Images

Deuteronômio 31:16-22 - A teimosia dos israelitas

A teimosia dos israelitas

Deuteronômio 31:16-22

O Senhor chamou Moisés e lhe disse:

_ Moisés?

_ Sim meu Senhor!

_ Eu quero lhe falar um pouco a respeito do futuro da nação de Israel...

_ Estou ouvindo Senhor...

_ Os Israelitas vão entrar em Canaã. Serão vitoriosos e passarão a morar lá. Mas esse povo é teimoso, não adianta: depois de um tempo, vão começar a adorar outros deuses e eu os abandonarei à própria sorte. Serão derrotados pelos seus inimigos e levados para terras distantes, então saberão que estão sofrendo pela própria desobediência.

Já se estavam manifestando certas tendências que indicava qual teria de ser a futura conduta da nação.

_ Pois é, e quando isso acontecer, eu ficarei irado com eles e os abandonarei; e, por não terem a minha ajuda, eles serão destruídos. Virão tantos desastres e tantas dificuldades, que eles dirão: "Nós estamos sofrendo tudo isso porque o nosso Deus não está conosco.

Isto significava que Deus tiraria sua mão protetora.

_ Nesse tempo eu certamente os abandonarei, pois fizeram muitas maldades e adoraram outros deuses.

_ Fico muito triste com essa notícia... O que o Senhor deseja que eu faça?

_ Escreva uma canção e ensine aos israelitas.

_ Uma canção?

_ Isso mesmo... Os israelitas devem aprender a cantar este canto, para transmitir de geração em geração. Assim ficará sempre vivo em sua memória.

_ Mas Senhor, este povo pode mudar e lhe honrar diferentemente de seus antepassados!

_ Eu sei muito bem o que este povo está pensando; mesmo antes de levá-los para a terra que jurei dar a eles, eu sei muito bem o que estão planejando fazer lá.

Naquele mesmo dia Moisés escreveu a canção e a ensinou ao povo de Israel.

Em Cristo!

A seguir: Josué se apresenta a Deus!

Images

Deuteronômio 31:1-15 - Moisés instrui Josué

Moisés instrui Josué

Deuteronômio 31:1-15

Aproximando-se a faze final de seu trabalho, Moisés prevê uma transição suave na administração da aliança após sua morte.

Então resolveu chamar Josué para passar-lhe algumas instruções.

_ Pronto senhor, aqui estou...

_ Bem Josué, eu convoquei o povo para um último pronunciamento, e dessa vez você estará ao meu l-lado.

_ Será uma honra, senhor!

_ Muito bem, agora vamos lá fora, que o povo está esperando.

Os dois foram para frente da tenda de Moisés, onde o povo estava reunido.

Os israelitas já estavam impacientes com tanta espera, e naquele momento romperam o silencio em aplausos quando viram Moisés e Josué saindo da tenda.

Então Moisés dirigiu-se ao povo e começou a falar:

_ Atenção povo de Israel! Eu Já estou com cento e vinte anos e o SENHOR Deus me disse que eu não vou atravessar o rio Jordão.

Silencio mortal no acampamento...

Mas antes que o povo manifestasse algum tipo de desespero, Moisés dá continuidade em seu pronunciamento...

_ Não se preocupem, O SENHOR, nosso Deus irá à frente de vocês e destruirá os povos que encontrarem, e vocês tomarão posse da terra. E, conforme o SENHOR ordenou... Este jovem aqui, Josué, os comandará...

O povo aplaudiu timidamente, ainda não acostumado com a possível ausência de Moisés que embora velho aparentava boa saúde...

_ Não se preocupem, com Josué à frente, Deus destruirá aqueles povos como destruiu Seom e Ogue, os reis dos amorreus, e a terra deles.

O novo líder nomeado por Deus, como Moisés tinha recebido a devida preparação para seu trabalho.

Tinha estado com Moisés na proclamação da lei, nas guerras e na condução do povo.

Como os 12 apóstolos escolhidos por Cristo, tinha recebido uma preparação especial devida à experiência e a sua associação com Moisés.

_ Deus entregará esses povos em suas mãos, e vocês devem tratá-los exatamente de acordo com as ordens que lhes dei. Sejam fortes e corajosos, não se assustem, nem tenham medo deles, pois é o SENHOR, nosso Deus, quem irá com vocês. Ele não os deixará, nem os abandonará.

Depois Moisés chamou Josué e, na presença de todo o povo, lhe disse:

_ Josué...

_ Sim, meu senhor...

_ Seja forte e corajoso meu filho...

_ Serei meu senhor...

_ Olhe bem para este povo... Você irá comandá-los na conquista da terra que o SENHOR jurou que daria aos nossos antepassados...

