seu avô, sua tribo e onde morava.

Foi juiz durante vinte e três anos, morreu e foi sepultado em sua cidade.

Durante esse tempo não houve nada de notável, talvez em consequência da sua sabedoria.

É isso, que sejamos sábios como Tolá, que de tolo não teve nada!

Um bom Natal a todos e até a próxima postagem!

Em Cristo!

Images

Juízes 9:50-57 - Abimeleque morto com um pedra na cabeça



Abimeleque morto com um pedra na cabeça

Depois Abimeleque foi a Tebes, que provavelmente ajudara em Siquém contra o ataque de Abimeleque, cercou a cidade e a conquistou.

Em Tebes também havia uma forte torre.

Todos os homens e mulheres e os líderes da cidade correram e entraram nela. Fecharam as portas e foram para o terraço.

Foram encontrados na Palestina torres como esta, cujas paredes são de até 3 metros de espessura.
Templo ou torre em Siquém
Dentro da torre tinha vários andares ou níveis e plataforma acima, a partir do qual o povo podia se defender.

Os cidadãos de Tebas fugiram como o último recurso depois de Abimeleque invadiu sua cidade.

Abimeleque avançou, atacou a torre e chegou até a porta, para pôr fogo nela.

Enfurecido e totalmente fora de controle, Abimeleque atacou a torre.

Quando os defensores resistiram a seus ataques furiosos, Abimeleque resolveu usar a mesma estratégia que usou em Siquém, por fogo na torre.

No entanto, enquanto ainda empilhava as madeira na frente da porta da torre, uma mulher o avistou e aproveitando a incrível oportunidade, jogou uma pedra de moinho que acertou em cheio a cabeça do ditador abrindo seu crânio.

Aí ele chamou depressa seu escudeiro que carregava as suas armas e disse:

Os líderes militares costumavam ter um campo de assistente ou escudeiro como um sinal da sua importância, e também para transportar o escudo pesado e lanças.

_ Rápido moleque, tire a sua espada e me mate. Não quero que digam que fui morto por uma mulher.

Então o rapaz tirou a espada e o matou.

O horror de ser morto por uma mulher não se limitava aos Hebreus...

Na literatura grega e romana se expressa o mesmo sentimento.

Mas apesar da seus esforços para acabar com a sua vida de forma diferente, Abimeleque não escapou da reprovação de ter sido morto por uma mulher, pois a história sendo divulgada a te hoje.

Em seus últimos momentos, Abimeleque pode muito bem ter pensado sobre o que o os homens pensariam de sua vida, como as pessoas julgariam sua história...

Ainda hoje, as questões a que os seres humanos são mais sensíveis não são o que realmente importa na vida, aqueles que só se tem orgulho e ambição, geralmente morrem como viveram, mais preocupados em preservar a sua reputação do que a salvação de sua alma.

Mais tarde, o primeiro homem que tentou a reinar sobre Israel, o rei Saul, primeiro rei de verdadede Israel, insistiu em morrer da mesma forma, triste!

Quando os israelitas viram que Abimeleque estava morto, voltaram todos para casa.

E assim Deus castigou Abimeleque pelo crime que havia cometido contra o seu pai, o crime de matar os seus setenta irmãos

E, como castigo pela maldade dos homens de Siquém, Deus fez com que eles sofressem.

E assim aconteceu o que Jotão, filho de Gideão, tinha dito que ia acontecer quando os amaldiçoou.

Estes versículos finais, dão a moral da história toda...

Deus rege os acontecimentos históricos, e que ambos os crimes são puníveis tanto individualmente como coletivamente.

Deus recompensou a cada um segundo as suas obras.

Em Cristo!
Images

Juízes 9:42-49 - Abimeleque ataca Siquém



Abimeleque ataca Siquém

No dia seguinte o povo de Siquém saiu para os campos a fim de trabalhar.

E Abimeleque que ainda estava receoso com o povo que havia apoiado Gaal, resolveu atacá-los quando soube que estavam desprevenidos 

Então ele dividiu os seus homens em três grupos e os deixou escondidos no campo, esperando.

Quando Abimeleque viu muitas pessoas saindo da cidade, saiu de onde estava escondido e os matou.

Depois Abimeleque e o seu grupo atacaram de surpresa e tomaram conta do portão da cidade.

Os outros dois grupos atacaram o povo que estava nos campos e mataram todos.
Siquém nos dias de hoje
Depois Abimeleque entrou na cidade e combateu o povo de Siquém o dia todo, até  tomar a cidade e matar os seus moradores.

Depois de destruir a cidade, espalhou sal no chão.

Espalhar sal nas ruínas era uma ação simbólica para expressar o desejo de que a cidade permaneceria deserta e desabitada para sempre.

Quando os chefes de Torre de Siquém souberam disso, foram todos para a fortaleza do templo de Baal-Berite para ficar em segurança.

Nos tempos antigos, os templos eram considerados lugares de abrigo.

A literatura grega clássica contém muitas referências de pessoas fugiam para templos em busca de abrigo político.

Mas Abimeleque soube que tinha mais gente escondida por lá.

Para poupar tempo e esforço e não entrar no local sagrado, resolveu não derrubar a grossa porta de madeira do templo, teve a ideia de subir o monte Salmom com os seus homens e cortar galhos de árvores  e disse aos homens para fazerem depressa a mesma coisa.

Depois eles seguiram Abimeleque e fizeram uma pilha de galhos encostados na fortaleza.

Em seguida puseram fogo nos galhos e queimaram a fortaleza com toda a gente dentro.

O intenso calor do fogo destes ramos logo pegou fogo nos revestimentos de madeira, e, como resultado morreram 1000 homens e mulheres que haviam se refugiado nos quartos cavernosos.

A profecia de Jotão foi literalmente cumprida.

Ele havia dito que o rei destruiria o povo de Siquém com fogo (v. 20).

Embriagado com o cheiro da matança, Abimeleque decidiu que ainda queria brincar de matar mais gente...

Com tão fraca resistência, seus homens pouco se cansaram, o que dava tempo ainda de se divertir atacando mais uma cidade e ainda voltar a tempo para o jantar...

O alvo escolhido foi Tebes...

Mas esse será assunto para a próxima postagem.

Em Cristo!
Images

Juízes 9:35-41 - Gaal enfrenta Abimeleque


Gaal enfrenta Abimeleque

Então Abimeleque e todos os seus homens saíram durante a noite e se esconderam fora de Siquém, divididos em quatro grupos.

Talvez pressentindo algo de errado, Gaal se levantou, juntou seus homens e foi para o portão da cidade.

Zebul, vendo que seu plano vendo que seu plano cooria um sério risco, foi junto para ver o que poderia fazer...

Enquanto isso, vendo que havia uma movimentação próxima ao portão da cidade em hora tão imprópria, Abimeleque e os seus homens saíram de onde estavam escondidos rastejando e fazendo o mínimo possível de barulho...

Gaal, observando do portão, viu a movimentação na montanha e em voz alta e nervoso reportou a Zebul:

_ OLHA LÁ ZEBUL! VEM GENTE DESCENDO DO ALTO DAS MONTANHAS EM NOSSA DIREÇÃO!

A fim de ganhar tempo, Zebul passou a olhar com calma e até com certa zombaria respondeu:

_ É nada! Não são homens. São apenas as sombras das montanhas.

Enquanto isso, de todos os pontos as tropas de Abimeleque avançavam para o desespero de Gaal e surpresa dos cidadãos.

_ QUE SOMBRAS O QUE! VEJA! VEM GENTE DESCENDO BEM NA NOSSA FRENTE, E UM GRUPO VEM VINDO DA ÁRVORE SAGRADA!

Então Zebul disse:

_ Ué, onde foi parar toda aquela conversa?

_ QUE CONVERSA?

_ Não foi você quem perguntou por que devíamos servir Abimeleque?

_ FOI, E DAÍ?

_ Pois então, são estes os homens de quem você estava caçoando.

_ Hã?

_ Agora mostre se você é realmente corajoso e não apenas um falastrão... Saia agora e lute contra eles.

Percebendo que responder a provocação de Zebul, só daria tempo ao inimigo, Gaal tratou logo de chamar seus homens e lutar contra Abimeleque na montanha.

No fim das contas, Gaal provou ser apenas um falastrão, pois depois de levar uma surra inesquecível e de muitos homens feridos, o que lhe restou foi fugir de volta para a cidade e fechar os portões.

Abimeleque preocupado com a quantidade de aliados que Gaal poderia ter dentro de Siquém, resolveu não entrar na cidade e então voltou para Arumá...

Zebul por sua vez, criou coragem ao saber que os aliados de Gaal não mais o apoiavam e então o expulsou de Siquém juntamente com seus irmãos.

Fim dos problemas em Siquém?

De amaneira alguma...

Na realidade experimentaram uma aparente paz, mas por pouco tempo, como veremos na próxima postagem.

Em Cristo!
Images

Juízes 9:32-34 - A mensagem de Zebul


A mensagem de Zebul

Vimos na postagem anterior que o governador ficou com muita raiva de Gaal e rapidinho mandou um mensageiro a Abimeleque, que morava em Arumá para informá-lo do que estava acontecendo...


Então Abimeleque, furioso, respondeu a mensagem, num tom não tão bajulador como o de seu governador:


Então Abimeleque e todos os seus homens foram para Siquém...

Mas o que aconteceu lá é assunto para a próxima postagem!

Em Cristo!
Images

Juízes 9:22-32 - O pileque de Gaal


O pileque de Gaal

Apesar de todas as tentativas de Jotão, o famigerado Abimeleque acabou governando o povo de Israel durante três anos.

