Images

I Samuel 26: 12-25 - Davi invade o acampamento de Saul e prega uma peça!


Davi invade o acampamento de Saul e prega uma peça!

I Samuel 26: 12-25

Então Davi pegou a lança e o jarro de água que estavam ao lado da cabeça de Saul e foi embora com Abisai. 

Ninguém os viu, nem soube o que havia acontecido. 

E ninguém acordou. Todos estavam dormindo profundamente porque o Senhor tinha feito com que todos eles caíssem num sono profundo.

Aí Davi passou para o outro lado do vale, foi até o alto do monte, a uma boa distância deles, e gritou para Abner e para os soldados de Saul:

_ Abner, você está me ouvindo?

Em seguida, de pé fora do alcance de Saul no topo de uma montanha, Davi clama às pessoas em geral, e Abner, em particular.

 É, provavelmente, ainda na escuridão da noite, ou nas primeiras horas da manhã com pouca luz. 

Os soldados de Saul são, aparentemente, despertado pelo som da voz de Davi. 

Não vendo quem está chamando, Abner não reconhece a voz de Davi.

_ Quem é que está gritando para o rei? — perguntou Abner.

Davi respondeu:

_ Você é homem ou não é? Você não é o melhor soldado de Israel? Então por que não protegeu o seu chefe, o rei? Agora mesmo alguém entrou no acampamento para matar o rei, o seu chefe. Você falhou, Abner! Eu juro pelo Senhor, o Deus vivo, que vocês todos morrerão, pois não protegeram o seu chefe, que o Senhor Deus fez rei. Escutem! Onde está a lança do rei? Onde está o jarro de água que estava ao lado da cabeça dele?

Imagine a consternação, especialmente para Abner, quando olha para o chão, e vê que a lança e o jarro de água não estão ali, e talvez um par de pegadas que confirmam que alguém esteve ali. 

Na verdade, Davi salvou a vida do rei. Como comandante chefe das forças de Saul, Abner é responsável por esta violação grave da segurança que colocou em perigo a vida do rei. 

Abner é o homem no comando. Foi em seu horário, por assim dizer, que a vida de Saul estava em perigo. 

E foi Abner que vigiava ao lado do rei, com fácil acesso a qualquer um que pretendesse atacar o rei. 

Abner é o soldado mais renomado do exército de Saul. 

A mancha desse incidente fará parte de seu currículo! 

Enquanto isso, Saul levanta-se lentamente recuperando ainda seus sentidos, grogue, sem dúvida, de seu sono sobrenatural. 

Ele ouve a conversa entre Abner e uma voz distante. 

Saul sabe que a voz; é a voz de ninguém menos que Davi. 

E o que ele ouve já é o suficiente para amolecer seu duro coração.

_ Davi, é você, meu filho?

A partir daqui, David assume a liderança da conversa;

_ Sim, senhor, sou eu! Por que é que o senhor continua a me perseguir? Isso já tá chato, majestade! 

Davi persegue o assunto mais profundamente, em termos de suas implicações teológicas. 

_ Ó rei, escute o que eu tenho a dizer. Se foi Deus que fez o senhor se virar contra mim, ele mudará de ideia se lhe for feita uma oferta. Mas, se foram certas pessoas que fizeram isso, que a maldição de Deus caia sobre elas! Pois me expulsaram da terra do Senhor Deus para uma terra onde posso adorar somente deuses estrangeiros. Não me deixe ser morto em terra estrangeira, longe do Senhor Deus! Por que o rei de Israel viria aqui? Para procurar uma pulga como eu? Por que me caçaria como se eu fosse um pássaro selvagem?

Mas as respostas de Saul não são nada convincentes;

_ Ok, Davi, já entendi. Eu sei que errei. Volte, meu filho! Prometo que nunca mais lhe farei nenhum mal, porque esta noite você poupou minha vida mais uma vez. Eu tenho agido como um maluco!

Saul obviamente acredita que David é culpado de algum delito, para que ele gaste tempo o caçando.

Mas estranhamente Saul reconhece seu próprio pecado em suas negociações com Davi.

Em resposta à confissão e promessa de anistia de Saul, Davi grita: 

_ Olha, senhor, aqui está sua lança. Mande algum de seus homens vir buscá-la. Será que agora as pessoas do lado do rei vão dize que Davi é um pecador, um traidor e um inimigo de Saul? David conclui sua defesa, afirmando a sua justiça.

_ Eu vou voltar para o meu buraco. Mas lembre-se sempre de que hoje eu poupei sua vida. Que Deus poupe a minha também, continuando a me proteger como tem feito.

Enquanto Saul e seus homens colocaram-se em perigo ao acusar e perseguir Davi como um pecador e um criminoso, Davi está certo de que sua vida está segura nas mãos de seu Deus.

Como Davi tem valorizado a vida de Saul, ele sabe que Deus vai valorizam muito a sua vida, e, portanto, ele é assegurada Deus vai realmente entregá-lo de todas as suas angústias.

_ Ah, meu filho, que Deus o abençoe! Você é um bom rapaz, e tudo o que fizer dará certo. Está ouvindo, Davi? Davi? DAVI! Caramba, foi embora?