_ Com Deus ao nosso lado, chegaremos lá...

_ Muito bem Josué... O SENHOR Deus irá à sua frente, ele mesmo estará com você e não o deixará, não o abandonará. Não se assuste, nem tenha medo.

Ao fim de seu pronunciamento, o povo aplaudia Moisés e dava vivas a Josué, seu novo líder.

Depois disso, Moisés reuniu os levitas e entregou a eles seus pergaminhos com todas as leis que havia anotado.

Instruiu-os para que guardassem os pergaminhos ao lado da Arca da Aliança, e que fizessem sua leitura pública a cada sete anos durante a Festa das Barracas.

Logo após, O SENHOR Deus disse a Moisés:

_ Moisés?

_ Sim meu SENHOR...

_ Está chegando o dia da sua morte.

_ É... Eu sei...

_ Chame Josué, e vocês dois vão até a Tenda Sagrada. Ali darei as minhas ordens a Josué.

Então Moisés e Josué foram, e ali na Tenda Sagrada o SENHOR Deus apareceu numa coluna de nuvem, que estava parada perto da entrada da Tenda.

Os dois entraram no Tabernáculo, onde Deus estava presente, para lhes falar de algo não muito agradável...

Mas isso é papo para próxima postagem.

Em Cristo!

A seguir: A teimosia dos israelitas

Images

Deuteronômio 29 e 30 - O terceiro discurso de Moisés


O terceiro discurso de Moisés

Chegamos ao terceiro e último discurso, o mais curto de todos, mas também o mais bonito.

Moisés começa seu pronunciamento relembrando mais uma vez a saída do Egito...

A diferença é que dessa vez ele enfatiza os milagres que iniciaram o Êxodo, dizendo que os israelitas viram tudo, mas não tinham capacidade de compreender...

Enfatizou que em 40 anos de jornada pelo deserto de uma forma impressionante as roupas e sapatos dos hebreus não se desgastaram...

A lembrança dos milagres e da incapacidade humana de compreender os atos divinos serve como gancho para a segunda parte do discurso que tem como tema central, a obediência.

Moisés fala sobre as terras por onde passaram nesses 40 anos e sobre os deuses adorados em cada uma delas e conclama Israel à fidelidade a seu Deus.

Diante disso, Moisés fez várias advertências...

Falou de um futuro terrível para Israel em caso de desobediência, sendo o povo levado cativo e espalhado por todo canto da terra...

Disse também que se depois de desobedecer, o povo de Israel demonstrar arrependimento real e sincero, Deus trará os israelitas dos cantos mais distantes da Terra de volta a Canaã.

Judeus e cristãos acreditam que esta profecia tenha começado a se cumprir em 1948, quando da criação do Estado de Israel...

Moisés encerra seu discurso dizendo que os mandamentos que ele entrega ao povo não são difíceis de entender nem de cumprir...

Moisés exorta o povo à obediência e ao amor a Deus, para que vivam muitos anos na terra prometida aos patriarcas...

Em Cristo!

A seguir: Moisés instrui Josué
Images

Deuteronômio 4: 44-49 até 28:68 - O segundo discurso de Moisés


O segundo discurso de Moisés

Deuteronômio 4: 44-49 até 28:68

O que? Se espantou com a quantidade de capítulos resumidos numa só postagem?

Por quê? Bem, eu já falei na postagem anterior... A maior parte de Deuteronômio é basicamente repetição do que já vimos nos três livros anteriores.

Então vamos lá?

O primeiro discurso foi só para aquecer...

Neste segundo, Moisés reúne o povo novamente e fala mais do que o Lula em tempos de eleição.

Começa relembrando os Dez Mandamentos, recebidos por ele no alto do monte Sinai...

Fala do medo que o povo sentiu durante o tempo em que ele esteve no alto do monte...

Enfatiza o primeiro mandamento, dizendo que se deve temer e adorar a Deus...

Deuteronômio 6:4, é o versículo chave desta postagem;

"Ouve Israel, o Senhor nosso Deus é o único Deus é o único Senhor"

Este versículo é tão importante e é tão conhecido pelos Judeus como o Shemá e é declarado por eles em todo o mundo até os dias de hoje.

Moisés faz avisos quanto aos perigos da desobediência e dá instruções para a invasão de Canaã, para evitar a contaminação com os costumes dos povos de lá...

Faz uma exortação à humildade ao dizer que Deus não entregou Canaã aos israelitas porque eles eram bons, mas antes porque os habitantes da terra é que são maus, não havendo, portanto nenhum merecimento na conquista da Terra Prometida, e sim o cumprimento de um plano divino...