Mas Abimeleque acabou se tornando um ditador o que veio a decepcionar em muito aos homens de Siquém  ao ponto destes o odiarem e se revoltarem contra ele.

Era natural que aqueles que foram desleais a Gideão também fossem com Abimeleque.

Deus permitiu que isso acontecesse para que Abimeleque e os homens de Siquém, que o haviam ajudado a matar os setenta filhos de Gideão, pagassem pelo seu crime.

A situação se agravou ainda mais quando os moradores de Siquém puseram homens escondidos no alto das montanhas para matar Abimeleque.

No entanto, enquanto estes homens esperam um momento em que Abimeleque passasse por ali, aproveitavam a oportunidade e assaltavam todos os que também passavam por aquele caminho.

Logo reinou em toda a área uma condição insegura que danificou o prestígio Abimeleque e popularidade.

É nesse ambiente de total insegurança, quase de uma guerra civil que surge a figura de Gaal...

Não se sabe muito sobre Gaal, só que era filho de Ebede, e que foi com os seus irmãos para Siquém, e acabou ficando por lá, ganhando com o tempo a simpatia dos homens dali.

Um belo dia, Gaal e seus irmãos foram até as suas plantações, apanharam uvas e prepararam vinho para uma festa na qual convidaram muitos amigos de Siquem...

Depois entraram no templo do seu deus, comeram e beberam muito e Gaal sob a influencia do vinho acabou falando mais do que devia...

_ Por que estamos sendo dominados por esse Abimeleque?

O festival da colheita era o mais feliz do ano e entre os cananeus eram geralmente acompanhados de festas com muita bebida.

_ Que tipo de homens somos nós, os homens de Siquém? Em?

Silencio total...

_ E quem é ele?

_ É o filho de Gideão!

_ Sim, eu sei. No entanto, o governador que ele escolheu para nossa cidade, o incompetente Zebul, recebe ordens dele feito um cachorrinho. Por que devemos ser dominados por ele? Sejam fiéis ao seu antepassado Hamor, pai de Siquém, pô!

As pessoas que estavam ali pararam de beber e olharam uns para os outros, já preocupados com o teor do discurso e por estarem participando do perigoso evento...

_ Ah! Se eu fosse o governador deste povo! Há! Expulsaria Abimeleque e diria: "Já que o seu exército é tão grande, então saia e lute como um homem!"

É regra bastante conhecida a que diz que em todo lugar tem um dedo duro, e a festa no templo de baal berite não seria diferente...

Um cagueta, depois de ouvir o animadinho Gaal, correu para contar a Zebul tudo o que ouvira do bebum.

O governador ficou com muita raiva de Gaal e como um perfeito covarde, mandou um mensageiro a Abimeleque, que morava em Arumá para informá-lo do que estava acontecendo...

Mas sobre isso veremos na próxima postagem.

Em Cristo!
Images

Juízes 9:17-21 - Jotão foge para Beer.

Jotão foge para Beer.

E Jotão continuou:

_ SERÁ QUE VOCÊS FORAM SINCEROS E HONESTOS QUANDO FIZERAM DE ABIMELEQUE UM REI? E SERÁ QUE VOCÊS TRATARAM GIDEÃO E A SUA FAMÍLIA COM DECÊNCIA E DE ACORDO COM O QUE ELE MERECIA? LEMBREM QUE O MEU PAI LUTOU POR VOCÊS. ELE ARRISCOU A VIDA PARA SALVÁ-LOS DOS MIDIANITAS.

Depois de mostrar a situação perigosa dos habitantes de Siquém, Jotão severamente repreende o povo pela ingratidão que tinha mostrado para Gideão para financiar o ataque de Abimeleque contra a casa de Gideão, durante o qual Abimeleque tinha matado 69 dos seus irmãos.

Esta foi à recompensa que Siquém, deu à família que tinha arriscado suas vidas para libertar os habitantes palestinos dos midianitas.

_ AGORA, SE O QUE VOCÊS FIZERAM HOJE COM GIDEÃO E A SUA FAMÍLIA FOI SINCERO E HONESTO, ENTÃO SEJAM FELIZES COM ABIMELEQUE, E QUE ELE SEJA FELIZ COM VOCÊS!

Foram palavras são irônicas.

_ MAS, SE NÃO, QUE DE ABIMELEQUE SAIA FOGO E QUEIME OS HOMENS DE SIQUÉM E DE BETE-MILO! E QUE SAIA FOGO DOS HOMENS DE SIQUÉM E DE BETE-MILO E QUEIME ABIMELEQUE!

A maldição de Jotão foi que Abimeleque e os cidadãos de Siquém perecessem por destruição mútua.

Muitas vezes a ligação má, rapidamente se torna uma inimizade doentia e de extermínio mútuo.

Esta maldição foi cumprida exatamente como registra o restante do capítulo...

Aí Jotão fugiu e foi viver em Beer porque sabia que seu irmão Abimeleque não perderia a oportunidade de matá-lo.

Em Cristo!


Images

Juízes 9: 9-16 - Jotão e a parábola das arvores

Jotão e a parábola das arvores

Na ultima postagem, vimos que Jotão contou uma parábola em voz alta para o povo na ocasião em que insistiam por um rei...

_ ATENÇÃO HOMENS DE SIQUÉM, ME ESCUTEM, E DEUS ESCUTARÁ VOCÊS!

Jotão gritou tão alto que todos pararam para ouvi-lo...

_ QUERO LHES CONTAR UMA HISTÓRIA... ERA UMA VEZ, UMAS ÁRVORES RESOLVERAM PROCURAR UM REI PARA ELAS. ENTÃO DISSERAM À OLIVEIRA: "SEJA O NOSSO REI."

_ E A OLIVEIRA RESPONDEU: "PARA GOVERNAR VOCÊS, EU TERIA DE PARAR DE DAR O MEU AZEITE, USADO PARA HONRAR SEUS DEUSES E OS SERES HUMANOS."

_ ENTÃO AS ÁRVORES FORAM PEDIR DESTA VEZ À FIGUEIRA: "VENHA SER O NOSSO REI."

Esta parábola fazia uma analogia com a história de Gideão...

Ele tinha se recusado a deixar o trabalho legítimo de juiz para ser rei, apesar de que ele poderia ter sido capaz de exercê-lo...

Se ele tivesse concordado em se tornar rei, sua ação teria sido tão incongruente como a de uma árvore ter que deixar a sua própria função útil para decidir sobre outras árvores.

_ MAS A FIGUEIRA RESPONDEU: "PARA GOVERNAR VOCÊS, EU TERIA DE PARAR DE DAR OS MEUS FIGOS TÃO DOCES."

_ ENTÃO AS ÁRVORES FORAM PEDIR À PARREIRA DE UVAS: "VENHA SER O NOSSO REI."

_ MAS A PARREIRA RESPONDEU: "PARA GOVERNAR VOCÊS, EU TERIA DE PARAR DE DAR O MEU VINHO, QUE ALEGRA OS SEUS DEUSES E OS SERES HUMANOS."

Todas as três arvores deram a mesma razão do por que elas não deveriam deixar a função com que prestavam serviços inestimáveis para tomar uma posição que parecia desnecessária?

_ AÍ TODAS AS ÁRVORES FORAM PEDIR AO ESPINHEIRO: "VENHA SER O NOSSO REI."

_ E O ESPINHEIRO RESPONDEU: "HUM... ESTÁ BEM! SE VOCÊS QUEREM MESMO ME FAZER O SEU REI, VENHAM E FIQUEM DEBAIXO DA MINHA SOMBRA".

Esta era uma planta espinhosa comum nas colinas da Palestina.

Ela representava a antítese de árvores valiosas que haviam rejeitado a oferta para ser rei.

Aqui Jotão começa a fazer a aplicação da parábola.

O arbusto desavisado faz um convite impossível...

Seus galhos não podem oferecer sombra, pois estão cheios de espinhos... 

Aqui está uma ironia cortante.

Jotão descreve compara o absurdo com a situação onde foram parar os siquemitas.

Jotão quer dizer ao povo que Abimeleque não pode fornecer proteção, como o fraco espinheiro não é capaz de proporcionar sombra ou proteger as outras arvores.

Continua na próxima postagem!

Em Cristo!
Images

Juízes 9:4-8 - Abimeleque mata seus 69 irmãos

Abimeleque mata seus 69 irmãos

Deram a ele oitocentas gramas de prata tirados do templo de Baal Berite.

O filho de um homem que teve uma carreira extraordinária começa sua carreira com presentes de Baal.

Com essa prata Abimeleque contratou alguns homens comuns para o seguirem.

Abimeleque foi para a casa do seu pai em Ofra e ali, em cima de uma só pedra, ele matou os seus setenta irmãos, os filhos de Gideão.

Tirano, previa as conspirações que se levantariam contra ele, e, portanto, matando todos seus irmãos e parentes próximos, se livraria de tais ameaças.

Mas Jotão, o 70°, filho mais moço, se escondeu e por isso não foi assassinado.

Depois disso, todos os homens de Siquém e de Bete-Milo se reuniram na árvore sagrada de Siquém e ali fizeram de Abimeleque o seu rei.

Abimeleque foi proclamado rei no mesmo lugar onde Josué reuniu-se pela última para renovar aliança de Israel com o Senhor...

Era costume da época escolher o rei em um lugar sagrado ou um santuário...

Quando Jotão soube disso, arriscando sua vida, subiu até o alto do monte Gerizim e de lá gritou para eles:

_ ATENÇÃO HOMENS DE SIQUÉM, ME ESCUTEM, E DEUS ESCUTARÁ VOCÊS!

Jotão gritou tão alto que todos pararam para ouvi-lo...