As palavras finais de Saul são um pronunciamento de bênção sobre Davi, com a garantia de que ele vai realizar grandes coisas e que, no final, vai prevalecer Davi. 

Com estas palavras, eles se separam pela última vez. 

Eles não se reunirão novamente porque o momento da morte de Saul se aproxima. 

Saul volta ao seu lugar, mas Davi segue seu caminho. 

Davi sabe muito bem que o arrependimento de Saul não vai durar muito tempo.

Ps.
Há uma mensagem aqui para aqueles que injustamente acusam e perseguem um ungido de Deus. 

Deus defenderá e protegerá a vida deles. 

Não há nenhuma maneira que o ungido de Deus possa ser removido de sua posição antes que do tempo de Deus. 

Isto era a verdade na vida de Saul; era também verdade na vida de Davi. 

Neste breve período de tempo, Deus virou o jogo sobre os inimigos de Davi. 

Não era Davi quem estava em perigo, mas aqueles que se opunham a ele. 

Que os inimigos dos eleitos de Deus tomem nota disse, e deixem seus escolhidos darem conta de suas responsabilidades.

Em Cristo!

A seguir: Davi, vira um bandido perigoso - parte 1
Images

I Samuel 26: 1-11 - Davi em uma missão impossível!


Davi em uma missão impossível!

I Samuel 26: 1-11 

Vimos que no final do primeiro encontro entre Davi e Saul depois de tantas perseguições, o rei despediu-se do filho de Jessé com lágrimas nos olhos e protestos de grande arrependimento. 

Davi não acreditou muito, como vimos, mas mesmo assim relaxou um pouco. Nesse ínterim, Davi ainda arrumou tempo para se casar com duas mulheres. 

Depois, cansado de tanto zanzar por todo canto, resolveu voltar a Zife, o lugar do encontro fatídico. 

Reinstalou-se, portanto, no monte Haquila com seus rebeldes.

Os homens de Zife, porém, sedentos de recompensa, foram até Gibeá para contar a Saul que Davi voltara. 

O rei, maluco que era, já tinha esquecido das lágrimas e das promessas de reconciliação: levantou novamente os três mil soldados e partiu para Zife. 

Quando chegaram ao monte Haquila já era noite, e Abner achou melhor acampar no sopé do monte e subir assim que o dia amanhecesse para atacar os cangaceiros de Davi. 

Saul e seu tio Abner se ajeitaram no meio do acampamento e os três mil soldados ficaram em volta, de forma que o rei e seu general ficassem protegidos e pudessem dormir o sono dos justos, mesmo que não o fossem.

Enquanto isso, Davi, que estava no deserto, ouviu dizer que Saul viera atacá-lo. 

Mas não acreditou no boato e enviou espias para confirmarem o boato. 

Não demorou muito, o próprio Davi resolveu ir até lá para ver com que força Saul pretendia atacar dessa vez. 

Quando chegou ao acampamento, viu os três mil homens dormindo, e voltou para sua fortaleza natural no alto do monte. 

Acima das cavernas onde seus homens dormiam estavam as duas sentinelas do turno, Aimeleque, o heteu, e Abisai, irmão de Joabe (um sujeito que ainda será importante). 

Chamou-os:
_ Ei! Saul está acampado lá embaixo. Vou descer até lá para ver a situação mais de perto. Qual de vocês vai comigo?

_ Eu vou.

_ Muito bem, Abisai. Aimeleque, você dá conta do serviço sozinho?

_ Mas é claro, majestade.

Os dois desceram até onde o Saul estava. 

Os soldados do rei dormiam um sono pesado, e os dois conseguiram chegar até o centro do acampamento, onde dormiam Saul e Abner. 

Agora meu caro leitor, imagine por um momento que você é Abisai.

Saul cuidadosamente se posicionou na parte mais interna do círculo de suas tropas. 

Abner, um heróico guerreiro e guarda-costas de Saul, está deitado bem ao lado do rei. 

Você escolhe com cuidado o seu caminho através deste labirinto de corpos humanos, temendo que a qualquer momento alguém vai despertar. 

Parece impossível que alguém dentre esses 3.000 homens não vai acordar. 

Você ouve um soldado roncando muito alto e me pergunto se você deve rendê-lo para que ele não acordar os outros. 

Você pisa em uma vara e ela se quebra fazendo um ruido e seu coração quase para. 

Você mal pode acreditar que você realmente está fazendo isso, como vocês estão lá, olhando para Saul dormindo pacificamente, com Abner por perto?

Perto da cabeça de Saul está sua lança, empurrado para o chão, e seu recipiente de água.

Se você é Abisai, não levaria muito tempo para descobrir o que deve vir em seguida.

Ao ver situação tão propícia, Abisai cochicou no ouvido de Davi:

_ Deixa comigo, Davi.

_ O quê?

_ Deus colocou seu inimigo nas suas mãos. Com um golpe só eu atravesso o coração desse maldito!

