Images

1 Samuel 2:1-10 - A segunda oração de Ana!


A segunda oração de Ana!


O segundo capítulo de I Samuel começa com Ana fazendo uma oração de agradecimento...

Esta é sua segunda oração de Ana e totalmente diferente do que foi registrado no primeiro capitulo.

Na primeira oração, Ana mostrava-se angustiada e suplicava para si mesma.

Esta segunda oração foi uma grande canção de louvor.

Como resultado de sua dedicação total ao Senhor, ela estava feliz pelo privilégio de voltar ao seu Criador o que ele a tinha dado.

No versículo 10 ainda na oração, temos a primeira ocorrência na Bíblia da palavra Messias (Cristo), o título do Senhor Jesus.

Ana nos mostra o SENHOR firme como a rocha (v.2), Aquele que sabe o que fazemos (v.3), Soberano sobre tudo o que a humanidade faz (v. 4-8), e o supremo Juiz que administra justiça perfeita (v.10).

Ao nos lembrarmos disso, podemos colocar o mundo e nossos interesses e experiências pessoais na perspectiva certa.

O seu tema é a sua confiança na soberania de Deus.

Ela foi usada como modelo por Maria, mãe de Jesus, na sua oração de louvor (Lucas 1:46-55).



Images

1 Samuel 1:21-28 - Ana entrega Samuel a Eli...


Ana entrega Samuel a Eli...


Quando o menino estava com três meses de vida, chegou novamente o tempo de Elcana ir a Siló. Ana, porém, resolveu ficar...

Ela disse ao marido:
_ Não vou agora, vão vocês. Quando o menino for desmamado, eu mesma o levarei para que fique lá por toda a vida.

_ Tudo bem Ana.  Hum. Quando Samuel for desmamado, você o leva para que ele fique por lá.

Elcana reconheceu a providencia divina e fiquei profundamente emocionado com a dedicação de sua esposa, e cordialmente se juntou a ela em seu desejo.

É um excelente exemplo da admoestação de Paulo: "Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela "(Ef 5, 25)

Então Ana ficou em casa enquanto a família ia a Siló oferecer sacrifícios.

Meses depois, quando Samuel enfim foi desmamado, ela e Elcana o levaram a Siló, juntamente com um novilho de três anos, dez quilos de farinha e um odre de vinho como ofertas.

Quando apresentaram-se a Eli, e Ana disse:

_ Senhor Eli, eu sou aquela mulher que o senhor achou que estivesse bêbada no Tabernáculo uma vez, está lembrado?

_ Vagamente.

_ Pois bem, eu estava daquele jeito porque não tinha filhos. Mas Deus ouviu minha prece e me deu um filho.

_ Mas que maravilha!

_ Então, por isso agora eu estou dedicando este menino ao SENHOR. Enquanto ele viver, pertencerá ao SENHOR.

Então eles adoraram a Deus ali.  

Desde então Eli começou a cuidar do menino.

Samuel atuaria como sacerdote, profeta e juiz, e estabeleceria em seu ministério um das primeiras escolas dos profetas de Isareal (1 Sm 7: 17, 8, 15: 34, 19: 18-20)

Em Cristo!

A seguir: A segunda oração de Ana!
Images

1 Samuel 1:13-20 - Deus atende as orações de Ana!


Deus atende as orações de Ana!


Vimos na ultima postagem que o sacerdote Eli precipitou-se em suas conclusões ao ver Ana chorando e mexendo os lábios sem dizer nada...

Ana estava orando em silêncio, mas Eli pensou que ela estava bêbada...
  
_ Mas que vergonha!

_ Hum… Como, senhor?

_ Onde já se viu... Vir à Casa de Deus embriagada?

_ Senhor, eu não estou bêbada. Não bebi nem vinho nem cerveja. Estou desesperada e estava orando, contando a minha aflição ao SENHOR. Não pense que sou uma mulher sem moral. Eu estava orando daquele jeito porque sou muito infeliz e sofredora. 