_ UMA VEZ AS ÁRVORES RESOLVERAM PROCURAR UM REI PARA ELAS. ENTÃO DISSERAM À OLIVEIRA: "SEJA O NOSSO REI."

Este discurso é uma das obras primas da literatura.

Os povos antigos apreciavam parábolas deste tipo, com histórias de coisas inanimadas.

Jotão sabia do desejo deles em ter um rei, não só para ser como as nações ao redor deles, mas porque eles pensavam que seus frequentes sofrimentos nas mãos de seus inimigos eram devido a uma falha em seu sistema de governo, quando na verdade esses sofrimentos eram devido a apostasia do povo.

Este pedido de um rei foi expresso pela primeira vez quando as pessoas se ofereceram para fazer de Gideão um rei.

Continuou a aumentar até que se chegou a essa tentativa infeliz.

Nos tempos de Saul se tornou tão forte que o profeta Samuel, por ordem de Deus, finalmente cedeu e oficiou a eleição de um rei.

Continua na próxima postagem...

Em Cristo!
Images

Juízes 9:1-3 - O ganancioso Abimeleque

O ganancioso Abimeleque

Como comentei no capítulo anterior, Abimeleque era filho de Gideão com sua amante...

E apesar de ser filho do famoso e respeitado Gideão, Abimeleque como um filho bastardo, sentia grande dificuldade de concorrer com seus outros setenta irmãos...

Mas Abimeleque era astuto e assim que Gideão morreu, tratou logo de arquitetar um plano para eliminar seus irmãos...

Certo dia, Abimeleque, foi à cidade de Siquém, onde viviam todos os parentes da sua mãe.

Chegando lá, pediu a ajuda deles para fazerem algumas perguntas aos homens de Siquém:

_ Vocês devem me ajudar fazendo algumas perguntas ao povo desta cidade...

Os habitantes eram de raças diferentes: alguns israelitas, outros cananeus, e alguns, como Abimeleque, eram parentes de sangue de ambos.

_ É certo que o ajudaremos, mas que perguntas você quer que façamos?

_ Perguntem a eles o que é que vocês preferem: ser governados pelos setenta filhos de Gideão ou por um só homem?

Abimeleque acreditava que esse era um argumento poderoso.

_ Muito boa!

_ Digam mais: Lembrem que Abimeleque é do mesmo sangue de vocês.

Abimeleque apresentado o caso da pior maneira possível, jogando com os medos e os preconceitos da população.

Então os parentes da sua mãe falaram sobre isso com os homens de Siquém, e estes resolveram seguir Abimeleque por ser de sua cidade e pela preocupação em ter setenta homens disputando o mesmo cargo.

Abimeleque era um homem ganancioso e terrivelmente ambicioso.

Para atingir os seus fins, a usar os meios mais horríveis de mentira, trama, engano e assassínio.

Tudo isso para se tornar, por um caminho errado. rei de Israel.


Com a primeira parte de seu plano concluída,  faltava a gora, por em prática a segunda parte de seu ardiloso plano...

Mas esse será o assunto da próxima postagem.

Em Cristo!
Images

Jovem leiloando sua virgindade pode ficar ligada espiritualmente ao parceiro até morrer, comenta Sarah Sheeva


Jovem leiloando sua virgindade pode ficar ligada espiritualmente ao parceiro até morrer, comenta Sarah Sheeva

A brasileira Catarina Migliorini, de 20 anos, que está leiloando a sua virgindade, está causando grande polêmica em âmbito nacional e internacional, com diversos líderes cristãos e grupos pró-família expressando grande indignação sobre o caso.

A pastora Sarah Sheeva comentou o caso ao The Christian Post e explicou as possíveis consequências disso a partir de um ponto de vista espiritual. "Quem acredita nas Escrituras sabe que ela revela que o sexo é uma aliança que vai muito além do corpo físico, é uma aliança espiritual.

O que vai acontecer é que espiritualmente essa jovem vai estar ligada com o homem que ela fizer sexo até morrer, ligada espiritualmente, não emocionalmente, mesmo sem ter sentimentos por ele, porque o sexo tem o poder de fazer isso (espiritualmente) com as pessoas.

Mesmo que não queiramos, o sexo tem essa consequência espiritual”, disse Sarah Sheeva ao CP. A pastora explica também que “a menos que ela tenha uma verdadeira experiência com Jesus, a aliança sexual não poderá ser quebrada”.

 “O sexo tem uma parte que não pode ser lavada com um simples banho com água e sabão, porque ele vai muito além do corpo físico. Só o sangue de Jesus Cristo pode limpar e quebrar alianças desse tipo, que além do corpo físico, também envolvem o corpo espiritual.”

 “É por esse motivo, por causa de alianças sexuais, que muitas pessoas se sentem presas a pessoas de seus passados, pois essas alianças são espirituais", acrescentou ela.

Catarina é estudante de educação física e trancou a faculdade para participar do projeto de documentário "Virgins Wanted" dirigido pelo australiano Justin Sisely, que veio recrutando virgens por mais de um ano.

Catarina revelou recentemente que ela decidiu fazer não somente por negócios mas para ajudar também a entidades de caridade, em Santa Catarina.

A pastora Sarah Sheeva, que é escritora e conhecida por pregar sobre relacionamentos e abstinência sexual antes do casamento, acredita que Catarina talvez não tenha consciência do valor dela.

“Ao que parece, ela talvez não tenha fé num relacionamento e casamento, não criando esperança e expectativa, ou não sonhando com uma família”, disse Sarah Sheeva ao CP, tentando compreender o lado de Catarina.

Sarah Sheeva, que recentemente realizou o Culto das Princesas em Nova Jersey, EUA, explicou que a atitude de Catarina em vender a sua virgindade pode estar refletindo seu estado emocional, talvez até uma decepção, e que ela talvez não acredite que um homem possa vir a valorizar a sua virgindade.

"Todas as atitudes que nós temos são baseadas no que nós acreditamos. Para ela chegar a vender a virgindade é porque ela acredita (ou não acredita) em algo ligado a virgindade, e aos relacionamentos sentimentais e sexuais.

Provavelmente ela NÃO acredita que possa um dia ser amada ou que valha a pena ela guardar sua virgindade para um homem”, disse a pastora. Em declarações anteriores, Catarina afirmou que vê o leilão de sua virgindade como um negócio.

“Vejo isso como um negócio. Tenho a oportunidade de viajar, fazer parte de um filme e conseguir uma gratificação com isso”, disse Catarina. Ela receberá 20 mil dólares australianos (aproximadamente R$ 42,6 mil) e mais 90% do valor ofertado.

Considerando a fé daqueles que acreditam no valor da virgindade e seguem os princípios bíblicos, a pastora Sheeva expressou indignação sobre o fato de que o sexo seja utilizado como "algo descartável". "A Bíblia fala que o mundo está perdido.

E o comportamento dessa jovem é a prova disso. Até que ponto chegamos na humanidade? A ponto de uma jovem não só vender sua virgindade, mas usar isso como promoção, e lidar com o sexo como se ele fosse descartável". De acordo com ela, para os que conhecem a Bíblia - tem entendimento espiritual - a situação de Catarina está sendo um "escândalo".

Mas a pastora entende que Catarina tenha assim decidido por aparentemente não possuir o mesmo entendimento espiritual do que o sexo pode fazer com as pessoas (no âmbito espiritual, e não físico).

“Ela não tem esse entendimento espiritual, por isso ela está tratando o sexo como algo que água e sabão lavam". "Não falamos pela questão moral, mas pelo âmbito espiritual do que o sexo pode fazer e isso tem a ver com fé (....).

A Bíblia diz que para os que não creem, a Palavra de Deus é loucura", acrescentou. Catarina justifica sua decisão apontando que, "muita gente encontra desconhecidos nos bares, transa na mesma noite e nem lembra mais no outro dia; outros perdem a virgindade com namorados e depois as coisas mudam".

Outros líderes cristãos também se pronunciaram sobre o caso com grande indignação. O pastor Jaime Kemp, doutor em ministério da família que orienta a juventude brasileira, disse recentemente ao The Christian Post que se entristeceu com a notícia e chamou isso de “abuso”.

Leia também um post sobre o tema em "Uma só carne"

Fonte: The Christian Post
Images

Juízes 8: 22-35 - O pecado de Gideão


O pecado de Gideão

Depois de Gideão ter vencido os midianitas de forma impressionante, o povo de Israel quis fazer dele seu rei:

_ Você nos salvou dos midianitas. Portanto, seja nosso governador. E, depois de você, o seu filho e o seu neto e assim por diante.

Essa foi à primeira indicação que o povo queria um rei, formando uma dinastia, como as outras nações...

_ Eu não serei governador de vocês, e o meu filho também não.

_ Mas por que Gideão?

_ Porque O SENHOR Deus é quem será o governador de vocês.

Gideão aparece entre os heróis da fé na lista que se encontra em Hebreus 11, o primeiro dos juízes ali mencionados.

_ Escutem povo de Israel, tive uma ideia...

_ Vai aceitar nosso pedido?

_ Não, não. Quero que cada um me dê um dos brincos que tiraram dos vencidos.

Os midianitas usavam argolas de ouro nas orelhas porque eram gente do deserto.

_ Mas claro, nós os daremos com prazer a você.

Então estenderam uma capa, e cada um pôs nela os brincos que tinha tomado dos midianitas.

Os brincos de ouro que Gideão pediu pesaram quase trinta quilos.

Isso fora os enfeites, os colares e as roupas de púrpura que os chefes de Midiã usavam.

E sem contar também os enfeites que estavam no pescoço dos seus camelos.

Com o ouro Gideão fez um manto sacerdotal, e a pôs na sua cidade, em Ofra.

Péssima ideia!

Apesar de sua ilustre carreira militar, Gideão não era perfeito.