_ Não o mate, pois o Senhor Deus castigará quem levantar a mão para matar o rei que ele escolheu.Tão certo como o Senhor Deus está vivo, assim ele mesmo matará Saul, seja quando chegar o seu dia de morrer, seja numa batalha! O Senhor me livre de levantar a mão contra quem ele escolheu como rei! Vamos pegar o jarro de água e a lança dele e vamos embora.

Davi não sei como, mas depois de sua experiência com Nabal e Abigail, ele sabe que Deus pode realizar Sua vontade em qualquer número de maneiras. 

Ele poderia atacar Saul morto, Saul poderia morrer naturalmente, ou ele pode ser morto em batalha. 

Estas são apenas algumas das maneiras que Deus poderia remover Saul, mas em cada caso, não será pela mão de Davi, nem pela mão de qualquer um dos seus homens.

Eu posso ver Abisai balançando a cabeça como eles fazem seu caminho de volta através desse labirinto de corpos circundantes e, finalmente, escorregando para a segurança da escuridão. 

_ Isso foi uma missão suicida! Tudo isso para apenas para tomar uma lança e um jarro de água?

Se eles sabiam ou não, o autor do nosso texto nos informa que este não era apenas um golpe de sorte, ou mesmo uma boa manobra militar. 

Deus havia milagrosamente colocado esses 3.000 homens para dormir. 

Davi e Abisai poderiam ter gritado um para os outro e ninguém teria despertado. 

Abisai poderia ter tropeçado e caído em cima de um par de soldados, e eles ainda estariam seguros. 

Pergunto-me quantas vezes na sua história você têm achado que fez algo espetacular em algumas tarefas, sem nunca saber que por trás de tudo isso foi a mão de Deus?

Continua na próxima postagem.

A seguir:

Davi invade o acampamento de Saul e prega uma peça!

Images

1 Samuel 25: 36-44 - O egoísta Nabal e a sábia Abigail


O egoísta Nabal e a sábia 

1 Samuel 25: 36-44

Abigail chegou em casa querendo dizer a Nabal o que acontecera, mas o marido estava comendo como um rei e bebendo como um gambá, então preferiu deixar para depois. 

Completamente alheio à estupidez de suas ações, e quão perto ele havia chegado até a morte, Nabal está festejando como um rei em sua casa quando Abigail retorna. 

Ele está muito alegre no coração, o que provavelmente só acontece quando ele está bêbado, como agora. 

Sabiamente, Abigail não diz nada ao marido sobre os acontecimentos do dia no momento. 
Nabal representa muito do que há de pior em homens. 

Nabal é arrogante e auto suficiente. 

Ele não estima a sabedoria e não ouvirá aqueles que poderiam poupá-lo muito problema, e até mesmo salvar sua vida. 

Ele não aprecia sua esposa e a sabedoria que Deus lhe deu para ela. 

Ele acha que sua riqueza é a medida de um homem, e, assim, ele sente que não precisa de ninguém além de si mesmo. 

Ele é o homem que é completamente alheio à destruição que se avizinha. 

Nabal é o homem no seu pior estado. 

Nabal é um homem desesperadamente precisando de graça, mas completamente confiante de que ele pode fazê-lo por conta própria força. Nabal é um homem destinado para a morte.

Pela manhã do dia seguinte Nabal acorda com uma tremenda ressaca, mas de mente mais clara, e agora sim Abigail o informa de tudo o que aconteceu no dia anterior. 

Assustado diante do relato, seu rosto fica vermelho e inchado, a medida que começa a compreender a magnitude de sua loucura e insensatez. 

Ele então misteriosamente paralisado de medo. 

Depois desse dia, Nabal nunca mais foi o mesmo e com o passar dos dias adoeceu e dez dias depois,aconteceu que o Senhor feriu a Nabal e ele morreu.

Alguns dias depois chega a Davi a notícia de que Nabal está morto.

David responde a Deus com admiração e gratidão. 

Ele louva a Deus por ter pleiteado por sua causa e removido o orgulho de Nabal. 

Ele declara que Deus realmente o impediu de fazer um mal.

Ele vê o quão melhor é ter deixado a vingança com Deus. 

O Senhor julgou  Nabal, não Davi o fez. 

Essa é a forma como deveria ser, e tudo isso devido à sabedoria de uma mulher, Abigail.
Não demorou muito mensageiros de Davi chegaram a porta da casa de Abigail. 

Eles levam a ela uma mensagem simples. 

Não é bem uma proposta de casamento, soa mais como uma convocação de um futuro rei : 
_ Davi nos mandou a você para levá-lo como sua esposa. 

Abigail leu a mensagem e corou. 

Não havia nada que ela quisesse mais. 

Porém, conhecendo muito bem as regras sociais da época e do lugar, apenas se ajoelhou na frente dos mensageiros, humildemente:

_ Eu sou escrava de Davi. Posso lavar os pés de seus empregados.

Ela não olha para si mesma como rainha de Davi, mas como a sua serva, que terá todo o prazer lavar os pés de seus servos. 

Ela se levanta, e acompanhada por cinco de suas criadas, segue os homens de Davi para o seu lugar de esconderijo, onde ela se torna sua esposa.

Os versos finais deste capítulo nos informam que Abigail é a segunda esposa de David. 

Tendo dito isso, acompanhou os homens até seu acampamento, indo morar com Davi. 