_ Er… Ahn… Aham… Sim, sim, claro. Desculpe o mau jeito, viu? Vá em paz. Que o Deus de Israel lhe dê o que você pediu!  

_ Muito obrigada. Que o senhor sempre pense bem de mim!

Então Ana voltou para junto da família.

Estava até mais feliz, tanto que chegou há comer um pouco.

Na manhã seguinte Elcana e a sua família se levantaram cedo e adoraram a Deus, o SENHOR.

Aí voltaram para casa, em Ramá.

Lá chegando, Elcana teve relações com a sua esposa Ana, e o SENHOR respondeu à oração dela.  

Ela ficou grávida e, no tempo certo, deu à luz um filho.

Pôs nele o nome de Samuel...

O nome significa "ouvido por Deus".

"Samuel" foi um lembrete da promessa de Ana ao Senhor, uma motivo para a lembrança da promessa feita e um reconhecimento a aprovação de Deus.


Quando o menino estava com três meses de vida, chegou novamente o tempo de Elcana ir a Siló. Ana, porém, resolveu ficar...

As razões dessa decisão é o que veremos na próxima postagem...

Em Cristo!

A seguir, Ana entrega Samuel a Eli...
Images

1 Samuel 1:1-12 - O drama de Ana!



O drama de Ana!


O primeiro livro de Samuel trata da passagem entre o tempo dos Juízes e a monarquia israelita.

Começaremos, portanto, contando como foi o nascimento de Samuel.

Havia na cidade de Ramataim-Zofim (que mais tarde veio a receber o nome grego de Arimatéia) um homem chamado Elcana.

Ele tinha duas mulheres: Penina, com quem tinha filhos, e Ana, que aparentemente era estéril.

Elcana tinha o costume de ir uma vez por ano a Siló, onde então ficava o Tabernáculo, para ali oferecer sacrifícios.

Hofni e Finéias, filhos de Eli, eram sacerdotes na época.

Cada vez que Elcana oferecia sacrifícios, dividia com as duas esposas e os filhos a parte da oferta destinada aos ofertantes.

Sendo Ana a esposa que ele amava de verdade, dava a ela porção dobrada.

Penina, sua rival, provocava e humilhava Ana porque o SENHOR não permitia que ela tivesse filhos.  

Isso acontecia ano após ano.

Como vivia a apenas 19 km do tabernáculo em Siló, era natural que Elcana, sendo levita, participasse regularmente dos três festivais anuais (Levítico 23: 2).

Sempre que iam ao santuário do SENHOR, Penina irritava tanto Ana, que ela ficava só chorando e não comia nada. 

Um dia o seu marido Elcana lhe perguntou:

_ Ana meu bem, por que você está chorando? Por que não come? Por que está sempre triste? Por acaso, eu não sou melhor para você do que dez filhos?

_ ARGH!

Quando Elcana anunciava à família que chegara o tempo de ir a Siló, todos comemoravam menos Ana, que já se preparava para ser mais uma vez infernizada por sua rival.

Até que um dia ela se cansou: estando mais uma vez a família reunida em Siló, ela foi até a Tenda Sagrada logo depois da refeição.

Lá chegando, começou a chorar e orou fazendo esta promessa solene:

_ Ó SENHOR Todo-Poderoso, olha para mim, tua serva! Vê a minha aflição e lembra-se de mim! Não esqueças a tua serva! Se tu me deres um filho, prometo que o dedicarei a ti por toda a vida e que nunca ele cortará o cabelo. 

A promessa de não cortar o cabelo, como já vimos na história de Sansão, significava que a criança seria um nazireu.

Pois bem, Ana continuou sua oração.

Suplicava em silêncio, e seus lábios apenas se mexiam, sem som.

Ficou tanto tempo ali que o sacerdote Eli, que estava sentado numa cadeira junto a um pilar, notou sua presença.

Vendo aquela mulher chorando e mexendo os lábios sem dizer nada, precipitou-se em suas conclusões...

Mas isso será assunto para a próxima postagem.