Não sabemos a intenção dele, mas os resultados são evidentes.

O povo usou aquele manto como um tipo de ídolo, e logo iniciou o próximo ciclo de apostasia.

E isso foi uma armadilha para Gideão e a sua gente.

Enfim, com os midianitas derrotados, os Israelitas por muito tempo deixaram de ser ameaçados.

E a terra ficou em paz durante quarenta anos enquanto Gideão viveu.

Depois que Gideão morreu, o povo de Israel que já não estava 100% comprometido com Deus, abandonou ao Senhor novamente e adorou os deuses dos cananeus.

Gideão teve setenta filhos, e um filho de uma concubina que se chamou Abimeleque...

Este, vocês verão mais adiante, dará muito trabalho...

Mas isso é assunto para as próximas postagens.

Em Cristo!
Images

Juízes 8:18-22 - Gideão acerta as contas com os reis midianitas


Gideão acerta as contas com os reis midianitas

Alguns dias depois, já em casa, Gideão voltou-se para Zeba e Salmuna e começou um interrogatório:

_ Com quem se pareciam os homens que vocês mataram em Tabor?

_ Pareciam com você. Todos tinham jeito de príncipe.

_ ELES ERAM MEUS IRMÃOS!

_ Irmãos?

Ninguém sabe absolutamente nada sobre as circunstâncias em torno deste massacre.

Parece que vários dos irmãos de Gideão foram capturados perto do Monte Tabor e morto por esses dois reis em uma das invasões.

Aqui vemos a primeira indicação de que Gideão estava se vingando de algo pessoal.

_ É, irmãos! Juro pelo SENHOR Deus que, se vocês não os tivessem matado, eu também não mataria vocês agora!

_ Hught...

_ Mas também não vou sujar as minhas mãos com vocês...

_ Ufa!

_ JETEEEEER?

_ Sim meu pai...

_ Pegue sua espada e mate estes canalhas.

_ Mamamas... Papapai...

_ Mas o que? Tá com medo de matar dois incircuncisos mequetrefes?

_ Não é isso papai...

_ É o que então?

_ É que sou uma criança e não posso com o peso da espada...

_ Hum...

Nos tempos antigos, era considerada uma humilhação vergonhosa ser morto pelas mãos de uma ou uma mulher.

Então Zeba e Salmuna disseram a Gideão:

_ Ei Gideão?

_ O que foi?

_ Venha você mesmo nos matar porque para isso é preciso ter coragem de homem.

Os reis preferiam ser mortos por Gideão de uma só vez do que serem golpeados, dilacerados e mutilados por um menino que mal podia com o peso de uma espada, o que resultaria em uma morte mais dolorosa e lenta.

Aí Gideão matou Zeba e Salmuna e pegou os enfeites em forma de meia lua que estavam no pescoço dos seus camelos.

E assim deu-se fim a guerra contra os midianitas.

Em Cristo!
Images

Juízes 8:10-17 – A prisão de Zelba e Samuna


A prisão de Zelba e Samuna

Zeba e Salmuna estavam em Carcor com seu exército.

Dos 135 mil midianitas, amalequitas, beduínos e demais incircuncisos, restavam apenas quinze mil homens.

Em vez de seguir o caminho dos midianitas, Gideão e seus homens foram pelo caminho que rodeava o deserto, a leste de Noba e Jogbeá, um caminho tortuoso abrangendo uma região povoada por beduínos nômades.

E atacou de surpresa o exército inimigo.

Zeba e Salmuna, os dois chefes midianitas, fugiram.

Mas ele os perseguiu e os prendeu.

E o exército inteiro foi derrotado.

Com os líderes midianitas presos, Gideão, voltou da batalha pela subida de Heres, diretamente para Sucote, onde teria que acertar algumas contas com aqueles que negaram auxilio quando mais precisou...

Lá chegando prendeu um moço de Sucote e lhe fez perguntas.

_ Quero que você me diga o nome dos líderes desta cidade...

Então o rapaz escreveu para Gideão os nomes dos setenta e sete chefes e líderes de Sucote.

Aí Gideão foi falar com os homens de Sucote e disse:

_ Vocês lembram-se de quando me desprezaram?

_ Não, você deve está nos confundindo com outras pessoas!

_ Vocês disseram que não iam dar comida para o meu exército cansado porque eu ainda não tinha prendido Zeba e Salmuna.

_ Há sim...

_ Muito bem, aqui estão eles!

_ Hught...

Então Gideão os prendeu e pegou plantas espinhosas do deserto e com elas castigou os chefes de Sucote.

Depois foi a Penuel, derrubar a torre que havia prometido, mas lá encontrou resistência e além de derrubar a torre matou os líderes daquela cidade.

Depois disso, voltou-se para Zeba e Salmuna a fim de acertar as contas com estes líderes midianitas...

Assunto que trataremos na próxima postagem

Em Cristo!

Images

Juízes 8:7-10 - Gideão pede ajuda aos homens de Sucote e Penuel



Gideão pede ajuda aos homens de Sucote e Penuel

Com medo de ofender os reis dos midianitas, eles recusaram ajudar os homens de Deus.

A decisão desses homens mostrava uma preocupação política ao invés de convicção espiritual.

Gideão não aceitou tal postura.

_ Está bem. Vocês não vão me ajudar, mas quando o SENHOR me entregar Zeba e Salmuna, eu rasgarei a carne de vocês com os espinhos das plantas do deserto. Esperem pra ver!

Revoltado, Gideão juntamente com seus soldados afadigados foi até a cidade de Penuel e fez o mesmo pedido aos homens dali.

Este foi o lugar onde Jacó lutou com o anjo, lembram?

Mas os homens de Penuel lhe deram a mesma resposta que os homens de Sucote tinham dado.

_ Eu não to acreditando! Quando eu voltar são e salvo, derrubarei esta torre aí?

Era uma torre usada como uma fortaleza e local de refúgio em tempos de perigo.

Dentro de suas paredes, provavelmente construído de pedra, os líderes Penuel sentiam-se seguros contra os midianitas, talvez por isso tão orgulhosamente recusaram ajudar os israelitas.

Mesmo assim, cansados e com muita fome, os 300 soldados não desistiram e continuaram sua peregrinação na caça aos midianitas...

Mas isso é assunto para a próxima postagem.

Em Cristo!
Images

Juízes 8:1-6 - Gideão e os homens de Sucote...


Gideão e os homens de Sucote...

Depois da batalha contra os Midianitas os homens da tribo de Efraim foram falar coma Gideão:

_ Por que você não nos chamou quando foi lutar contra os midianitas?

Os efraimitas eram os melhores guerreiros de Israel e ficaram zangados quando souberam do ataque...

_ Por que fez isso com a gente?

E tiveram uma discussão muito forte com Gideão.

Mas ele lhes disse:

_ Do que vocês estão reclamando? O que eu fiz com os midianitas não é nada comparado com o que vocês fizeram.

_ Como?

_ Prestem atenção, até aquilo que o menor dos homens de Efraim fez tem mais valor do que aquilo que todos os homens do meu grupo fizeram.

_ Hum...

_ Deus entregou Orebe e Zeebe, os chefes midianitas, os príncipes a vocês! Esqueceram-se disso?

_ É, é verdade...

_ E o que foi que eu fiz? Nada, se comparado com isso!

Quando Gideão disse isso, os homens de Efraim ficaram menos zangados.

Os efraimitas podiam ser os melhores guerreiros, mas não eram os mais inteligentes...

Desta forma Gideão contornou a situação e se livrou deste pequeno problema e concentrou-se na perseguição aos midianitas...

Isso mesmo, ainda tinha muitos midianitas para serem derrotados, eram tantos como gafanhotos, lembram?

Então Gideão e os seus trezentos homens já quase mortos de tanto cansaço e fome, foram até o rio Jordão e o atravessaram na procura dos midianitas.

Até que chegaram a cidade de Sucote e lá foi pedir pediu comida aos homens daquela cidade...

Eles estavam muito cansados, mas continuaram a perseguir o inimigo.

_ Olá!

_ Oi!

_ Eu sou Gideão e estou perseguindo os chefes midianitas Zeba e Salmuna, estamos lutando para livrar esta região dessa praga e os meus homens estão muito cansados e famintos...

_ Sei...

_ Então, como eles estão muito cansados, queria saber se vocês poderiam arrumar alguma alimentação para eles?

_ Hum... Mas por que devemos dar comida para o seu exército?

_ Por quê?

_ É, porque, se você ainda não prendeu Zeba e Salmuna!

Gideão não acreditou no que ouviu dos homens de Sucote e virou uma fera...

Mas isso é assunto para a próxima postagem.

Em Cristo!
Images

Juízes 7:16-25 - A derrota dos midianitas



A derrota dos midianitas

Vimos na postagem anterior que Gideão, voltou para o acampamento israelita todo animado e convocou rapidamente seus homens para a peleja...

Chegou o dia da grande batalha...

_ Levantem-se! O SENHOR Deus entregou o exército dos midianitas nas mãos de vocês!

_ VIVA!

_ Vou separá-los em três companhias de cem e entregarei a cada um de vocês trombetas e cântaros com tochas acesas dentro.

_ Perdão seu Gideão, mas se nos permite dizer algo?

_ Sim digam...

_ O exercito dos midianitas tem espadas, escudos, lanças e inumeráveis camelos, lembrando que o seu exercito era composto por 135.000 soldados, certo?

_ Sim, prossigam...

_ Agora você está dizendo que cada um de nossos 300 soldados vai atacá-los com 01 buzina, 01 cântaro e 01 tocha acesa? É isso?

Deus, na sua perfeita sabedoria, tinha um propósito bem definido na redução das forças militares de Israel...