O filho de Jessé já havia se casado com uma certa Ainoã, da cidade de Jezreel, e tinha agora duas esposas. 

Teria três, na verdade, mas Saul já entregara sua filha, Mical, a um tal Palti. 

Era a segunda vez que Saul tirava de Davi uma filha sua. 

Como se Davi já não tivesse motivos suficientes para odiar o rei.

A seguir: I Samuel 26: 1-11 - Davi em uma missão impossível!

   
Images

1 Samuel 25:15-35 - Abigail encontra-se com Davi e salva a pele de seu marido!


Abigail encontra-se com Davi e salva a pele de seu marido!

1 Samuel 25:15-35

Um dos jovens que servem Nabal observa o encontro entre os servos de Davi e Nabal. 
Ele sabe o quanto Davi e seus homens beneficiaram seu senhor e como ofensiva a resposta de Nabal será o de Davi. 

De alguma forma, ele sabe que Davi está vindo, e que, se algo dramático não for feito rapidamente, haverá problemas para todos. 

Ele também sabe que Nabal é um tolo, com quem ele não pode raciocinar. 

E assim o servo não fala com Nabal, mas rapidamente avalia Abigail da situação e da necessidade de uma ação decisiva. 

Parece que este servo tem um grande respeito por Abigail e seu julgamento, que é a razão pela qual ele a busca. 

Ele não sugere a Abigail o que deveria fazer, mas simplesmente diz a ela os fatos e a motiva a agir com a sabedoria que ela é conhecida por ter.

_ Senhora Abigail, a senhora ficou sabendo?

_ Sabendo de quê?

_ Bah, uma tremenda confusão! Sabe o Davi?

_ Davi? Aham. Claro.

_ Então. Ele enviou uma mensagem ao patrão, pedindo mantimentos, essas coisas. 

_ Sim. E dai?

_ Foi uma mensagem muito educada, cheia de saudações e coisa e tal. Quando a gente estava no campo, durante todo o tempo ele tratou a gente muito bem.

_ É, ouvi falar que esse Davi é um legítimo cavalheiro. 

_ Pois então. Mas acontece que o patrão mandou uma mensagem muito da mal educada em resposta, dizendo que não vai ajudar é ninguém, e xingando Davi.

_ NABAL NÃO FEZ ISSO!

_ Pois é, mas ele fez!

_ EU NÃO ACREDITO!

_ Eu achei bom contar pra senhora, porque falar com o patrão não adianta nada mesmo. Pense nisso e resolva o que fazer. Isso poderá vir a ser um desastre para o nosso patrão e toda a sua família. Ele é tão mau, que ninguém pode falar com ele.

_ E fez bem, muito bem. Obrigada. Pode deixar, vou dar um jeito.

Abigail saiu dali e, ajudada por seus empregados, pegou duzentos pães, dois odres cheios de vinho, cinco ovelhas assadas, dezessete quilos de trigo torrado, cem cachos de passas e mais um monte de pasta de figo. 

Devemos tomar nota que Abigail não pergunta ou informa Nabal sobre o que ela está fazendo.

Ela não pede, porque ela sabe qual a resposta que Nabal dará. 

Ela não o informá sobre o que ela está fazendo, porque ele vai, sem dúvida, pedir os funcionários para não fazer o que ela instruiu. 

Logo veremos que as ações de Abigail são um exemplo de verdadeira submissão, mesmo quando na superfície eles não parecem ser.

Agindo rapidamente, Abigail reúne porções generosas de alimentos que ela envia adiante por seus servos. 

A velocidade é a essência. 

Davi está no seu caminho, e ele está determinado a matar todos os homens que ele encontra na casa de Nabal, incluindo Nabal. 

Eu não posso responder, mas pergunto onde Abigail conseguiu todos esses suprimentos tão rapidamente. 

Eu acho que eu sei, e se eu estiver certo, é de fato uma situação divertida.

Sabemos que Abigail envia a Davi 200 pães, 2 jarras de vinho, 5 ovelhas já preparadas, além de uma generosa porção de cereais, uvas passas e figos. 

Sabemos também que, enquanto Abigail está ocupada, Nabal está tendo uma festa em sua casa, uma festa digna de um rei (verso 36). 

Eu acredito que os suprimentos Abigail envia a Davi vem do estoque que Nabal planeja consumir em sua festa. 

Você pode imaginar seu rosto quando ele entra na despensa e descobre que uma boa parte de seu banquete está faltando? 

Mesmo assim, é evidente que ele não sente falta de nada.

Tendo enviado a farta quantidade de alimentos a frente, Abigail faz o seu caminho para baixo da montanha, fora da vista de Davi e seus homens. 

Davi igualmente desce do terreno mais elevado, só que ele ainda está resmungando sobre os insultos de Nabal e ensaiando o que ele vai fazer quando ele tiver suas mãos sobre esse déspota ingrato. 

Sem qualquer das partes reconhecer o que está acontecendo, Davi e Abigail são ambos convergindo para o outro, e de repente estão cara a cara um com o outro.

Abigail ia montada no seu jumento e, de repente, numa curva, na descida, encontrou Davi e os seus homens, que vinham na sua direção. 