Em Cristo!

A seguir, Deus atende as orações de Ana!
Images

Introdução a I Samuel



Introdução a I Samuel

Se você já estudou o livro de Juízes aqui neste blog, então estará preparado para o livro de I Samuel, mas se ainda não leu Juízes, então vote e leia.

Como estudamos anteriormente, os dias dos juízes foram dias indigestos para a nação de Israel.

Deus havia libertado os israelitas da escravidão do Egito...

Devido à sua descrença, a primeira geração de israelitas não entrou na terra prometida...

A segunda geração entrou em Canaã e, sob a liderança de Josué, foram mais ou menos bem.

No entanto, após a morte de Josué, a casa caiu para esta nação...

Israel passou por recorrentes períodos de bênção e castigo, como resultado de sua obediência ou rebeldia.

Quando desobedeciam, Deus entregava a nação ao cão...

Quando se arrependiam e clamavam a Deus, Ele enviava um “juiz” para livrá-los.

Quando o juiz morria, o povo cabeça dura voltava ao pecado.
A novela parecia inacabável.

Após ler o livro de Juízes, alguns poderiam concluir que o problema fosse à ausência de um rei em Israel...

No livro de I Samuel, você verá que Israel terá seu rei...

Saul, o primeiro rei, será um rei do jeito que o povo quer, e demonstrará ser o rei que o povo merece...

Davi, o segundo rei, substituirá Saul, ele é um rei do jeito de Deus, um homem segundo o Seu coração.

No livro de I Samuel veremos histórias de pessoas fascinantes como Ana e Samuel, como Saul e Davi.

Não há nenhum momento chato nesta história magistralmente bem escrita.

Embora as pessoas e os acontecimentos de I Samuel tenham acontecidos a muitos anos atrás, as lutas que estas pessoas enfrentaram são as mesmas que enfrentamos hoje, procurando agradar a Deus vivendo num mundo caído.

Há muitas maneiras pelas quais podemos nos identificar estas pessoas e muitas lições que podemos aprender com seus sucessos e fracassos.

Você é meu convidado a embarcar neste estudo e aproveitar as oportunidades que Deus dá ao utilizarmos este livro como fonte de aprendizado e transformação.

Até a próxima postagem.

Em Cristo!

A seguir, O drama de Ana!
Images

Rute 4:7-17 - Boaz casa-se com Rute


Boaz casa-se com Rute

Rute 4:7-17

Terminamos a postagem anterior com Boaz revelando ao tal parente que para ele comprar a propriedade de Noemi também deveria se casar com Rute, sua nora viúva, para que as terras permanecessem com a família do finado Elimeleque.

Então ele respondeu...

_ Não, não, e não! Não to a fim de mais um casamento, não. Nem conheço a moça. Além do mais, isso poderia prejudicar meus herdeiros. Compre você às terras, eu tô fora.

O sujeito levou em conta a antiga tradição, que dizia que uma viúva deveria casar-se com um irmão ou parente próximo de seu falecido marido e que os filhos dessa união seriam considerados filhos do morto.

Por uma situação assim é que Deus castigou Onan, lá no Gênesis lembram?

Onan casou com a viúva de seu irmão, mas não queria lhe dar filhos, então resolveu derramar o sêmen na terra sempre que tinha relações com sua esposa.

Deus não gostou nada disso e o castigou...

Bah, esta história nada agradável está aqui,

Mas, voltemos a Boaz...

A voracidade com que o parente decidiu comprar o terreno quando este parecia ser o único fator em jogo e a perda imediata de interesse em saber que esta compra estava associada a uma perda monetária, parecem indicar que ele era um avarento...

Como o tal sujeito abriu mão de casar-se com Rute, Boaz então assumiu a responsabilidade.

Como era costume na época, o tal fulano entregou a Boaz sua sandália como sinal de que o trato estava feito.

Antigamente, em Israel, para fechar um negócio de compra ou troca de propriedades, uma pessoa entregava à outra a sua sandália.

