Images

Juízes 3:12-26 - O segundo Juiz, o canhoto Eúde!

O segundo Juiz, o canhoto Eúde!

Depois da morte de Otoniel, o povo voltou a assimilar a cultura dos povos da região, adorando seus deuses e enfurecendo ao Senhor.

Por causa disso o SENHOR fez com que Eglom, rei de Moabe, ficasse mais forte do que eles.

Eglom se juntou com os amonitas e os amalequitas, e eles atacaram Israel e tomaram Jericó, a cidade das palmeiras.

A consequência disso foi que Israel viveu sob o domínio dos moabitas por dezoito anos.

Quando, no entanto, o povo resolveu voltar a pedir ajuda a Deus, Ele escolheu um tal de Eúde para ser líder do povo. Esse Eúde, benjamita, era canhoto e muito malandro, como veremos.

Acontece que de tempos em tempos os israelitas tinham que enviar seus impostos a Eglom.

Os impostos eram recolhidos, conferidos e levados por um mensageiro.

Quando calhou de Eúde ser o escolhido para levar o dinheiro ao Rei de Moabe, ele entendeu que Israel já tinha sofrido demais, e então preparou um punhal de quase meio metro de comprimento e botou o pé na estrada junto com alguns carregadores.

Acontece que Eglom era gordo... Muito gordo... Coisa de circo mesmo. Talvez fosse esse o motivo de Eúde ter preparado um punhal de quase meio metro, pois um normal apenas arranharia suas várias camadas de tecido adiposo do incircunciso.

Eúde escondeu o punhalzão sob as roupas, foi para Gilgal (cidade onde ficava o palácio de Eglom) entregou os tributos e mandou os carregadores de volta pra casa.

Feito isso, foi falar com o rei, que estava jantando:

_ Majestade, tenho uma informação ultra-secreta para dar ao senhor.

_ O que éééé? — perguntou o rei de boca cheia, sentado em sua sala de verão, no terraço, com uma taça de vinho em uma das mãos e uma coxa de peru em outra.

_ É que...

_ Seu povo está tramando alguma coisa contra mim? Olha que eu acabo com a raça de vocês!

_ De maneira alguma majestade. Estou aqui por outro motivo...

_ Então fale de uma vez, antes que eu o matar! — ameaçou Eglom, borrifando farofa por toda a sala. _ Tenho um recado de Deus para o senhor.

_ De quem?

_ Do Senhor Deus de Israel.

Então o Rei levantou-se com muita dificuldade, e se aproximou de Eúde Então Eúde, com a mão esquerda, tirou o punhal que estava no seu lado direito e o enterrou na barriga de Eglom.

O punhal entrou até o cabo, e a gordura o cobriu porque Eúde não o tirou da barriga do rei.

E a ponta do punhal apareceu entre as suas pernas.

Depois de matar o rei, Eúde agiu rápido: trancou todas as portas, saiu pela janela e foi embora assoviando.

Aí os empregados chegaram e viram que as portas estavam trancadas.

_ As portas estão trancadas...

_ Esquenta não, o rei deve estar no banheiro...

_ É verdade, também, depois do que ele comeu hoje...

_ Vamos aguardar até que ele saia do banheiro e abra a porta. Anoiteceu, porém, e nada do rei abrir a porta.

_ A coisa deve tá feia pro lado do rei, você não acha? 

_ É, ele nunca ficou tanto tempo na privada...

Bateram à porta e nada de Eglom responder.

Então pegaram a chave, abriram a porta, e deram com seu soberano caído morto no chão.

Enquanto os empregados ainda não sabiam da morte de Eglom, Eúde já havia chegado às montanhas de Efraim para dar cabo de seu plano como veremos na próxima postagem.

Em Cristo!


Sobre o Autor:
CLAILTON LUIZ Clailton Luiz - Empresário, Palestrante, Especialista em Gestão de Tempo e Produtividade, Escritor, Autor do Livro “Empreendedor Gourmet”, Professional e Self Coach, Leader Coach, Analista Comportamental pela Coaching Assessment. Líder de Jovens e adolescentes, pregador, professor e amante da Palavra de Deus!

Um comentário:

Related Posts with Thumbnails