_ A gente ajuda os outros e ganha o quê? Nada! Só ingratidão! De que me adiantou proteger aqueles infelizes? Ah, mas isso não fica assim! Que Deus me castigue se eu deixar nem que seja um homem vivo naquela terra. Ah, eles vão ver o que é bom pra tosse!
Seu resmungo foi interrompido, porém, pela chegada daqueles jumentos carregados de comida e bebida. 

Antes que pudesse perguntar aos homens que traziam os jumentos de quem fora tamanha bondade, viu uma linda mulher que chegava. 

A pergunta ficou entalada na garganta enquanto ele contemplava tamanha beleza.

Ao vê-lo, a mulher desmontou do jumento rapidamente, e se ajoelhou, encostando o rosto no chão.

_ Senhor Davi, ouça-me! Por favor, não ligue para o que Nabal disse. Ele é um tolo, como bem diz seu nome. Eu não vi quando os homens foram levar sua mensagem a ele, por isso não tive como evitar esse erro. Mas o ignore, senhor, e aceite esse presente que eu lhe trago. Por favor, desista de seus planos de vingança. Eu sei que meu marido foi estúpido e o desrespeitou, mas pense bem: um dia o senhor vai ser rei, e é melhor que não tenha motivos para se arrepender ou sentir remorso por ter cometido um crime assim. Deixe a vingança nas mãos de Deus, já que ele sempre o protegeu.

_ Louvado seja o Senhor, o Deus de Israel, que mandou você hoje para me encontrar! Graças ao que você fez hoje e ao seu juízo, eu deixei de cometer um crime de morte e fui impedido de me vingar por mim mesmo. Que o Senhor Deus me livre de fazer algum mal a você! Eu juro pelo Senhor, o Deus de Israel, o Deus vivo, que, se você não tivesse se apressado e não tivesse vindo me encontrar, amanhã cedo todos os homens de Nabal estariam mortos, até os meninos! Como você se chama, minha querida?

_ Abigail.

_ Então Abigail, volte para casa e não se preocupe. Eu farei o que você quiser.

_ Obrigado, senhor.

Palavras de Abigail soam verdadeiras para Davi. 

O que ela diz se enquadram com tudo o que Deus tem ensinado Davi. 

Ele sabe que ela está certa, e agora admite ao elogiá-la diante de todos os seus homens. 

Davi reconhece que Abigail é literalmente uma dádiva de Deus, e que por meio de suas palavras e atos, Deus o impediu de fazer algo errado, tomando vingança contra Nabal, e, assim, derramando sangue inocente. 

Se ela não tivesse agido com rapidez, David teria realizado seu plano inconsequente. 


Ela salvou Davi da loucura e da culpa, e ao mesmo tempo poupou a vida de seu marido e todos os homens de sua família. 

Em Cristo!

A seguir:

Abigail encontra-se com Davi e salva a pele de seu marido!

Images

1 Samuel 25:14 - A Revolta de Davi contra Nabal



A Revolta de Davi contra Nabal

1 Samuel 25:14
Terminamos a última postagem, sabendo que Davi estava revoltado,não ia deixar barato.

David está com raiva porque suas ações não produziram o resultado que ele esperava. 

Então Davi disse:

_ Ponham as suas espadas nos cintos!

E todos obedeceram. Davi também pegou a sua espada e saiu com mais ou menos quatrocentos dos seus homens para o monte Carmelo enquanto duzentos ficaram atrás com a bagagem.

O futuro rei de Israel estava irado, e determinado a acabar com a raça de Nabal e de quem mais encontrasse pela frente. 

Do seu ponto de vista, ele tratou gentilmente com Nabal, e agora é hora de Nabal para lidar gentilmente com ele. 

Mas em vez de dar uma bênção para Davi e seus homens, Nabal os insulta e manda embora de mãos vazias. 

Todas as suas boas obras não serviram para nada, Davi conclui. 

E se Nabal devolveu o mal pelo bem, David agora está justificado em pagar o mal com o mal.

Seria bom fazer uma pausa aqui para refletir sobre a atitude e as ações de Davi. 

Permitam-me resumir o raciocínio de David.
  • David faz o bem para Nabal e toda a sua casa.
  • David espera que Nabal devolva a gentileza, mas ao invés disso ele não recebe nada, mas um insulto.
  • David agora se sente justificado em sua intenção de matar Nabal e todos os outros homem em sua casa.
Exatamente como muitos de nós raciocinamos em vários momentos de nossas vidas. 

Mas devo dizer-lhe que Davi está errado, absolutamente errado. 

Davi está errado em esperar que o bem que fazemos será respondido aqui e em espécie. 

David espera um "retorno" imediato sobre o seu "investimento" de servir Nabal. 

Ele espera que a recompensa para vir de Nabal, venha até ele agora. 

Agindo assim ele não está à procura de uma recompensa celestial então.


Quantos de nós ministramos aos outros com uma vara de medição em nossas mãos? 

Estamos dispostos a amar e servir os outros com sacrifício, mas com um certo conjunto de expectativas, não é verdade. 

