Levítico 1:5

A ministração do sangue – parte I

V:5
E o Senhor continuou com suas instruções;

_ Ainda com a mão sobre o animal a pessoa o matará ali na frente da Tenda Sagrada...

É impossível supor que uma pessoa normal pudesse sentir prazer ao fincar a faca numa vítima inocente, ainda que essa vítima fosse somente um animal.

Esta experiência deveria ser muito penosa e um tanto angustiante para o pecador, porque sabia que era o seu pecado o que fazia necessária essa morte.

De uma forma vívida via diante de aeus olhos os resultados do pecado.

Não só significava a morte, mas a morte de um ser inocente.

Que outro efeito podia ter esta cerimônia senão o de criar no transgressor o ódio pelo pecado e a solene resolução de não ter nada mais que ver com ele?

A primeira lição que Deus desejava ensinar a Israel mediante o sistema de sacrifícios era que o pecado gerava... a morte.

De vez em quando esta lição seria introduzida em seus corações.

A cada manhã e a cada tarde através de todo o ano eram oferecidos sacrifícios em favor da nação.

Dia após de dia o povo trazia suas ofertas pelo pecado e seus holocaustos ao santuário.

Em cada caso um animal era degolado e o sangue aplicado no lugar designado.

Em cada cerimônia e em cada serviço estava claramente impressa a lição: O pecado gerava... a morte.

Esta lição é tão necessária em nossos tempos como foi naquela época.

Pois alguns cristãos ainda hoje consideram exagerado tudo o que se diz sobre o pecado.

Pensam que é um aspecto passageiro da vida que será superado com a maturidade.

Outros consideram que o pecado é lamentável, mas inevitável.

Todos precisam que de forma permanente se grave em suas mentes a lição de que o pecado significa morte.

O Novo testamento declara especificamente que "a pagamento do pecado é morte", mas muitos não captam a importância desta declaração.

Ter um conceito mais realista da inseparável relação entre o pecado e a morte ajudaria muito a apreciar e compreender o Evangelho.

Para o cristão isto encerra uma lição importante.

Nós éramos os culpados e Cristo não o era.

A contemplação da cruz em primeiro lugar nos deveria provocar um sentimento de culpa, logo uma repulsa pelo pecado, e finalmente uma profunda gratidão a Deus pela salvação que se faz possível por meio da morte.

Cristo morreu por mim.

Eu deveria ter morrido, porque eu pequei, e "a pagamento do pecado é morte".

Mas Cristo morreu por mim, foi ao Calvário em meu lugar.

Quão adequada foi esta provisão!

E que maravilhoso amor!

Quem oferecia o sacrifício tinha concluído sua tarefa.

Tinha trazido seu sacrifício, tinha confessado seu pecado e tinha degolado a vítima.

Após isso começava a ministração do sangue.

Que veremos na próxima postagem...

Em Cristo!

A seguir: A ministração do sangue parte - 2

Sobre o Autor:
CLAILTON LUIZ Clailton Luiz - Empresário, Palestrante, Especialista em Gestão de Tempo e Produtividade, Coach, Analista Comportamental e amante da Palavra de Deus!

4 comentários:

  1. É Verdade seu PERFEITO SACRIFICIO trouxe graça e perdao a mim, mesmo sem eu merecerrr...

    ResponderExcluir
  2. Professor, creio q Deus jah havia dito ao meu coração o motivo q fazia preciso q animais fossem mortos em sacrifício, e ler sua explicação foi uma confirmação! Graças a Deus pelos ensinamentos, pela misericórdia, pela benevolência, pelo amor infinito! E também por ter tocado seu coração e ter te enchido de atitude para escrever esse blog.. No meio de tanta coisa inútil q "vaga" pela rede, eh ótimo encontrar um blog q fale sobre o q mais importa na vida! mto obrigada (:

    ResponderExcluir
  3. Professor, creio q Deus jah havia dito ao meu coração o motivo q fazia preciso q animais fossem mortos em sacrifício, e ler sua explicação foi uma confirmação! Graças a Deus pelos ensinamentos, pela misericórdia, pela benevolência, pelo amor infinito! E também por ter tocado seu coração e ter te enchido de atitude para escrever esse blog.. No meio de tanta coisa inútil q "vaga" pela rede, eh ótimo encontrar um blog q fale sobre o q mais importa na vida! mto obrigada (:

    ResponderExcluir
  4. É verdade Evelin, quero também dar graças a Deus pela sua maravilhosa palavra, pois sem ela não poderíamos sobreviver em um mundo onde a inutilidade permea não só na rede mas em em todas as esferas da comunicação.

    Em Cristo!

    ResponderExcluir



Dicas de como usar este blog



1. Ore, peça que Deus fale com você.


2. Leia em sua Bíblia os versículos sugeridos do dia.


3. Agora leia o comentário no blog dos versículos que você acabou de ler em sua Bíblia.



4. Volte para sua Bíblia, e a personalize, faça anotações, sublinhe etc. Quando você ler novamente estes mesmos versículos, vai lembrar-se da mensagem.


5. Se desejar, deixe seu comentário no blog.


6. Guarde em seu coração, o que você aprendeu com a palavra de Deus neste dia e compartilhe com outras pessoas.


7. Indique este blog.


8. Inscreva-se como um seguidor.


A palavra de Deus não é para ser apenas lida como se lê um livro ou um jornal, é para ser meditada, decorada e estudada.

Seguidores