Ele mandou seu exército à batalha com uma desvantagem tão grande que ninguém poderia dizer: "A minha própria mão me livrou"...

E agora usando uma estratégia que não fez nenhum sentido, em termos militares, fará a pequena banda de israelitas vencer o exército dos midianitas.

Até hoje, muitas pessoas não aprenderam esta lição...

Confiam em números, achando que grandes multidões são evidência da aprovação de Deus...

Dependem de estratégias e táticas humanas e carnais para alcançar seus milagres...

E, no fim, se gabam em seus relatórios, destacando os grandes feitos de homens.

_ Não se preocupem, confiem em Deus. Nós vamos agora para o acampamento dos midianitas.

Tem coisas que Deus faz que aos olhos do mundo parecem loucura, mas para os que crêem é poder de Deus...

_ Agora, quero que todos vocês prestem muita atenção! Quando eu chegar à extremidade do acampamento deles, quero que façam tudo o que eu fizer. Isso é muito importante, certo?

_ CERTOOOO!

_ Quando eu e o meu grupo tocarmos as cornetas, então vocês, que estarão cercando o acampamento, também tocarão as suas cornetas e gritarão bem alto a seguinte frase... "Pelo SENHOR e por Gideão!"

_ PELO SENHOR E POR GIDEÃO!

_ Isso mesmo!

_ Estão prontos?

_ ESTAMOOOOS!

Chegou a hora da Batalha, e a estratégia de Deus foi de cercar o arraial inimigo, e os 300 escondidos estavam em volta do exercito inimigo...

Mas você pode ter pensado...

E as tochas acesas?

Será que os inimigos não teriam visto?

Teriam se não fosse por um detalhe...

O cântaro vazio...

Sim, isto mesmo o cântaro vazio serviu para esconder as tochas acesas, assim eles puderam se aproximar sem serem vistos...

Deus é surpreendente!

Então as três companhias desceram silenciosamente até onde os midianitas estavam.

Cada homem levava uma trombeta numa das mãos e um cântaro na outra.

Chegaram ao acampamento inimigo pouco depois da meia-noite, logo após a troca dos guardas.

Então Gideão tocou sua trombeta e quebrou seu cântaro, descobrindo assim a luz da tocha.

Os cem homens de sua companhia o imitaram, assim como as outras duas companhias: todos tocaram suas trombetas, quebraram seus cântaros e gritaram: "Pelo SENHOR e por Gideão!"

E cada um ficou parado no seu lugar em volta do acampamento.

Agora imaginem a cena do ponto de vista dos midianitas...

Era madrugada no vale e nada se ouvia a não ser o cantos dos insetos...

Em meio ao silêncio e a paz momentânea que pairava no vale, todos dormiam apesar da preocupação advinda dos sonhos dos soldados que acabara se espalhando pelo acampamento midianita.

De repente soam trombetas, ouve-se o barulho de coisas se quebrando, e vê-se a luz de tochas surgidas fantasmagoricamente como por um milagre, ao mesmo tempo em que trezentas vozes gritam o nome do Deus e do líder de Israel.

Dá para imaginar?

Pensa... Meia-noite, todo mundo com sono, bêbados ou ambos, e não deu outra coisa...

Tumulto no acampamento, assombro generalizado...

O barulho acordou os midianitas e, vendo as luzes das tochas, o som das trombetas e os gritos, imaginaram que estavam sendo atacados por um poderoso exército e, na confusão da escuridão, passaram a se matar uns aos outros e a correr, e a gritar, e a fugir.

Fugiram na direção de Zererá e foram a Bete Sita e até a divisa de Abel Meolá, perto de Tabate.

Uma vitória impressionante!

Eles não tiveram que lutar, ficaram parados e o inimigo fugiu, assim Gideão prevaleceu com apenas 300 soldados e o nome do Senhor foi Glorificado.

Com isso, Gideão viu-se em condições de chamar o resto do seu povo e a tribo vizinha de Efraim para completarem a aniquilação do inimigo, impedindo que voltasse para as terras ao oriente do rio Jordão de onde havia vindo.

Os efraimitas assim fizeram e ainda prenderam os dois príncipes midianitas, Orebe e Zeebe.

Ambos foram mortos e suas cabeças levadas até Gideão.

Com essa impressionante vitória sobre os midianitas, até então tidos como invencíveis, Gideão começou a experimentar as dores de cabeça e também a glória de estar numa posição de destaque.

É o que veremos na próxima postagem.

Em Cristo!
Images

Juízes 7:9-15 - O pesadelo dos midianitas



O pesadelo dos midianitas

Tendo que enfrentar o poderoso inimigo com tão pouca gente, Gideão temia em seu íntimo.

O SENHOR sabia disso, e deu-lhe uma prova final permitindo que ouvisse uma conversa no acampamento inimigo que lhe daria coragem.

Deus pode nos dar a força necessária para qualquer situação, às vezes de maneiras inesperadas.

Devemos estar prontos a dar o primeiro passo: depois disso Ele nos dará coragem para prosseguir.

Naquela noite o SENHOR Deus disse a Gideão:

_ Vamos lá Gideão, levante-se e ataque o acampamento dos midianitas.

_ Hã? Já? Com apenas 300?

_ Não se preocupe, Eu já dei a vitória a você. Mas, se você estiver com medo de atacar, desça até o acampamento deles. Leve junto Purá, o seu ajudante.  Você vai ouvir o que eles estão dizendo e então terá coragem para atacar o acampamento.

Sua preocupação não era pra menos...

Os midianitas, os amalequitas e os povos do deserto estavam espalhados no vale, como uma nuvem de gafanhotos...

Eles e os seus camelos eram tantos como os grãos de areia da praia do mar.

Gideão, desconfiado como sempre, resolveu ir mesmo até o acampamento dos midianitas.

Chamou seu criado, Purá, e foram os dois até o primeiro posto avançado de sentinelas.

Quando Gideão chegou, ouviu um homem contando o seu sonho a um amigo.

_ Rapaz, tive aquele sonho hoje de novo.

_ O do pão de cevada?

— É. E dessa vez apareceu o nosso acampamento também.

_ Putz, o nosso acampamento? Então nem me conta!

_ Cara, foi um sonho bem absurdo, na verdade. Sonhei que um pão de cevada torrado descia rolando ali do morro. Vinha rolando na direção do nosso acampamento. Veio vindo, veio vindo, e bateu na tenda do comandante. A tenda se desmontou toda e ficou estendida no chão.

_ Eu disse para não me contar!

_ Você acha que faz algum sentido?

_ Rapaz, esse sonho é um desgraça! É a espada de Gideão, o israelita, o filho de Joás! Isso quer dizer que o Deus deles entregou a eles o nosso povo e todo o nosso exército! Tamo frito!

Quando Gideão ouviu esse sonho e entendeu o que ele queria dizer, ajoelhou-se e adorou a Deus.

Então voltou para o acampamento israelita todo animado e convocou rapidamente seus homens para a peleja...

Mas isso é assunto para a próxima postagem...

Em Cristo!
Images

Juízes 7:1-8 - Gideão e os 300!


Gideão e os 300!

Gideão juntou seus homens e anunciou o recado do Senhor, e resultado foi que para o espanto de Gideão, 22 mil medrosos soldados israelitas voltaram pra casa.

Mas dez mil ficaram.

Gideão ficou revoltado com a situação, pois seu exército foi reduzido a menos de um terço.

O SENHOR chamou a Gideão e disse:

_ Gideão?

_ Sim, meu Senhor!

_ Quantos soldados você tem agora?

_ Apenas dez mil Senhor...

_ Hum... Ainda é gente demais.

_ GENTE DEMAIS??? São dez mil soldados contra uma infinidade de midianitas!

_ Vamos diminuir este número...

_ E o que devo fazer agora?

_ Leve seus homens até a fonte para beberem água. Observe bem o jeito que cada um bebe. Aí você vai separar seu exército em dois grupos: de um lado, os homens que bebem levando as mãos em concha até a boca e lambendo a água como fazem os cachorros; do outro, os que se ajoelham para beber.

Aí Gideão fez com que os homens descessem até as águas.

Trezentos homens juntaram água nas mãos e lamberam. Todos os outros 9.700 se ajoelharam para beber.

_ Pronto Senhor. Fiz o teste. O exército foi reduzido a 9.700 homens. Tá bom agora?

_ Não!

_ Não?

_ É que você vai atacar os midianitas com o outro grupo.

_ Com os 300 homens?

_ Isso mesmo! Com estes trezentos homens que lamberam a água, eu libertarei vocês e lhes darei a vitória sobre os midianitas.

Com um exército tão pequeno, qualquer vitória só poderia vir mesmo de Deus.

_ E o que digo aos outros 9.700 homens?

_ Diga a eles que voltem para casa.

Então Gideão mandou todos os outros israelitas para casa deixando para os 300 homens toda a comida e todas as cornetas.

Vejamos como ficou a conta final.

EXERCITO DE GIDEÃO 300 ( Juizes 7:7 )

EXERCITO DOS MIDIANITAS 135.000 (Juizes 8:10 )

Proporção 450:1

Cada israelita teria que matar 450 soldados inimigo, aos olhos humanos impossível, somente um milagre para dar a vitória para o povo de Deus.

Estes 300 foram escolhidos por Deus para viver um dos maiores milagres registrados em toda Bíblia, um exercito de 300 homens iria enfrentar um exercito 135.000 soldado, e o que nos chama atenção é a coragem desses homens, pois eles não desistiram...

Deus escolheu as pessoas certas, 300 corajosos, 300 valentes, 300 homens totalmente dependentes de Deus pronto para vivenciar o maior milagre de suas vidas.