Então Boaz, erguendo a sandália para que todos vissem, dirigiu-se a eles:

_ Senhores, hoje vocês são testemunhas de que comprei de Noemi tudo o que era de seu falecido esposo e de seus filhos, Quiliom e Malom. Também me casarei com Rute, viúva de Malom, para que seu nome seja sempre lembrado.

_ Sim, somos testemunhas. Que Javé faça com que essa mulher seja para você como foram Raquel e Léia, que deram muitos filhos a Jacó, tornando-se assim as mães do povo de Israel. Que a sua família seja como a família de Perez.

Depois disso, Boaz voltou para a casa e desposou a Rute.

Os dois não perderam tempo, e nove meses depois nasceu-lhes um filho.

Quando nasceu o filho de Rute, foi assegurada a continuidade da linhagem familiar de Noemi, que parecia improvável quando seu marido e seus dois filhos morreram.

As mulheres da vizinhança foram ver o filho e disseram a Noemi:

_ Louvado seja Deus, que lhe deu um neto para cuidar de você! Que ele venha ser famoso em Israel. Ele será o consolo de sua velhice, graças à mãe, essa sua nora que é melhor do que sete filhos!

Noemi pegou o menino no colo, e pôs nele o nome de Obede.

Obede acabou não sendo famoso em Israel, mas ele teve um filho chamado Jessé também não foi famoso, mas foi pai de Davi, aquele que matou Golias e veio a ser o maior dos reis de Israel.

Em Cristo!

A seguir, Introdução a I Samuel

Images

Rute 4:1-6 - Boaz, as testemunhas e o tal parente mais próximo!



Boaz, as testemunhas e o tal parente mais próximo!


Como vimos na ultima postagem, Rute e Noemi ficaram num embaraço, apreensivas enquanto esperavam que Boaz resolvesse logo o assunto com o indesejado parente recém-aparecido na história.

Realmente Boaz não dormiria enquanto não resolvesse tudo.

Tanto que, logo pela manhã, foi até ao portão da cidade e sentou-se ali até encontrar o parente.

Quando o tal parente de Elimeleque ia passando, Boaz falou com ele:

_ Olá, amigo!

_ Eu?

_ Isso, chega mais!

_ E aí, Boaz? Como vai?

_ Vou bem… Aguarda só um pouquinho. Tenho um assunto muito importante para tratar com você, uma coisa séria que vai precisar de testemunhas. É rapidinho...

Ele saiu e em pouco tempo voltou acompanhado de dez homens dos mais respeitáveis de Belém Efrata.

Boaz realmente era muito sábio.

Em pouco tempo, montou um júri de anciãos da cidade, de acordo com a lei de Moisés (Deut. 16: 18).

Supõe-se que este era o número necessário para formar um júri que poderia considerar casos civis.

Os anciãos de uma cidade eram os chefes de diversas famílias importantes.

_ Negócio seguinte: Noemi voltou de Moabe e está vendendo as terras de Elimeleque, seu finado marido e nosso parente. Quando eu soube disso, achei melhor falar com você, já que é o parente mais próximo do falecido.

_ Certo e daí?

_ Daí que se você quiser comprar essas terras, assuma o compromisso aqui, na frente das autoridades. Porque se você não quiser, eu compro, já que sou o segundo parente mais próximo.

Depois de afirmar os fatos e reconhecer os direitos do parente mais próximo, Boaz revela claramente o seu interesse pessoal no assunto.

_ Hum... Tá bom... Gostei da proposta. Vou comprar as tais terras.

_ Muito bem, muito bem. É um excelente investimento. Mas tem uma condição para a compra.

_ Ah é, qual?

Como você pode notar o procedimento que se seguiu até agora foi muito democrático.

Boaz agiu de acordo com a lei de Moisés, e sem demora, uma decisão poderia ser tomada e confirmada e testemunhada por um grupo representativo de líderes reconhecidos em Belém.

Assim, atendendo questões legais, sem advogados e sem extensos argumentos legais Boaz apresentou o caso de forma clara.