Moisés fala de quando desceu do Sinai e se deparou com o povo adorando um bezerro de ouro, da fúria que sentiu (levando-o a quebrar as tábuas dos Dez Mandamentos), da intercessão que fez pelo povo para que Deus não os destruísse e das novas tábuas, que ele teve que cortar e talhar à mão...

Depois de contar tudo isso, Moisés começa a revisar várias leis...

Lá pelo capítulo 27 Moisés dá a entender que está finalizando seu discurso ao começar a falar dos preparativos para a entrada em Canaã...

Parecia ser o final, mas no capítulo 28 Moisés retoma o discurso, falando  mais um pouco... Desta vez sobre  as bênçãos para os obedientes e castigos para os desobedientes...

Pronto...

Concluído o resumão...

A seguir, o terceiro discurso!

Em Cristo!

A seguir: O terceiro discurso de Moisés
Images

Deuteronômio 1:1 até 4:43

O primeiro discurso de Moisés

Fazia aproximadamente 40 anos que o povo de Israel havia saído do Egito e agora nas proximidades do vale do rio Jordão, aguardavam com ansiedade o comando de seu líder para entrar em Canaã...

Antes, porém Moisés resolveu fazer uma série de discursos relembrando a eles tudo o que acontecera nesses quarenta anos, assim como as leis e rituais que deveriam seguir.

Neste primeiro discurso Moisés leva o povo ao passado e às experiências de Israel e dá uma aula e discorre sobre toda a história de Israel, aos mandamentos e dá uma ênfase a estas leis.

_ Atenção povo de Israel, acomodem-se... Antes de entrar na terra que vos aguarda, quero lhes relembrar algumas coisas importantes...

O povo então se acomoda, e um silêncio impressionante invade o acampamento...

_ Bom, há aproximadamente quarenta anos, quando ainda estávamos no pé do monte Sinai, o Senhor nos mandou levantar o acampamento e caminhar deserto adentro nos conduzindo nesta direção... Então começamos nossa jornada que agora está quase no final... Canaã fica logo ali, só o rio nos separa da terra prometida. Mas antes de entrarmos lá, queria contar como foi nosso caminho até aqui…

E Moisés falou...

E falou...

E depois falou mais um pouco...

Falou dos ajudantes que escolheu, dos espiões mandados para Canaã (cuja covardia irritou a Deus a ponto de condenar os israelitas a 40 anos de caminhada pelo deserto), da necessidade que tiveram de contornar Edom quando o rei daquele país não permitiu sua passagem, da guerra contra o rei Seom pelas mesmas razões, da derrota de Ogue, rei de Basã, das tribos que ficariam a leste do Jordão...

E Moisés falou...

Continuou seu pronunciamento exortando o povo à obediência das leis e avisando contra a adoração de ídolos...

E tome-lhe discurso...

Terminado este primeiro discurso, Moisés escolheu as cidades para fugitivos a leste do Jordão... Bezer na tribo de Rúben, Ramote em Gade e Golã na Manassés Oriental.

Mas isso foi só uma pausa... Escolhidas as cidades, Moisés começaria seu segundo discurso, mais longo e detalhado que o primeiro.

Eles precisavam ouvir...

Apesar de não fazerem parte daquela geração de murmuradores, já deram indícios de que lhes faltava fé em momentos de dificuldades, portanto Moisés precisava lembrá-los do passado ressente...

Para nós também é importante olhar para o passado que era deserto, para entender o que está acontecendo agora e ser abençoado no futuro, e ficar atento para mudar de condição.

Para algumas pessoas, olhar para o passado é relembrar das perdas, coisas ruins e não gostar muito e não nos fazer muito bem, mas algo não pode ser ignorado, olhar com olhos de aprendiz e saber o porquê é importante olhar para trás...

Eles precisavam aprender com os seus erros, com os erros dos outros , compreender o presente, honrar as suas raízes e lembrar que faziam parte de um plano Divino .

E Moisés falou mais...

Em Cristo!

A seguir: O segundo discurso de Moisés

Images

Introdução ao Deutoronômio

Em fim, vamos começar Deuteronômio?

O nome do quinto livro da Bíblia, e último do Pentateuco, deriva de duas palavras gregas: deuteros (“segundo”) e nomos (“lei”).

Isso quer dizer que teremos mais leis?

Não precisamente, teremos as mesmas leis vistas pela segunda vez.

Mas o livro de Deuteronômio contém uma mensagem dinâmica para o povo de Deus.

Depois de vaguearem pelo deserto por 40 anos, os filhos de Israel achavam-se então no limiar da Terra da Promessa...

O que os aguardava? Quais seriam os problemas peculiares a enfrentar do outro lado do Jordão? O que teria Moisés a dizer finalmente à nação?

O Deuteronômio trata da compilação de uma série de discursos proferidos por Moisés às margens do Rio Jordão.