Agora era só ir para gerra, mas vemos pela Palavra que Gideão ainda não estava totalmente seguro, e Deus pela sua infinita misericórdia lhe da mais um sinal...

Assunto que veremos na próxima postagem.

Em Cristo!

Images

Juízes 7:1-3 - Gideão e seu poderoso exercito




Gideão e seu poderoso exercito

Tendo recebido de Deus todos os sinais que solicitara, Gideão e todos os homens que estavam com ele se levantaram de madrugada e foram acampar perto da fonte de Harode, ao sul do acampamento dos midianitas.

Então o SENHOR Deus chamou a Gideão:

_ Gideão?

_ Meu Senhor?

_ Estou vendo que você tem gente demais para esta empreitada!

_ Como?

_ Você tem gente demais e por isso não posso deixar que vocês derrotem os midianitas.

_ Mas porque meu Senhor?

_ Se eu deixar vocês derrotem os midianitas com um exercito deste tamanho, vocês vão pensar que os venceram sem a minha ajuda.

A auto suficiência é inimiga da fé, e para evitar essa atitude entre os soldados de Gideão, o SENHOR sugeriu reduzir seu efetivo...

_ O que vamos fazer então?

_ Precisamos reduzir o número de soldados.

_ Com todo respeito, meu Senhor... Estou aqui com 32 mil homens. O Senhor sabe quanto são os midianitas? Estes incircuncisos são como gafanhotos e seus camelos são como os grãos de areia da praia!

_ Não se preocupe Gideão. Quero apenas que você convoque seus homens e dê o seguinte recado: "Quem estiver com medo, que saia do monte Gilboa e volte para casa”.

_ Hã?

Espantado com o pedido, Gideão foi até o acampamento anunciar aos soldados a proposta do Senhor...

Será que haveria soldados com a coragem de demonstrar tamanha covardia?

Não, não seria possível...

Já haviam saído de seus lares, pairava no acampamento um otimismo nunca visto antes, estavam prestes a se tornar heróis, não desistiriam desta forma...

Mas não custava nada tentar...

Gideão juntou seus homens e passou o recado de Deus...

Resultado?

Veremos na próxima postagem!

Em Cristo!

Images

Juízes 6: 34-40 - Gideão pede sinais a Deus

Gideão pede sinais a Deus

Poucos dias depois, os midianitas, os amalequitas e os beduínos todos se juntaram, atravessaram o Jordão e acamparam no vale de Jezreel, preparando-se para mais uma maldita onda de saques.

Mas o Espírito do SENHOR revestiu a Gideão, e ele corajosamente convocou o povo à peleja.

Ele tocou uma corneta feita de chifre de carneiro, e os homens do grupo de famílias de Abiezer foram juntar-se a ele.

Mas Gideão queria um exército maior, então enviou mensageiros para chamar os homens das tribos de Manassés, de Aser, de Zebulom, de Naftali que também foram se juntar a ele.

Depois de juntar um exército respeitável, Gideão foi falar com Deus:

_ Ó Deus, tu disseste que queres me usar para libertar o povo de Israel... Pois bem. Já juntei um exército de respeito, agora preciso saber se realmente está comigo?

_ ...

_ Senhor?

_ ...

_ Vou pôr um pouco de lã no lugar onde malhamos o trigo. Se de manhã o orvalho tiver molhado somente a lã, e o chão em volta dela estiver seco, então poderei ficar certo de que tu realmente me usarás para libertar Israel.

Deus não respondeu nada, mas Gideão mesmo assim fez o teste.

E o que ele pediu aconteceu...

Na manhã seguinte Gideão se levantou, espremeu a lã, e dela saiu água que deu para encher uma tigela.

Hoje, Deus nos guia pela Sua Palavra, a Bíblia, que é a revelação completa de Deus.

Portanto, estude bem as Escrituras ao invés de pedir sinais... (2 Timóteo 3:16,17)

_ Hum… Será? Sei não, sei não… Eu queria uma contra prova, Senhor. Não fiques zangado comigo por favor. Mas deixa que eu lhe prove só mais uma vez, certo?

_ ...

_ Seguinte, desta vez quero que a lã fique seca, e que haja orvalho somente no chão em volta dela!

Deus continuou quieto.

Mas Deus fez isso naquela mesma noite.

Na manhã seguinte, a lã estava seca no meio de um campo todo molhado de sereno.

Então Gideão pensou:

_ Hum... Agora sim. Vou levar esse povo para a guerra contra os midianitas. Com um exercito desse tamanho e Deus ao meu lado não tem pra ninguém!

Gideão vai aprender que a auto suficiência é inimiga da fé, pois ela nos faz confiar em nós próprios...

Mas isso é assunto para a próxima postagem...

Em Cristo!
Images

Juízes 6: 31-33 - O novo apelido de Gideão


O novo apelido de Gideão

O povo foi até o Joás exigindo que o entregasse seu filho para ser morto, mas Joás disse:

_ Como é que é? Vocês estão defendendo Baal?

_ Sim!

_ Não é possível! Quem vier aqui defender Baal será morto antes do sol nascer.

_ Tá maluco, velho? Ou não eram seus estes ídolos?

_ É eram, mas se Baal é realmente deus, que ele mesmo se defenda.

_ Hum...

_ Afinal, o altar dele é que foi derrubado. Pois um "deus" que não consegue se defender contra um punhado de homens não merece defesa pelos homens.

Parece que Joás, pai de Gideão, foi o segundo convertido nessa história.

_ Aí galera, pensando bem, até que o velho tem razão, vamos sair fora.

Os homens voltaram para suas casas, derrotados pelos argumentos de Joás.

E Gideão ganhou naquele dia o apelido de Jerubaal, que significa “Que Baal mesmo se defenda. O altar dele é que foi derrubado”

Poucos dias depois, os midianitas, os amalequitas e os beduínos todos se juntaram, atravessaram o Jordão e acamparam no vale de Jezreel, preparando-se para mais uma onda de saques.

Gideão ficou sabendo e resolveu que era hora de assumir a liderança do povo e partir para a ação...

Mas isso é assunto para próxima postagem.

Em Cristo!


Images

Juízes 6:23-30 - Gideão destrói o altar de baal



Gideão destrói o altar de baal

Gideão compreendeu que era mesmo o Anjo do SENHOR que ele tinha visto.

Ficou apavorado e achou que ia morrer por ter visto a Deus face a face.

Mas o SENHOR imediatamente o tranquilizou:

_ Não fique com medo.

_ Hã?

_ Está tudo está bem. Você não morrerá.

Depois disso, Gideão construiu ali um altar para Deus, o SENHOR, e o chamou de "O SENHOR é paz".

Naquela noite o SENHOR disse a Gideão:

_ Gideão?

_ Senhor?

_ Tenho uma tarefa para você.

_ Fale meu Deus!

_ Leve o touro que pertence a seu pai e outro touro de sete anos e derrube o altar do deus Baal que é do seu pai e também o Poste ídolo que está ao seu lado.

Os dois representavam o pior tipo de imoralidade praticado ali.

Era um teste da fé e dedicação de Gideão, e ele estaria se arriscando a uma punição severa pelo povo.

_ Nesse lugar alto e seguro, faça para o SENHOR, seu Deus, um altar de pedras bem arrumadas. Depois pegue o segundo touro e a madeira do poste arrancado e queime tudo no altar como sacrifício.

Gideão levou dez dos seus empregados e fez o que o SENHOR tinha dito.

Porém, como estava com medo da sua família e do povo da cidade, em vez de fazer isso de dia, fez de noite.

De madrugada, quando os homens da cidade se levantaram, acharam o altar de Baal e o Poste-ídolo derrubados e o segundo touro queimado no altar que tinha sido construído ali.

_ Destruíram nosso deus baal! Destruíram nosso deus baal!

_ Que crime bárbaro!

_ Quem foi o responsável por esta profanação?

Procuraram saber e descobriram que tinha sido Gideão, filho de Joás.

Então foram falar com o pai dele:

_ Joás, traga seu filho aqui.

_ Pra quê?

_ Oras, pra quê! Pra gente matar o infeliz!

_ Mas por quê?

_ Porque o desgraçado destruiu nosso lugar de culto lá no alto do morro, que palhaçada é essa?

_ Hum...

_ Anda, anda, traz logo esta peste aqui!

Continua na próxima postagem...

Em Cristo!
Images

Juízes 6:12-22 - Gideão face a face com o Anjo do Senhor!



Gideão face a face com o Anjo do Senhor!

O anjo veio e sentou-se debaixo de um carvalho perto do povoado de Ofra.

Esse carvalho ficava na propriedade de um camarada chamado Joás.

Gideão, que era filho de Joás, estava malhando trigo num tanque de pisar uvas, escondido, para que os midianitas não o encontrassem, quando o anjo foi falar com ele:

_ Ei, rapaz!

_ Hum? Quem é?

_ Estou vendo que você é corajoso, quero lhe dizer que Deus está ao seu lado!

_ Ah, é? Então me explica uma coisa... Se o SENHOR Deus está com o nosso povo, por que está acontecendo tudo isso com a gente? Como é que os midianitas nos humilharam desse jeito? Dizem que Deus fazia coisas impressionantes antigamente, no Egito e no deserto. Cadê os milagres? Não vejo nada além de miseráveis midianitas desdentados correndo pra lá e pra cá com sangue no zóio.

_ Escute meu jovem, você vai livrar Israel das mãos do midianitas. É uma ordem do Deus todo poderoso.

_ Hum?

_ Vá com toda a sua força e livre o povo de Israel dos midianitas. É Deus quem está mandando que você vá.

Gideão deve ter ficado pasmado, pois não se considerava digno de tamanha responsabilidade...