Esperamos que o amor sacrificial e serviço deva ser retribuído. 

Quando, em troca de nosso fazer o bem, o nosso vizinho nos dá o mal, como Davi, vamos ficando irados e procurando alguma maneira de retaliar. 

Esquecemos que, como Cristo, nossas palavras e ações podem trazer perseguição e sofrimento, em vez de aprovação e gratidão. 

Precisamos entender que nossa recompensa no céu será grande, mas pode não haver tais recompensas na terra.

Vamos ter o cuidado de fazer as nossas boas obras, como ao Senhor, pedindo-Lhe a nossa recompensa, e não os destinatários de nosso serviço sacrificial. 

Mas os funcionário de Nabal, prevendo uma tragédia, resolveram pedir ajuda a alguém sensato da casa de Nabal.

Veremos isso na próxima postagem.

Em Cristo!

A seguir:

Abigail encontra-se com Davi e salva a pele de seu marido!

Images

1 Samuel 25: 2-12 - Davi pede comida a Nabal


Davi pede comida a Nabal

1 Samuel 25: 2-12

Davi, depois que deu um jeito de comparecer ao funeral de seu amigo Samuel, desceu ao deserto de Parã. 

Ali perto ficava o monte Carmelo, e lá encontravam-se as propriedades de um homem muito rico, morador da cidade de Maom. 

Para você ter uma ideia, ele tinha umas três mil ovelhas e mil cabras. 

Seu nome era Nabal, e ele era descendente de Calebe. 

Sua casa está em Maon, e seu gado são mantidos em Carmel, muito poucas milhas de distância.

É aqui, perto de Carmel, que Davi e seus homens foram se esconder por algum tempo. 

Sua esposa, Abigail, era uma mulher muito bonita e inteligente, mas ele era um homem grosseiro e mau.

Sua esposa é um contraste refrescante. 

Abigail é uma maravilhosa mistura de boa aparência e bom pensamento.

Davi conhecia Nabal e ouviu dizer que ele estava no Carmelo acompanhando a tosquia de suas ovelhas.

Então mandou até Nabal dez de seus homens com  ordem de o encontrarem e o cumprimentarem em nome dele e entregarem a seguinte mensagem;

"Meu caro amigo, envio esta mensagem porque soube que você está no monte Carmelo tosquiando suas ovelhas. 

Quero que saiba em todo esse tempo que eu e meus homens estamos na região observando dia e noite os seus empregados. 

Chegamos a ficar amigos, e nunca lhes fizemos mal, nem lhes roubamos nada, muito pelo contrário: chegamos mesmo a protegê-los em diversas ocasiões. 

Então eu queria lhe pedir que me recebesse, junto com meus homens. 

Viemos em dia de festa, e gostaríamos de ser recebidos em paz por você. 

Assim, por favor, dê o que puder a nós, os seus criados, e ao seu querido amigo Davi.”

Abraço dos seus criados e de seu querido amigo Davi, filho de Jessé".

Davi esperava uma resposta positiva. 

Sua fama de guerreiro amentava a cada dia em todo o Israel, e muita gente o temia e admirava. 

Mas todos ficaram muito surpresos ao receber a resposta de Nabal:

_ Como é que é? Davi filho de Jessé?? Mas eu não conheço nenhum Davi. Além do mais ele pode ser um escravo que fugiu do seu dono. Isso acontece muito hoje em dia, por isso tenho que ficar esperto. Então o meu pão a minha agua e os animais que eu matei para dar pros meus empregado eu não vou dar a um bando de vagabundos que eu não conheço. De jeito nenhum!

Humilhados, os homens de Davi voltaram e contaram o que Nabal tinha dito.

Davi como era de esperar, ficou revoltado. 

A fama de grosseiro e ignorante de Nabal fazia jus a sua atitude. 

Além do mais, nabal quer dizer tolo, em hebraico. 

Revoltado, Davi não ia deixar quieto…

Como veremos na próxima postagem.

Em Cristo!

A seguir: A Revolta de Davi contra Nabal
Images

I Samuel 25:1 - A morte de Samuel


I Samuel 25:1

O velho e sábio Samuel, o juiz e profeta que ungiu tanto Saul quanto Davi, e que dá seu nome a este e ao próximo livro da Bíblia vem a falecer.

O luto nacional foi declarado, ele foi sepultado em sua casa, em Ramá.

Samuel foi o último dos juízes e o primeiro dos profetas. 

Samuel é o personagem mais importante entre Moisés e Davi. Ele foi o Lutero ou o João Batista de seu tempo.

Homem de profunda piedade e discernimento espiritual dedicava-se totalmente à realização dos propósitos de Deus para o bem de Israel. 

Mesmo não sendo ele descendente da linhagem de Aarão, sucedeu a Eli no cargo sacerdotal. 

Ao que parece, foi o primeiro a estabelecer uma instituição para o preparo dos jovens que desejavam abraçar a vocação profética. 

Samuel teve um começo promissor, ungiu dois reis, e foi influente no início do reino de um deles. 

Quando estava no auge, Deus lhe revela que rejeitava Saul como rei. 

Ele apenas passou o recado adiante, mas mesmo assim caiu em desgraça perante Saul. 

