Juízes 3:1-6 - Os Israelitas adoram outros deuses.

Os Israelitas adoram outros deuses.

Como vimos no capítulo anterior, alguns povos continuaram habitando Canaã ao lado dos israelitas.

Eram os filisteus, os cananeus, os sidônios e heveus que moravam nos montes Líbanos.

O povo de Israel se deixou influenciar por esses povos, ofereceram suas filhas para eles por mulheres e deram aos filhos deles as suas filhas e serviram a seus deuses.

Baal (amo, proprietário, senhor, possuidor) era o deus da chuva e da fertilidade em Canaã. O plural "baalins" (senhores) provavelmente inclui todas as falsas divindades da terra, pois cada localidade tinha o seu próprio "baal" (como as "nossas-senhoras", adoradas em suas imagens com nomes e aparências diferentes em cada localidade).



Astarote é a forma plural de Astarte, a deusa fenícia companheira de Baal.

As astarotes eram ídolos adorados pelo povo cananeu, e também pelos israelitas durante os períodos em que se afastavam do SENHOR.

O profeta Jeremias informa que o povo se referia a esta deusa como a rainha do céu (Jeremias 44:18,19), título que também foi dado pelos católico-romanos a Maria, mãe terrena do Senhor Jesus.

O culto a esses falsos deuses e deusas incluía sacrifícios animais e mesmo, às vezes, humanos, bem como prostituição.

A religião Cananéia pode ter atraído os israelitas por causa da sua permissividade, a promessa de maior fertilidade tanto na família como nos animais, mas especialmente porque não exigia qualquer padrão moral.

Era suficiente agradar ao deus de sua preferência com ofertas e sacrifícios em seu altar, podendo depois comportar-se como bem entendessem. A prostituição de ambos os sexos era não somente permitida, mas era uma forma de adoração.

Em contraste, o culto ao SENHOR exigia pureza de vida, domínio próprio, amor a Deus acima de tudo, e amor ao próximo como a si mesmo.

O verdadeiro Deus exige obediência, abnegação e altruísmo, um sacrifício que a maioria da humanidade egoísta não está disposta a fazer.

E é neste cenário que os juízes, também chamados "libertadores", foram levantados pelo SENHOR dentre o povo, impulsionadas pelo desejo de corrigir a infidelidade e a resultante opressão do povo pelos seus inimigos.

Mas isso é assunto para a próxima postagem...

Em Cristo!


Sobre o Autor:
CLAILTON LUIZ Clailton Luiz - Empresário, Palestrante, Especialista em Gestão de Tempo e Produtividade, Coach, Analista Comportamental e amante da Palavra de Deus!

5 comentários:

  1. Como é atual esta palavra...bem apropriada para os dias de hoje!

    ResponderExcluir
  2. E o povo continua adorando baal e virando as costas para o Senhor.

    ResponderExcluir
  3. O homem tem a essência da adoração que já nasce com ela, infelismente por não conhecerem ao DEUS verdadeiro, acabam por adorar a deuses criado pelas mãos dos homens; tai a importância da evangelização. Pois também já fui assim sem entendimento adorando o que não conhecia. Missões é o nosso papel como cristão.

    ResponderExcluir
  4. quando se diz que em israel adoravam divindades paga o jeova era uma divindade paga tambem apenas que o rei josias no seculo sete antes de cristo resolveu tornar o jeova o deus nacional de israel e mandando derrubar todos altares de outros deuses assim como os idolos pagao nao existem pois foram criados pela imaginacao dos homens o jeova tambem e fruto da imaginacao dos homens do passado

    ResponderExcluir



Dicas de como usar este blog



1. Ore, peça que Deus fale com você.


2. Leia em sua Bíblia os versículos sugeridos do dia.


3. Agora leia o comentário no blog dos versículos que você acabou de ler em sua Bíblia.



4. Volte para sua Bíblia, e a personalize, faça anotações, sublinhe etc. Quando você ler novamente estes mesmos versículos, vai lembrar-se da mensagem.


5. Se desejar, deixe seu comentário no blog.


6. Guarde em seu coração, o que você aprendeu com a palavra de Deus neste dia e compartilhe com outras pessoas.


7. Indique este blog.


8. Inscreva-se como um seguidor.


A palavra de Deus não é para ser apenas lida como se lê um livro ou um jornal, é para ser meditada, decorada e estudada.

Seguidores