_ Isso mesmo! Se você comprar a propriedade de Noemi, também deverá se casar com Rute, sua nora viúva, para que as terras permaneçam com a família do finado Elimeleque.

_ Hum... Casar, é?

_ Então, casa ou não casa?

A decisão do tal parente é o que veremos na próxima postagem.

Em Cristo!

A seguir: Boaz casa-se com Rute
Images

Rute 3:7-18 - Rute coloca o plano de Noemi em prática!



Rute coloca o plano de Noemi em prática!


Noemi explicou todo o plano a Rute, e ela seguiu as instruções da sogra.

Ao chegar à propriedade de Boaz, viu que ele comemorava o sucesso da colheita dos grãos da cevada.

Tendo diante de si uma safra após os anos de fome, Boaz estava muito grato pelas bênçãos dos céus.

Quando Boaz acabou de comer e de beber foi dormir em uma pilha de palha perto de um monte de cevada.

Ao ver que ele dormia, Rute foi se aproximando devagarzinho, levantou a coberta de Boaz e deitou-se aos pés dele.

No meio da noite ele acordou de repente, sentou-se e ficou muito admirado por encontrar uma mulher deitada perto dos seus pés.  

_ Quem é você?

_ Sou Rute, sua empregada.

_ Ah. Rute. Hum. O que aconteceu? O que faz aqui?

_ Você é nosso parente próximo, e tem que nos proteger.

_ Hum. É. Tá. Então. Puxa, que coisa, não? Eu sabia que você era leal à sua sogra, mas não tinha nem ideia de que sua lealdade à família do seu sogro fosse grande a esse ponto…

_ Obrigada...

_ Mas é sério! Você podia ter ido procurar um homem mais moço, mas veio aqui.

Boaz era bem mais velho que Rute...

_ Puxa… Olha, não tenha medo, viu? Todos aqui em Belém sabem que você é moça direita. Não se preocupe, vou fazer tudo o que me pede.

Apesar de ter sido uma viúva estrangeira e viver apenas algumas semanas em
Belém, Rute era conhecida e respeitada por todos.

Rute tinha passado no teste.

Foi reconhecida como "mulher virtuosa".

Ao mencionar isso, Boaz expressa mais fortemente a alta estima em que ele sentia em relação à Rute.

 _ Puxa, seu Boaz. Obrigada.

_ De nada minha jovem... Só que tem um probleminha...

_ Qual?

_ De fato, eu sou parente próximo da Noemi, mas tem um cara aqui na cidade que é parente mais próximo ainda...

_ Sério?

_ Vamos fazer o seguinte... Fique aqui o resto da noite, e de manhã nós veremos se ele quer ser responsável por você. Se ele quiser, muito bem; mas, se não quiser, prometo por Deus, o SENHOR, que ficarei com essa responsabilidade. Agora se deite e durma de novo.  

É fato que Boaz queria casar-se com Rute...

Mas se Boaz não fizesse isso, o parente mais próximo poderia se sentir muito ofendido e mesmo tomar medidas legais contra Boaz.

_ Er… Obrigada, seu Boaz. Muito obrigada.

Então Rute passou o resto da noite deitada aos pés dele.
Ao amanhecer, quando ainda estava escuro, Rute acordou para sair enquanto não havia ninguém acordado.

Ela não podia correr o risco de ser vista, não agora que o casamento de Boaz não era tão concretizado...
.
_ Já vai, Rute?

_ Sim.

_ Peraí... Tire a sua capa e estenda-a aqui no chão.

Este manto ou capa era uma parte do vestido, um pedaço de pano quadrado ou retangular que era usado sobre o ombro...

Rute o fez e Boaz despejou uns vinte quilos de cevada sobre a capa, ajudou Rute a ajeitar o fardo sobre os ombros e despachou-a.

Boaz sabia muito bem que a visita de Rute era a ideia era Noemi, a cevada era um reconhecimento tácito de seu interesse por ela...

Ao chegar, foi recebida por Noemi:

_ E aí, minha filha? Como foi?