Está formado principalmente por quatro discursos (ou três, segundo alguns especialistas), com notas que os unem.

O primeiro discurso anuncia a destituição de Moisés de seu posto diretivo.

Começa com um resumo histórico e termina com uma exortação a guardar a lei.

O segundo discurso repassa o Decálogo como base do pacto entre Deus e Israel e admoesta a Israel a obedecer; o corpo do discurso está formado por uma relação dos requerimentos da legislação civil, social e religiosa.

O terceiro discurso diz respeito ao ritual da bênção e a maldição.

O quarto discurso novamente apresenta, com um breve resumo histórico, uma exortação a guardar a lei, e explica o pacto no coração.

Na oratória de Deuteronômio, Moisés faz um apelo a seu povo a ordenar suas vidas de acordo com a vontade revelada de Deus.

Obediência significa vida; desobediência significa morte.

Moisés emprega fatos históricos como base de sua exortação, e reforça sua mensagem apelando ao amor e gratidão de Israel para Deus e sua dignidade como povo escolhido.

Como peça de grande oratória, única em seu gênero, Deuteronômio é a despedida de um homem que amou tão profundamente a seu povo, que rogou ser apagado do livro da vida se o pecado deles não pudesse ser perdoado (Exo. 32: 32).

A influência de Deuteronômio, e seu lugar na vida religiosa dos hebreus, e do cristianismo, são grandes.
O redescobrimento do "livro da lei" nos tempos do rei Josias produziu uma das maiores reformas religiosas da história.

Deuteronômio chegou a ser a pedra angular da devoção religiosa hebréia; todo verdadeiro hebreu recitava um de seus capítulos diariamente.

Séculos depois (1.300 anos depois de Moisés, na verdade), quando tentado por satanás, são as citações do Deuteronômio que Jesus Cristo vai recorrer para derrotar seu adversário.

Devido a seu caráter repetitivo, creio que minha releitura desse livro será breve e suave para vocês.

Sentem-se, acomodem-se.

Vamos ouvir o que Moisés tem a dizer...

Em Cristo!

A seguir: O primeiro discurso de Moisés
Images

Números 36:1-13 - O último capítulo de Números

O último capítulo de Números

Números 36:1-13

Cada tribo recebeu uma extensão de terra como herança sua, e dentro de cada tribo cada família tinha a sua.
A herança passava aos filhos homens de geração em geração.

Disso surgiu o problema da herança quando não havia filhos homens na família, que foi resolvido permitindo que, neste caso, as filhas tivessem direito à herança.

Mas agora surgiu outro problema: se uma herdeira se casasse com um homem de outra tribo, a herança passaria a ser propriedade da tribo do marido, e esta mudança seria permanente no ano do jubileu (Levítico 25:10).

A tribo a quem elas pertenciam teriam desta forma sua herança reduzida e a outra, a quem pertencia o marido, aumentada.

A solução que Moisés recebeu do SENHOR foi: as mulheres herdeiras poderiam casar-se apenas dentro da família da tribo de seu pai.

Bom, aqui termina nossa saga pelo livro de números.

O livro de Números abrange trinta e nove anos da história de Israel, e termina quando o povo estava acampado às margens do rio Jordão, prestes a entrar na terra prometida.

Seu último versículo conclui o ministério público de Moisés.

Ao estudar este livro, nos deparamos com alguns detalhes das vidas do povo de Deus durante sua experiência no deserto.

Encontramos fracassos, rebeliões, reclamações, sofrimentos, e através desses exemplos tiramos lições valiosas para nossas próprias vidas à medida que percorremos o deserto desta vida.

Em Cristo!

A seguir: Introdução ao Deuteronômio 
Images

Números 35: 1-34 - Um pedaço de terra para os Levitas.

Um pedaço de terra para os Levitas.

Números 35: 1-34

Os levitas formavam uma tribo à parte, dedicada ao serviço do SENHOR, retirada dentre o povo de Israel para substituírem os primogênitos, que pertencem a Deus.

Essa tribo não receberia terras como herança, pois o SENHOR era a sua porção e a sua herança , mas receberia cidades para morar, e pastagens em torno delas para os seus rebanhos.

As cidades seriam em número de quarenta e oito, das quais seis eram as chamadas cidades de refúgio.

Cada tribo receberia território de extensão proporcional à sua população e daria cidades do seu território aos levitas na mesma proporção.

Desta forma, os levitas e, entre eles, os sacerdotes, seriam espalhados no meio de todas as tribos para, imparcialmente, dar-lhes assistência, ensiná-las a lei e os caminhos de Deus, e conhecer os seus problemas.

Em Cristo!

A seguir: O último capítulo de Números