Samuel foi o último juiz a governar Israel e grande articulador da transição para a monarquia.

David, juntamente com muitos outros israelitas, vão para a casa de Samuel em Ramá, onde ele chora por este grande homem de Deus. 

Após este período de luto, Davi mais uma vez vai para o esconderijo no deserto de Paran. 

Este é o deserto, onde Hagar e seu filho Ismael viveram depois de ser mandado embora por Abraão e Sara ( Gênesis 21:20-21 ). 

É também o lugar onde os israelitas acamparam depois de deixar o Monte Sinai, e a partir do qual os 12 espiões foram enviados para espiar a terra de Canaã (Números 10:12; 13:3). 

Agora, é o local do esconderijo de Davi.

O que acontecerá lá?

É o que veremos na próxima postagem!

Em Cristo!

A seguir: Davi pede comida a Nabal


Images

I Samuel 24:9-22 - Saul, perdoa momentaneamente a Davi!


Saul, perdoa momentaneamente a Davi!

I Samuel 24:9-22

David se prostra no chão, mostrando sua reverência por e submissão a Saul como o rei.

Ele apela para o rei a deixar de lado as coisas que outros já lhe disse, para ouvir suas palavras, para compará-los com as suas ações, e então julgar a sua culpa ou inocência para si mesmo.

Saul fica chocado ao ouvir seu nome sendo chamado. 

Ele mal pode acreditar, que é realmente David chamando por ele.

_ Ó meu Rei Saul, por que é que o senhor dá ouvidos às pessoas que dizem que eu quero prejudicá-lo? Veja bem, Deus o entregou a mim ali dentro da caverna. Alguns de meus homens queriam que eu o matasse, mas quem sou eu para levantar a mão contra aquele que foi ungido por Deus? 

_ Não acredito!

_ Pois então olhe para sua capa e verá que falta um pedaço. Aqui está! Eu cortei um pedaço da sua capa. Eu poderia ter matado, mas não o fiz. Quer prova maior do que isso? Eu sei muito bem que o senhor quer me matar, e mesmo assim resisti quando tive a oportunidade de matá-lo. Que Deus julgue quem de nós está errado, e me vingue por tudo o que o senhor me fez e faz, mas eu não levantarei um dedo contra o ungido do senhor. Mas quem sou eu para o senhor me perseguir dessa maneira meu rei? Eu não passo de um cachorro morto, uma pulga insignificante! 

Quanto mais Davi falava, mais admirado Saul ficava. 

Quando conseguiu falar, foi gaguejando:

_ D-Davi? É você m-mesmo, meu filho? 

E começou a chorar como doido.

_ Ah, Davi! Você está certo, claro, e eu estou errado! Você pagou com o bem todo o mal que eu tenho lhe feito. Quem é que, tendo a oportunidade de pegar seu inimigo, o deixa ir embora são e salvo? 

Pela primeira vez registrado nas Escrituras, Saul é proprietária até a verdade. 

_ Só você mesmo, meu filho, só você mesmo! Que Deus o abençoe pelo que fez hoje. Agora eu sei que você será rei de Israel, e que terá um reinado próspero e justo. Mas, por favor, jure em nome de Deus que não acabará com meus descendentes, e assim o meu nome não será esquecido.

_ Juro, majestade.

A ironia do pedido de Saul é que este assunto já foi cuidado na aliança entre Davi e Jônatas (1 Samuel 20: 14-17 , 41-42). 

_ Ah, meu filho, muito obrigado! Você volta comigo?

_ Não agora, majestade. Não leve a mal.

_ Compreendo. Até logo, Davi.

_ Até logo, majestade.

David poderia pensar provavelmente que seus problemas com Saul haviam terminado, mas ele não é tolo. 

Saul já se arrependeu antes (ver 19: 1-7), mas não durou muito tempo. 

Esta é verdadeiramente uma história incrível. 

Quem poderia ter pensado que "o chamado da necessidade fisiológica" resultaria na separação pacífica de David e Saul em tal ocasião? 

Deus é soberano.

Ele está no controle absoluto de todas as coisas, e "todas as coisas" inclui coisas tão básicas como o "chamado da natureza". 

Deus é capaz de empregar "natureza" para alcançar Seus propósitos. 

Que Deus maravilhoso nós servimos!

Os dois se despediram cordialmente, Saul voltou para Gibeá, e Davi para sua fortaleza. 

Tudo parecia estar bem. 

Mas só parecia…

Saul era maluco, e é bom que não nos esqueçamos disso.

Em Cristo!

A seguir:

A morte de Samuel

Images

I Samuel 24:1-8 - O equilíbrio de Davi, e a dor de barriga de Saul!


O equilíbrio de Davi, e a dor de barriga de Saul!


I Samuel 24:1-8

Preste atenção que neste artigo, você está prestes para estudar uma grande história. 

O sentido do drama está intenso.

Neste relato, encontraremos perigo, suspense e surpresas. 

Mas apenas isso, tem lances de comédia também. 

É também uma história que tem grande aplicação para todos os cristãos hoje. 

Esta questão de esperar para reinar é muito importante. 