_ Senhor... Minha família é a mais pobre da tribo de Manassés, e eu sou o mais pobre daqui de casa.

_ Você vai conseguir porque Deus estará ao seu lado lhe dando forças. Você vai esmagar os midianitas como se fossem um só homem.

_ Se tu estás contente comigo, então me dá uma prova de que és tu mesmo que estás falando. Mas antes, vou ali preparar uma comidinha pra gente.

_ Eu ficarei aqui até você voltar!

Gideão entrou em casa, cozinhou um cabrito e preparou pães sem fermento com dez quilos de farinha.

Depois de tudo pronto, botou a comida num cesto, o caldo numa panela, e levou tudo ao anjo do SENHOR, que estava debaixo do carvalho.

_ Pronto, está aqui algo para você comer, prove?

_ Antes, quero que você coloque a carne e o pão nesta pedra e derrame o caldo em cima.

Gideão arrumou a comida sobre a pedra, e despejou o caldo em cima.

Então o anjo estendeu seu cajado e o encostou na carne e no pão.

Imediatamente saiu fogo da pedra e incinerou toda a comida.

E o Anjo desapareceu.

Com isso Gideão se assustou ao perceber estava face a face diante de um Anjo do SENHOR (o Filho de Deus).

_ Ai meu Deus! Ai meu Deus! Vou morrer! Vou morrer!

Continuamos na próxima postagem.

Em Cristo!


Images

Juízes 6: 8-11 - Gideão, o quinto Juiz


Gideão, o quinto Juiz

Como eu disse na postagem anterior, depois de sete anos d angustia, Deus mandou um profeta, para dizer aos Israelitas algumas verdades:

_ Atenção Israelitas, assim diz o SENHOR, o Deus de Israel "Eu tirei vocês da escravidão do Egito. Eu os livrei dos egípcios e dos que lutaram contra vocês aqui, nesta terra. Expulsei os seus inimigos e dei a vocês a terra deles. Eu disse que sou o SENHOR, o Deus de vocês, e que vocês não deviam adorar os deuses dos amorreus, que viviam nesta terra. Mas vocês não quiseram me ouvir."

O povo ficou meio ressabiado com o recado trazido pelo profeta.

Só que não sabiam que, logo depois disso, Deus enviaria um anjo a Israel com alguém especial.

O SENHOR buscou entre o povo alguém que tivesse caráter e coragem para obedecer às suas instruções.

O SENHOR ia livrar o povo, mas não sem que representantes do povo demonstrassem fé e obediência ao que Ele iria mandar.

A missão os provaria severamente.

Deus nos dá livramento das nossas aflições, mas primeiro requer que nos voltemos a Ele, e que lhe sejamos obedientes.

E o escolhido foi Gideão, da tribo de Manassés.

Esta tribo tinha por herança a planície de Jezreel, ótima para lavoura, mas quando os midianitas e amalequitas vieram, eles fugiram para os montes.

Quando o anjo foi procurá-lo, Gideão estava ocupado, malhando o trigo as escondidas dos midianitas.

Lagar dos tempos bíblicos
Não estava trabalhando no alto do monte, ao ar livre, aproveitando o vento, onde normalmente seria feito esse trabalho, mas no lagar onde se espremiam as uvas, para não ser visto pelas pragas insaciáveis dos midianitas.

Sem dúvida Gideão estava frustrado, e foi nessa situação nada confortável que o Anjo do SENHOR foi falar com ele.

A declaração do anjo, para abrir conversa, foi surpreendente e Gideão foi logo soltando os cachorros...

Mas isso é assunto para a próxima postagem.

Em Cristo!
Images

Juízes 6: 1-7 - Os gafanhotos midianitas


Os gafanhotos midianitas

Passaram-se quarenta anos desde a vitória de Débora e Baraque sobre Jabim e Sísera, e o povo mais uma vez começou a adorar outros deuses, a situação de sempre.

E a praga da vez foram os midianitas, um povo nômade e pouco civilizado das imediações de Canaã.

Durante sete anos os israelitas foram infernizados pelos midianitas, que eram ferozes e em grande número.

Os midianitas eram descendentes de Abraão e sua segunda mulher, Quetura.

Como nação, haviam sido destruídos nos dias de Josué (Josué 13:21, 22).

Mais de dois séculos depois, seus descendentes se tornaram poderosos novamente e, aliados aos amalequitas, dominaram sobre o povo de Israel, destruindo suas plantações e apossando-se do seu gado, ovelhas e animais de carga.

E eles nem sequer se preocuparam em conquistar Israel, eram tão numerosos como gafanhotos, tinham também o mesmo comportamento desses insetos devoradores.

Então, toda vez que os israelitas semeavam a terra, os midianitas se juntavam aos amalequitas e outros agrupamentos de beduínos e atacavam as plantações.

Acampavam em território israelita e saíam fazendo arrastão, destruindo tudo.

Os israelitas chegaram ao ponto de se esconderem em covas, cavernas e fortificações nas montanhas para fugirem dessa praga.

Existe evidência delas ainda hoje.

Depois de sete anos de angústia, o povo novamente clamou ao SENHOR, (os israelitas de então eram como muitos cristãos de hoje, que só pensam em Deus quando a coisa aperta).

Mas antes de ajudá-los, Deus primeiro mandou um profeta para recordá-los quem Ele era, e que Ele os havia prevenido a não temerem os deuses dos amorreus...

Assunto que trataremos na próxima postagem.

Em Cristo!


Images

Juízes 5:1-31 - A poesia de Débora

A poesia de Débora 

 A chave para a interpretação do capítulo 4 está no capítulo seguinte, Juízes 5.

 Não sei se você percebeu, esse capítulo é uma poesia.

 Ele é bastante parecido, na forma e no conteúdo, com o “cântico de livramento” entoado pelos israelitas após a travessia do Mar Vermelho, quando o exército egípcio foi abocanhado pelas águas raivosas deste mar. (lembra não? Então confere em Êxodo 15).

 Da mesma forma que a profetisa Miriã ajudou na composição do “cântico do livramento”, Débora também lança mão da pena para escrever esta obra...

 Não vou nesta postagem descrever os detalhes do cântico, apenas vou resumir rapidamente a sequencia dos argumentos do capítulo 5.

 Já de cara, no versículo 2 do capítulo, podemos entender a chave do capítulo anterior...

 Ele diz o seguinte: “Desde que os chefes se puseram à frente de Israel, e o povo se ofereceu voluntariamente, louvem a Deus o SENHOR.”

 Israel louva ao Senhor porque seus líderes criaram vergonha e foram realmente líderes, depois de muitos anos de pouca, ou nenhuma, liderança de fato.

 E, uma vez que os líderes assumiram sua posição, o que aconteceu?

 O povo (ou, pelo menos, parte deles) os seguiu, pois muitos voluntários se juntaram a seus irmãos israelitas na guerra contra os cananeus.

 Os versos 3 a 11 relacionam a entrega da lei no monte Sinai à libertação dos israelitas sob a liderança de Débora e Baraque.

 Nos versos 16 a 18 vemos um contraste gritante entre os “batalhadores” (Zebulom e Naftali, verso 18) e os “preguiçosos” (como Dã e Gileade, verso 17).

 Os versos 19 a 23 descrevem, em linguagem poética, a batalha travada entre cananeus e israelitas.

 Os versos 24 a 27 são poéticos, mas bastante esclarecedores, descrevendo a morte de Sísera pelas mãos de Jael. Nestes versos Jael recebe a glória que teria sido dada a Baraque.

 Os versos 28 a 30 pintam uma cena dramática. A cena é mostrada do “ponto de vista feminino”. Se Débora, a “mãe de Israel”, representa as mulheres israelitas, a mãe de Sísera representa as angustiadas mulheres cananéias, cujas perdas foram grandes nesse dia.

 O verso 31 conclui o cântico com uma bênção e uma maldição...

 Se Débora viu o poder de Deus repetido na guerra contra Sísera, agora ela vê esta batalha como uma figura do futuro relacionamento de Deus com os homens.

 _ Que todos os inimigos de Deus pereçam, como os cananeus nesta batalha...

 _ E que todos aqueles que amam a Deus sejam abençoados, brilhando como o sol em todo o seu poder e glória.

 E foi o que aconteceu...

 Os compatriotas israelitas que saíram em auxílio de seus irmãos foram abençoados.

 Já os infames que se recusaram em dar auxílio, foram amaldiçoados, não muito diferente dos cananeus que se opunham ao povo de Deus.

 Em Cristo!
Images

Juízes 4: 20-24 - Jael mata Sísera


Jael mata Sísera

Assim que Sísera dormiu, Jael pegou um martelo e uma estaca da barraca, entrou de mansinho e fincou a estaca na cabeça dele, bem na fonte.

A estaca atravessou a cabeça e entrou na terra.

Morreu na hora.

Pronto, Israel estava livre de seu grande inimigo.

Momentos depois Baraque aparece todo machão no acampamento dos queneus esperando poder completar sua vitória:

_ Onde ele está? Cadê o miserável do Sísera?

Jael disse:

_ Venha cá, e eu lhe mostro o homem que você está procurando.

Então Baraque foi com ela e encontrou Sísera no chão, morto, com a estaca atravessada na cabeça.

Jael foi à heroína do combate e foi abençoada por Débora.

Era ela uma heroína?

Não sei...

Oportunista?

Não sei...

Traiçoeira?

Também não sei...

O fato é que a Bíblia diz que Débora a declarada bendita entre as mulheres que moram em tendas.

Para mim, esta atitude de Jael foi, realmente, muito chocante, mas Deus não a incrimina de nada.

Ela, na verdade, foi um instrumento usado por Deus para dar vitória a Seus filhos.

