Images

O pastor Marco Feliciano, John Lennon, Mamonas Assassinas e o Titanic...


O pastor Marco Feliciano, John Lennon, Mamonas Assassinas e o Titanic...

Como já estamos cansados de saber, o pastor Marco Feliciano é o foco dos holofotes por suas declarações antigas e atuais a respeito de quase tudo que gere polemica, como as declarações a respeito dos homossexuais, negros e agora as mortes ocorridas há tempos atrás e mundialmente conhecidas.

Seus perseguidores não descansam e desta vez estão vasculhando seus vídeos e áudios de pregações para ver o que encontram de polemica para usar contra ele.

Recentemente encontraram declarações do pastor sobre a morte de John Lennon, da banda inglesa Beatles, e da banda de rock brasileira Mamonas Assassinas...

No vídeo, Feliciano prega num evento pentecostal e afirma que “queria estar lá no dia em que descobriram o corpo dele” para dizer “me perdoe John, mas esse primeiro tiro é em nome do Pai, esse é em nome do Filho, e esse é em nome do Espírito Santo”.

O pastor interpreta a declaração de Lennon sobre sua popularidade como uma afronta: “John Lennon estava olhando para as câmeras e dizendo: ‘Nós somos uma nova religião’”, diz o pastor, que conclui: “Ninguém afronta Deus e sobrevive para debochar”.

Em outro vídeo, aparentemente gravado durante o mesmo culto, o pastor também relaciona a morte dos integrantes do grupo “Mamonas Assassinas” à vontade de Deus. Para o pastor, o conteúdo das músicas da banda era inadequado.

Referindo-se ao acidente aéreo que matou os integrantes da banda, ele disse: “Ao invés de virar pra um lado, o manche tocou pra outro. Um anjo pôs o dedo no manche e Deus fulminou aqueles que tentaram colocar palavras torpes na boca das nossas crianças”.

Outra polemica se refere a uma frase de Feliciano sobre o afundamento do Titanic chegou à mídia.

Desta vez a polemica chegou saiu das manchetes de internet e chegou a grande imprensa.

Segundo Lauro Jardim, jornalista da Veja e responsável pela coluna Radar Online, Feliciano afirmou que as 1.253 pessoas que viajavam no navio afundado em 1912 foram alvo da ira de Deus.

Lauro Jardim diz que “Feliciano usou o mais célebre naufrágio da História para reforçar sua opinião a respeito do destino do beatle e dos Mamonas”, que na ótica do pastor, morreram após desafiar ou zombar de Deus.

“No caso do Titanic, o comandante disse: ‘Nem Deus afunda o Titanic’, e logo depois aconteceu o que aconteceu. Não é que eu ache que Deus pune, mas por que zombar de Deus? Eu acredito nisso. Para que zombar de quem não te fez nada?”, teria dito Marco Feliciano.

Embora o uso dessa conjuntura seja bastante conhecida no meio evangélico como forma de ilustração, a abordagem não é comum entre não cristãos.

O jornalista Lauro Jardim relata ainda que “Feliciano não retrocede” quando é interrogado se em algum momento se arrependeu das frases sobre Lennon e Mamonas Assassinas, apesar de dizer que se pudesse voltar no tempo, “falaria a mesma coisa, mas, talvez, de jeito diferente”, pois as afirmações ocorreram num clima religioso: “Não me arrependo de nada do que digo no púlpito. O púlpito é um lugar de inspiração”, defende-se o pastor e deputado federal.

Desde que foi eleito para a Comissão de Direitos Humanos da Câmara (CDH), Feliciano tem sido alvo de diversos protestos que o acusam de atitudes racistas, sexistas e homofóbicas.

Apesar da pressão, o deputado federal garante que não vai deixar o cargo.

Sobre o Autor:
CLAILTON LUIZ Clailton Luiz - Empresário, Palestrante, Especialista em Gestão de Tempo e Produtividade, Escritor, Autor do Livro “Empreendedor Gourmet”, Professional e Self Coach, Leader Coach, Analista Comportamental pela Coaching Assessment. Líder de Jovens e adolescentes, pregador, professor e amante da Palavra de Deus!

Um comentário:

  1. A perseguição contra os cristãos está apenas começando. Vejo várias outras pessoas defendendo princípios parecidos com o dele mais nenhuma sofre perseguição.

    Ela é Cristã
    http://elaecrista.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Related Posts with Thumbnails