Um número de erros encontrados nos círculos cristãos hoje (e em toda a história da igreja) tem a ver com a relação de nossa atual vida e a ansiedade para que as coisas aconteçam.

Esse texto, como o resto do Antigo e do Novo Testamento, baseia-se no fato de que enquanto nós estamos preocupados com as coisas que devem acontecer com nosso futuro, Deus está atualmente nos preparando através de rejeição e sofrimento.

Assim como Deus lidou com Davi nessa área, Ele também está lidando com a gente na mesma área hoje. 

Vamos estudar bem, porque isso não é apenas uma mera história que estamos lendo. 

Este texto é a instrução de Deus para nós, através do exemplo de santos como Davi, e até mesmo de pessoas tristes, como Saul.

Então, prepare-se.

Depois de ter sido salvo de forma sobrenatural por Deus, através da  invasão dos filisteus, 

Davi fugiu com seus homens para outra fortaleza natural, essa na região da fonte de Gedi. 

Enquanto isso, Saul, derrotava rapidamente os filisteus e rapidamente tornou a se dedicar a seu joguinho predileto: brincar de gato e rato com Davi. 

Não demorou muito, recebeu a notícia da localização de sua caça, e para lá partiu acompanhado de um exército de três mil homens, escolhidos dentre os melhores soldados de Israel e foi com eles procurar Davi e os seus homens a leste das Rochas dos Cabritos Selvagens.

Ao passar por uma caverna junto de alguns currais de ovelhas, perto da estrada, Saul sente o implacável desejo da natureza que não respeita nem um rei.

Ele começa a olhar em volta para um lugar onde possa ​​aliviar aquela cólica implacável em particular.

A incrível coincidência é que o rei nem imaginava que Davi e os seus homens estavam escondidos bem no fundo da caverna. 

Chamou o general do exército:

_ Abner, tudo em ordem?

_ Sim, majestade!

_ Olha, cuide de tudo aí enquanto eu vou ali naquela caverna do lado do curral de ovelhas fazer minhas necessidades.

_ Ah. Sim. Claro. Fique tranquilo, majestade.

_ Obrigado.

Agora imagine comigo. 

Pense você como um dos homens de Davi, que espreita para fora daquela caverna, vendo Saul e seu exército se aproximando, e depois parar. 

Eu posso quase sentir a tensão nestes pobres homens quando os olhos de Saul se voltam para a caverna. 

Os homens de Davi se agacham na parte de trás da caverna e silenciosamente treme de medo enquanto vêem Saul se aproximando deles. 

Mal sabem eles o que Saul tem em mente. 

É preciso olhar como se eles estão apavorados. 

Saul se aproxima da caverna, enquanto Davi e seus homens entendem suas armas, prontos para se defender. 

O que se segue não precisa ser descrito com riquezas de detalhes, exceto para dizer que foi um alívio tanto para Saul e os homens de Davi.

Saul entrou na caverna, levantou a túnica e começa a fazer seu serviço igualando-se a qualquer cidadão comum.

Os homens de Davi, mais à vontade agora, começam a refletir sobre o significado deste cômico momento. 

_ Davi, esta é a sua oportunidade! O Senhor Deus disse que lhe entregaria o seu inimigo e que você poderia fazer com ele o que quisesse.

David furtivamente arrasta-se na caverna em direção rei Saul, que inocentemente está alheio a tudo o que está acontecendo atrás dele. 

Seu manto foi aparentemente removido e colocado fora do caminho, longe o suficiente que 

David pode chegar e cortar uma parte da borda. 

Voltou aos seus homens mostrando com orgulho o troféu.

_ Davi, você o matou?

_ Não, só cortei este pedaço da capa dele. 

Mas aí a consciência de Davi começou a doer porque ele havia cortado um pedaço da roupa de Saul.

Então disse aos seus homens:

_ O Senhor Deus me livre de fazer algum mal ao meu senhor, que ele escolheu como rei! 

Eu não devo atacá-lo de jeito nenhum porque ele é o rei escolhido pelo Senhor.

Assim Davi convenceu os seus homens de que eles não deviam atacar Saul.

Embora Saul estive sendo rebelde a Deus, Davi ainda respeitava a posição que ele ocupava como o rei ungido por Deus. 

Sabia que um dia ia tomar o seu lugar, mas também que não lhe competia eliminá-lo ele próprio.

Enquanto isso, Saul limpou-se como pôde, recompôs-se, e enquanto ia saindo da caverna, voltando para junto dos soldados, ouviu uma voz às suas costas:

O que David faz a seguir é ainda mais surpreendente, como veremos em breve. 

A resposta de Saul para tudo isso é igualmente incrível.

_ MAJESTADE!

Voltou-se assustado e viu um homem ruivo na entrada da caverna, ajoelhado em sinal de respeito. 

Seria ele? 

Estava com a pele escura, tinha crescido e era um homem forte. 

Mas a cabeleira ruiva e uma certa petulância na voz não deixavam muita margem a dúvidas. 

Saul ia perguntar, mas o homem continuou…

Continua na próxima postagem.

Em Cristo!

A seguir:

Saul, perdoa momentaneamente a Davi!