Em Cristo!

Images

Juízes 4: 15-19 - O primeiro engarrafamento da história



O primeiro engarrafamento da história

Baraque desceu o monte Tabor com seus dez mil homens, imaginando como iria neutralizar o exército de Sísera e seus possantes carros assassinos...

Quando Baraque apareceu com o seu exército, o SENHOR fez com que houvesse uma grande confusão no meio dos soldados provocando um grande engarrafamento nos carros de Sísera e assim neutralizando sua potente tecnologia.

Como Deus fez isso?

Bem, ele enviou uma chuvinha básica que, inundou o riacho e o vale arrastando o exército e os carros de Sísera, neutralizando e tornando vítimas fáceis dos israelitas.

Sísera que não era bobo nem nada, desceu do seu carro e fugiu a pé.

Enquanto Sísera tentava livrar o seu couro, Baraque agora muito corajoso quebrava tudo...

Não sobrou nenhum inimigo e pneu para contar história...

Enquanto isso, Sísera, esgotado, procurou refúgio no acampamento de Héber, um queneu, que não havia entrado na peleja a favor de Israel, pois havia paz entre o seu grupo e Jabim, rei de Hazor.

_ Parando lá, quem é você?

_ Olá, sou Sísera da parte do rei Hazor e venho em paz...

_ O que você deseja aqui?

_ Apenas um abrigo.

Os queneus eram descendentes do sogro de Moisés, nômades e simpáticos aos israelitas.

Héber se afastou de onde eles viviam, no deserto, e havia levado suas tendas, com sua família, servos e animais para dentro do território de Israel, estando nesta ocasião junto a Quedes, onde o exército israelita se ajuntou.

Jael, esposa de Héber, saiu de sua barraca e ofereceu hospitalidade ao militar exausto;

_ Me desculpe interrompê-los, mas não pude deixar de ouvir a conversa...

_ Hum...

_ O senhor deve estar muito exausto...

_ E como estou!

_ Então fique a vontade e pode descansar em nossa barraca.

_ Hum...

_ Venha, não tenha medo.

_ Tudo bem, eu acho que vou aceitar...

_ Muito bem fique a vontade.

_ Obrigado.

Sísera entra na barraca e deita-se exausto.

_ Agora, descanse e me deixe lhe cobrir...

_ Muito obrigado. Você é muito gentil...

_ Não foi nada. Deseja mais alguma coisa senhor Sísera?

_ Bem, se não for muito incomodo, gostaria de um pouco de água porque estou com muita sede.


Ela abriu um odre de leite e lhe deu de beber.

Quando Sísera pediu água e Jael lhe deu leite, ela estava oferecendo o que havia de melhor em casa.

O povo daquela região apreciava esta bebida, feita com leite de cabra colocado num odre velho que, depois, era chacoalhado.

O leite, então, azedava ou fermentava, quando misturado com as bactérias que permaneciam no odre já usado anteriormente


_ Deseja que eu lhe faça mais alguma coisa?

_ Olha, se não for muito incômodo, você pode ficar na porta da barraca vigiando?

_ Hum... Tudo bem eu fico, e se aparecer alguém?

_ Se alguma pessoa vier e perguntar se há alguém aqui, diga que não tem ninguém.

_ Entendi, agora pode dormir tranquilo.

Sísera estava muito cansado e confiando na aparente bondade dela, caiu num sono profundo.

Assim que começou ouvir o ronco do troglodita, Jael saiu para colocar em prática o plano que a faria uma heroína entre os Israelitas.

Mas disso, falamos na próxima postagem.

Em Cristo!



Images

Juízes 4:9 - 14 - Baraque, o covarde!


Baraque, o covarde!

_ Só irei se você for comigo. Se você não for, eu também não irei.

Dizem as más línguas que Baraque era covarde e por isso o SENHOR teve que usar uma mulher para liderar o povo nos combates...

Foi em consequência disso que Baraque foi privado da honra da investida contra o inimigo: o SENHOR entregaria o famigerado Sísera nas mãos de outra mulher (Jael).

_ Está bem! Eu vou com você.

Débora era uma mulher valente, ansiosa para livrar seu povo do inimigo, ela não hesitou em acompanhar o acanhado Baraque até o norte para juntar seu exército em Quedes de Naftali.

_ Mas você não ficará com as honras da vitória, pois o SENHOR Deus me disse que entregará o incircunciso do Sísera nas mãos de uma mulher.

_ Hught...

Depois deste tapa na cara, Baraque envergonhado, convocou as tribos de Zebulom e Naftali para a cidade de Quedes, e dez mil homens o seguiram.

E Débora foi com ele...

Débora não teve medo de ir ao norte com Baraque, onde os cananeus botavam o maior terror nas populações ao ponto de estes não usarem mais as vias públicas.

Alguns comandantes em Israel, se ofereceram para combater voluntariamente...

Algumas tribos ajudaram, como, Naftali e Zebulon, a tribo de Efraim que contribuiu com guerreiros, bem como Benjamim e a meia tribo de Manassés.

Mas a união entre as tribos não estavam lá aquelas coisas...

Outras, por exemplo, nada fizeram para ajudar... Lá para as bandas de Rúben, distante, ao sul e do outro lado do Jordão houve opiniões divergentes e muita discussão mas ficaram por lá...

De Gade e da outra meia tribo de Manassés, também do outro lado do Jordão, não foi ninguém...

Dã, no litoral do Mediterrâneo, preocupou-se com seus navios e não ajudou...

Aser, também no litoral, nada fez...

Enquanto isso, a notícia do ajuntamento israelita e de sua subida pelo monte Tabor correu e chegou aos ouvidos de Sísera, "o terrível", que prontamente convocou seu exército raivoso e foi ao encontro dos revoltosos.

O caminho melhor para seus carros era o vale do ribeiro Quison, e foi por ali que subiram em direção ao monte...

A chapa estava prestes a esquentar...

Então Débora disse a Baraque:

_ Agora é s sua vez, vá!

_ Que-quem? E-eeu?

_ É, você Baraque! Vá agora porque é hoje que o SENHOR lhe dará a vitória sobre Sísera. O SENHOR está com você!

Então Baraque, pela graça e misericórdia do Senhor, desceu do monte Tabor com os seus dez mil homens...

O que aconteceu com nosso... corajoso guerreiro?

É assunto para a próxima postagem...

Em Cristo!
Images

Juízes 4:1-8 - Débora, uma mãe para os Israelitas.




Débora, uma mãe para os Israelitas.

Para não perder o costume, pela terceira vez, depois da morte de Josué, o povo de Israel voltou a pirar o cabeção, ignorando os mandamentos de Deus... 

O Senhor então, os entregou nas mãos dos cananeus (que já não mais estariam na terra se os israelitas houvessem obedecido fielmente ao SENHOR). 

Desta vez foi o rei Jabim, de Hazor, que dominou os israelitas. 

Mais de um século antes, Josué havia derrotado outro rei Jabim de Hazor e destruído esta cidade completamente. 

Evidentemente com o tempo, os israelitas permitiram que os cananeus se reorganizassem como nação e reconstruíssem a cidade (que ficava dentro do território de tribo de Naftali), e se fortificassem. 

Com o tempo, Hazor, tornou-se na mais importante cidadela do norte de Canaã, controlando a principal rota comercial. 

Com isso cessaram as caravanas, e os viajantes tinham que tomar desvios tortuosos, ficando desertas as aldeias em Israel. 

O comandante do exército de Hazor era um tal de Sísera (Servo de Ra, um insignificante deus egípcio), esse camarada contava com novecentos carros de combate de ferro, o suficiente para maltratar violentamente seus vizinhos narigudos. 

Novamente os filhos de Israel clamaram ao SENHOR e, somente depois de um castigo de vinte anos, veio o livramento. 

É notável que desta vez o SENHOR usou duas mulheres: Débora (Abelha) e Jael (Cabra Montanhesa). 

Mas vamos falar por hora de Débora, que era casada com Lapidote (Tochas), ela era profetisa e julgava a Israel naquele tempo. 

Ela é a segunda profetisa mencionada na Bíblia até agora... 

A primeira foi Miriã, irmã de Moisés, e as outras foram Hulda (2 Reis 22:14), a falsa Noadia (Neemias 6:14), a esposa de Isaías (Isaías 8:3), Ana (Lucas 2:36) e a falsa Jezabel (Apocalipse 2:20), sete ao todo. 

Débora considerava-se como uma mãe dos israelitas e como a mãe que protege seus filhos e enfrenta corajosamente o que representa um perigo para eles, ela agiu com sangue no zóio por Israel. 

Ela foi um dos juízes mais notáveis de Israel, e a terra ficou em paz por quarenta anos. Para acabar com a raça de Sísera, Débora chamou Baraque, um líder militar da tribo de Naftali, até onde ela estava, bem mais ao sul, na região montanhosa perto de Betel. 

_ Pois não, Sra. Débora, a que devo a honra de seu chamado? 

_ Quero que em nome do SENHOR, você reúna no monte Tabor, um contingente de dez mil homens das duas tribos... 

_ Sim, e para qual motivo, com o perdão do atrevimento? 

_ O SENHOR nos prometeu que dará em suas mãos aquele incircunciso do Sísera, juntamente seu exército e suas parafernálias assassinas. 

_ Bom, eu até vou, mas... 

_ Mas o que? 

_ Eu só concordo em fazer isso se você for junto... 

_ Hum... 

Baraque sabia que Débora era conhecida e respeitada pelo povo e lhe daria a autoridade que lhe faltava no território de outra tribo. 

Como veremos na próxima postagem, Baraque não tinha fé, autoridade, condições morais ou coragem para formar um exército para a libertação de Israel. 

Em Cristo!