_ Hum... Mais ou menos. Ele disse que há outro parente do seu finado marido, ainda mais próximo que ele.

_ Ah, não! Não pode ser! Putz é verdade. Tem aquele fulaninho lá. Ah, mas que coisa! Como é que eu fui me esquecer disso?

_ Pois é. Ele vai falar com o tal fulaninho. Por enquanto, mandou essa cevada pra gente.

_ Puxa vida, Dona Noemi. O que a gente faz agora?

_ Agora é ter paciência, Rute. Boaz não vai dormir enquanto não resolver esse assunto, pode ter certeza.

O plano de Noemi para arrumar um marido para Rute até que deu certo...

Pelo menos já sabemos que Rute arrumou um marido...

Mas quem será?

Boaz ou o tal fulano?

Assunto para a próxima postagem!

Images

Investigação jornalística do Conexão Repórter sobre o Pastor Marcos Pereira...



Investigação jornalística do Conexão Repórter sobre o Pastor  Marcos Pereira...

O programa Conexão Repórter da última quinta-feira (9) mostrou a prisão do pastor Marcos Pereira e exibiu imagens de reportagens feitas com supostas vítimas...

Marcos Pereira foi preso na noite do dia 7 de maio, a prisão preventiva é referente a duas acusações de abuso sexual que o pastor teria cometido com mulheres membros da igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias (ADUD).

Seis mulheres acusaram o pastor Marcos Pereira, mas a polícia acredita que ao menos 20 foram abusadas pelo religioso...

A reportagem transmitiu as acusações de pessoas que tiveram fortes ligações com o pastor, acusando-o de abusos sexuais e até de suas relações com os criminosos do Rio de Janeiro, chegando a liderar rebeliões nas cadeias.

Na mesma reportagem, o pastor Marcos Pereira aparece rechaçando as denúncias dizendo que tudo não passa de uma tentativa de atrapalhar os avanços de seus trabalhos sociais que tem recuperado usuários de drogas e traficantes.

Assista e tire suas conclusões...

Images

Rute 3:1-6 - Noemi elabora um plano para arrumar um marido a Rute!



Noemi elabora um plano para arrumar um marido a Rute!


A época da colheita terminou, e Rute voltou à vida de sempre.

Um dia Noemi disse a Rute:

_ Minha filha, preciso arranjar um marido para você, a fim de que você tenha um lar.  

_ Mas quem dona Noemi?

_ Você lembra que Boaz, o homem que a deixou trabalhar com as suas empregadas?

_ Sim, como vou esquecer-me dele?

_ Pois é... Ele é um dos nossos parentes!

Noemi achava que era seu dever fazer todo o possível para dar um lar a Rute...

De acordo com o costume judaico, ela tinha o direito de pedir Boaz para cumprisse o dever como o parente mais próximo.

_ Eu sei disso...

_ Pois bem! Esta noite ele vai debulhar a cevada.  

Naomi sabia que no final da colheita da cevada, o próprio Boaz estaria lá.

Haveria um jantar especial e ele passaria a noite lá, talvez em uma tenda naquela mesma noite.

_ Certo, e daí?

_ Faça o seguinte: lave-se, ponha perfume e vista o seu melhor vestido.

_ E depois?

_ Depois vá até o lugar onde Boaz está trabalhando, mas não o deixe saber que você está ali, até que ele acabe de comer e de beber.  

Se Boaz concordasse em se casar com ela, Rute ela não só teria uma casa própria, mas também poderia perpetuar o nome e preservar a herança de seu falecido marido.

_ Quando Boaz for dormir, olhe bem onde ele vai se deitar. Então vá, levante a coberta dos pés dele e deite-se ali. Ele dirá o que você deve fazer.  

_ Entendi dona Noemi... Vou fazer tudo o que a senhora disse.  

Ela foi ao lugar onde debulhavam as espigas e fez tudo o que a sua sogra havia mandado.  

Mas isso é assunto para a próxima postagem!